A baixíssima umidade do ar, somada à altitude bastante elevada, proporcionam ao Deserto do Atacama as melhores condições do mundo para se observar as estrelas!  Já sabendo que no deserto existem várias empresas que oferecem o famoso “tour astronômico“, separamos uma noite do nosso roteiro para fazer o passeio. A expectativa era trazer para casa aquelas fotos incríveis da via láctea, mas a realidade foi bem diferente do esperado…


Se você é do time que curte fotografar, seja por hobby ou profissionalmente, e pretende aproveitar as condições favoráveis do céu do Atacama para fazer aquelas fotos que recebem curtidas aos montes no Instagram, leia este post até o final e entenda porque não aconselho que você faça os tours noturnos regulares oferecidos pelas agências de turismo de San Pedro do Atacama.


Preparação

Segundo um recente artigo publicado no site Science Advances, mais de dois terços das pessoas do mundo não podem ver a via láctea do lugar onde vivem. Entre elas estão mais de 62% da população brasileira.

Infelizmente (e provavelmente como você), me incluo entre os que vivem em uma cidade praticamente vazia de estrelas. A poluição luminosa é tanta que a ideia de se ver o arco da via láctea a olho nu parece algo exclusivo de filmes e documentários da Netflix.

Você já deve ter percebido que amo fotografar, então, quando incluímos o tour noturno no Atacama em nosso roteiro, já fiquei super entusiasmado. Meses antes da viagem, iniciei a preparação para os cliques.

Pra começar, comprei um tripé bom e estável. O meu era daqueles bem baratinhos e não mantinha a câmera firme. Consequentemente, minhas fotos de longa exposição borravam na maioria das vezes.

Outra coisa (bem útil) que comprei foi um disparador. Com ele, não precisaria ficar mexendo na câmera na hora de clicar, garantindo assim a maior nitidez possível.

Além de preparar o meu material, li vários sites, artigos e blogs sobre o assunto, pra ficar fera em todas as técnicas que este tipo de fotografia exige.

Mas o principal dever de casa eu não fiz: estudar os passeios com antecedência e escolher uma agência que oferecesse mais do que um corrido tour astronômico, e sim um passeio fotográfico completo.


Se você nos acompanha, provavelmente percebeu que este post demorou um pouquinho mais pra sair do que os outros (aliás, já publicamos posts sobre todos os passeios que fizemos no Atacama, e você pode conferir cada um aqui).

Eis o motivo da demora: realmente não curti o passeio astronômico, e não queria desmotivar ninguém a fazê-lo.

Mas, como o propósito deste blog é ajudar outros viajantes com as nossas autênticas experiências em viagens (boas ou ruins), acho justo contar como foi nosso tour astronômico no Atacama, e explicar o motivo especial que fez com que eu não gostasse!


Sobre o tour astronômico

Nós fizemos o tour astronômico com a Atacama Desert Stargazing, então as informações deste post são relacionadas ao tour tradicional oferecido pela empresa.

Qual a melhor época?

As saídas noturnas para o tour astronômico são realizadas no Atacama durante quase todo o ano. Digo quase, por que vez ou outra chove por lá.

Além disso, este passeio não pode ser feito nos períodos de início da lua cheia, já que a luminosidade do nosso satélite natural acaba interferindo na visibilidade, ofuscando muitas estrelas. Então, nos períodos em que a luminosidade da lua está muito alta, as agências suspendem os tours.

No nosso mochilão, ficamos 6 dias completos no Atacama e, pro nosso azar, chegamos no deserto exatamente em semana de lua cheia. Então, só conseguimos pegar uma visibilidade suficiente boa para fazer o tour no último dia.

Primeira dica: caso este passeio seja imprescindível para você, fique de olho no calendário lunar e tente se programar para pegar a lua nova no deserto!


Quanto custa?

Como comentei no comecinho do post, em San Pedro do Atacama existem várias empresas que oferecem o tour astronômico e os preços oscilam bastante de agência para agência.

