Se você está planejando uma viagem a Cusco (Peru) e acabou se perdendo em meio a tantas atrações turísticas com nomes quase impronunciáveis, como Sacsayhuamán ou Ollantaytambo, tenho uma excelente notícia: você acaba de chegar no lugar certo! Neste post vou descomplicar a sua vida e te mostrar três opções (incríveis) de roteiro em Cusco.

O que esperar de Cusco, a antiga capital do império inca?

Antes de mais nada, responda ao Quiz:

Você curte história? Gosta de arquitetura? Ama estar na natureza e fotografar paisagens? Não dispensa um trekking? Se amarra em comer comidas diferentes? Tem interesse em conhecer outras culturas? É fascinado (a) por ufologia?

Este site não é o Buzzfeed, mas se pra alguma dessas perguntas ai de cima sua resposta foi sim, então:

Arrume as malas! Cusco é o destino perfeito para suas próximas férias! 👍🎉🎊✈

E se você respondeu sim para todas, talvez você goste tanto de lá que nem queira voltar mais 😁


Mas o que há em Cusco que a torna tão especial?

Não há dúvidas de que as atrações de Cusco que atraem milhares de turistas todos os anos à cidade são os sítios arqueológicos, que guardam as importantes construções e os artefatos das civilizações inca e pré-inca.

Também pudera! São incontáveis construções colossais, vários templos que os incas ergueram sabe-se lá como, cidades inteiras montadas com blocos de pedra imensos e maciços, sem mencionar que Cusco é vizinha da lendária Machu Picchu!

E, somado a todos os acontecimentos históricos que envolvem Cusco, ainda há o fato de que história inca foi bruscamente interrompida pela colonização espanhola, tornando Cusco uma cidade ainda mais única.

Cusco passou por um processo de mesclagem entre os fortes traços dos povos sulamericanos com a cultura e modo de vida dos espanhóis. E esta miscigenação também acabou se tornando um atrativo a mais para a cidade!

Diante de todo esse contexto, não teria como ser diferente: um roteiro por Cusco e pelas regiões que circundam a cidade, como Vale Sagrado, Vale Sul, Ollanta e é claro, Machu Picchu, nos faz reviver a história e entender o quão grande e poderosa foi a civilização inca!

Leia também: Machu Picchu – 7 macetes que podem salvar a sua viagem


Maasss, apesar de o forte da região ser o turismo histórico, se engana quem acha que Cusco é “somente” uma cidade com ruínas antigas!

Se o seu negócio é aventura, saiba que Cusco também pode te fazer vivenciar experiências incríveis. Por lá você pode desafiar a altitude e o frio para conhecer uma montanha colorida sagrada ou até mesmo encarar a experiência de percorrer uma das rotas mais antigas da América: a desafiadora e deslumbrante Trilha Inca.


E ai? Animado (a) pra conhecer tudo isso? Bora ver como montar um roteiro perfeito para Cusco!

Quanto tempo separar para Cusco?

Esse é o primeiro dilema de todo mundo que planeja conhecer Cusco e a lendária Machu Picchu.

Se você quer conhecer o melhor de Cusco, a primeira dica é: não tenha pressa!

Primeiro, porque a cidade está a mais de 3400 metros acima do nível do mar, então, se você não fizer as coisas em um ritmo mais moderado, poderá passar mal e comprometer um, dois ou até mais dias de viagem.

Essa regra se aplica principalmente aos primeiros 2 dias na altitude, quando a gente ainda não está completamente aclimatado.

Segundo, porque Cusco vai muito além de Machu Picchu, e, como eu já comentei, a região oferece inúmeras opções de passeios que, se forem feitos com mais calma, se transformarão em experiências muito mais interessantes e marcantes na sua viagem.

Separe então pelo menos 5 dias completos para fazer os passeios da cidade, incluindo um bate e volta à Machu Picchu (que não fica em Cusco, mas em uma cidadezinha chamada Águas Calientes)! E, se possível, estenda sua estadia na cidade por 7, 8, 9 ou quantos dias você puder.

Em um roteiro por Cusco, permita-se conhecer melhor toda a história e toda a mística que envolve o lugar. Desacelere e aproveite tudo o que a cidade pode te oferecer!

Tenho certeza que opções de passeios não faltarão para preencher seus dias por lá!

Leia também: Guia completo de Cusco – tudo o que você precisa saber sobre a cidade!


#Dica: SEGURO VIAGEM

Cusco está em uma região de grande altitude, então é bem normal que pessoas que vivem em lugares mais baixos, como a gente, sintam alguns sintomas do vilão chamado “mal da altitude” ou “soroche“.

Os sintomas podem ser dor de cabeça, tontura, vômito, mal estar e outras reações negativas que o corpo apresenta em locais com baixa pressão e pouco oxigênio.

Como eu disse, pegar leve nos primeiros dias, evitando grandes esforços, e tomar um chazinho de folha de coca pode ajudar. Mas conheço pessoas que ficaram bem mal e que tiveram que procurar atendimento médico.

Nestes casos o Seguro Viagem é importantíssimo!

Estando em outro país, sem seguro, você poderá gastar um dinheiro alto com consultas médicas, sem contar todo o stress de ter que procurar atendimento em um local onde as pessoas nem falam português.

Uma boa seguradora poderá te indicar pronto-socorros e hospitais mais próximos e te auxiliar a tornar o seu atendimento bem mais simples. E o melhor, seu contato com ela pode ser feito a qualquer hora do dia ou da noite e, dependendo da seguradora contratada, até mesmo por whatsapp.

Nós não precisamos utilizar o seguro viagem que contratamos (ainda bem!). Mas, quando decidimos a data do mochilão, pesquisamos os preços de seguro pelo site da Real Seguros e da Seguros Promo e fechamos um plano da Assist Card. Nada melhor do que viajar despreocupado!

Se você quer entender melhor como funciona o seguro viagem ou quer dicas para encontrar o mais barato dê só uma olhada no post:

  Seguro Viagem Internacional: Por que contratar e como encontrar o mais barato [clique] 


Vendedoras na