Nós pagamos 20.000 pesos por pessoa (+ou- 120,00 reais) com a empresa Atacama Desert Stargazing, que não é a mais barata, mas também está longe de ser uma das mais caras.

Nós fechamos os outros passeios no Atacama com a agência 123Andes (que é ótima, por sinal!), e como eles não fazem o tour astronômico, o pessoal de lá nos direcionou para a Atacama Desert Stargazing. 


Quanto tempo dura o passeio?

Com a Atacama Desert Stargazing, o passeio dura mais ou menos 2h30, e pode ser feito em horários diferentes.


O que vestir?

Como a temperatura no deserto sempre cai muito à noite, é necessário se agasalhar ao máximo! Fomos todos com luvas, meias quentinhas, calça e blusa segunda-pele, fleece e um casaco por cima.


Como é o passeio?

O tour é feito com um grupo de cerca de 15 pessoas. O pessoal se encontra em um ponto marcado em San Pedro, embarca em uma van e se desloca para um lugar um pouco mais afastado da cidade.

Lá, o grupo se acomoda em cadeiras reclinadas que estão dispostas em um semi-circulo e, no escuro, um guia começa a apresentação.

Esta parte é praticamente uma aula de astronomia!

Com um laser bem forte, ele vai apontando algumas estrelas e planetas e também mostrando onde estão algumas das constelações mais famosas. Órion, Leão, Gêmeos, Câncer todas ali!  

A quantidade de estrelas que se vê por lá é simplesmente absurda! E pela visibilidade alta, não é raro de se ver estrelas cadentes cruzando o céu!

O tour é feito em espanhol e inglês ao mesmo tempo: o guia explica um pouco em espanhol, e logo em seguida repete a mesma explicação, só que em inglês.

Depois, os participantes são conduzidos para um outro local, ao lado de onde é feita a primeira parte do tour. Lá é servido um lanche (biscoitos, chocolate quente, salgadinhos, frios, amendoim, chá, vinho e otras cositas más).

A segunda parte do tour é destinada à observação do céu com telescópios. Seis telescópios de diferentes tamanhos, cada um apontado para uma constelação diferente, ficam disponíveis para que a gente vá passando de um em um.

Ao final é feita uma foto do grupo todo e retornamos para San Pedro.


Afinal, por que não gostei do tour astronômico?

Não vou dizer que não curti nada do tour. Na verdade, as explicações do guia foram bem legais. Mas, ainda assim, três fatores fizeram com que o tour não fosse bem o que eu esperava, e aqui estão eles:

1) Atrasos e correria

Não lembro com exatidão, mas, o horário de partida que nos foi passado era às por volta das 22h.

Como nada foi falado de local de encontro, e como a saída estava prevista para tarde da noite, concluímos que – assim como vários outros tours – a van passaria no nosso hostel para nos buscar. No horário marcado, ficamos na porta do hostel aguardando.

Passaram alguns minutos do horário e, ao invés de a van nos buscar, recebo uma mensagem da 123Andes informando que estávamos bem atrasados e que o tour sairia de uma pracinha próxima ao centro de San Pedro. Para nossa sorte, a pracinha não era longe.

Na mesma hora, saímos correndo pelas ruas empoeiradas de San Pedro e, depois de cruzarmos umas 5 ou 6 esquinas, encontramos a van da Stargazing com um motorista bem bravo nos esperando.

Bom, não sei se o problema foi de comunicação entre as duas agências, mas isso resultou em uns 30 minutos de atraso, causando o maior climão com o guia e com o restante do grupo 😒

Este atraso ainda teve outro impacto negativo. Pelo que pude perceber, a Stargazing oferece mais de um tour astronômico em uma mesma noite, e me pareceu que assim que termina um tour, já chega outra van cheia de turistas para participar do próximo.

Por causa destes horários seguidos e apertados, ficou evidente que os nossos 30 minutos de atraso fizeram com que os guias tivessem que acelerar o tour, e isso, é lógico, prejudicou nosso grupo.

No final, assim que o tour terminou, tivemos que sair rapidinho do local, porque o outro grupo já estava pronto para começar o tour seguinte.

2) Tour em inglês e em espanhol

Como comentei acima, o tour era realizado em espanhol e inglês ao mesmo tempo.

O que acontecia era que o guia falava um trecho da explicação em espanhol e depois repetia tudo em inglês.

Eu, particularmente, achei que perdemos tempo ouvindo a mesma coisa duas vezes e em línguas diferentes (tempo que poderíamos ter gasto fazendo fotografias noturnas ou observando o céu pelos telescópios). Fora que era bem entediante ouvir duas vezes a mesma explicação. 😞

3) O tour astronômico não era um tour fotográfico

Neste ponto, assumimos uma boa parcela da culpa. Como não pesquisei mais sobre o tour astronômico, acabei achando que além da explicação, teríamos um tempo legal para fazer fotos do céu e até arriscar alguns “light paint”.

Não tivemos este tempo, e, como este era nosso último dia no Atacama, não tivemos outra oportunidade para fotografar o céu estrelado. 😢

Durante o tour até fizemos uma tentativa. Depois que rolou o lanche e vimos que realmente não teríamos a oportunidade de fotografar as estrelas, fomos rapidinho para onde aconteceu a primeira parte do tour e, na correria, arrisquei algumas fotos. Mas nenhuma saiu do jeito que planejei… as poucas que salvaram estão ilustrando este post.

Bom, de certa forma, esse é um bom motivo para retornar 😅


E a foto que a agência tira ao final do tour? Bom, como saímos de perto do grupo para fotografar o céu, acabou que a agência fez as foto sem a gente mesmo…


Conclusão

Independente de não termos conseguido fotografar, a visão que tivemos do céu estrelado lá no tour foi algo que nunca vimos na vida! A via láctea parecia até desenhada de tão perfeita. E as explicações do guia, apesar dos contratempos, foram interessantes.

Se a sua intenção é somente participar de um tour noturno sem gastar muito, acredito que a Atacama Desert Stargazing oferece um bom tour (só não se atrase! 😂)

Agora, se você quer fotografar, procure um tour mais especializado. Provavelmente este serviço sairá mais caro, mas certamente vale o investimento!


Indicação

Apesar de não termos feito o tour com a empresa Volcan Panire, pelas avaliações do TripAdvisor e redes sociais, dá pra perceber que a empresa oferece um tour fotográfico de 4 horas bem interessante.

Caso você faça o passeio com esta empresa, deixe um feedback pra gente depois. E caso você já tenha feito este tipo de tour fotográfico com outras empresas, conte como foi aqui nos comentários! 😉


Não deixe de conferir os outros posts sobre o Atacama:


Programe sua viagem com a gente!

O Viajando na Janela faz parte de alguns programas de afiliados que auxiliam na manutenção do blog. Se você quiser ajudar, faça a sua reserva através do banners abaixo! Você não pagará nada a mais por isso e nós receberemos uma pequena comissão! Agradecemos de ❤

Reserve sua hospedagem no Atacama pelo Booking!


Faça a cotação do seu seguro viagem com a Real Seguro!

Author

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

2 Comments

  1. Vim aqui descobrir por que vocês não gostaram do tour astronômico mas preciso comentar antes que o blog de vocês tá MUITO bonito, sério, babei! Caprichadaço, parabéns (além das fotos e da modelo, mas essas já elogiei tanto que acabou o estoque de palavras)! Agora sobre o tour: deu FRIO só de ler a quantidade de roupa necessária e deve ser frustrante DEMAIS não ter tempo de tirar foto de algo tão lindo! Bom saber que tem opções diferentes pra não cair na furada, dica muito útil!

    • Flávio Borges Reply

      Oie! Que legal te ver por aqui

      Mas com tantos elogios assim ficamos até sem graça ☺️ rsrs
      Nós também adoramos o 1viagem 2 visões e inclusive já até adicionamos ele no nosso Blogroll 👉 https://viajandonajanela.com/blogroll/.

      Um abraço pra vc e nos vemos em Curitiba.

Write A Comment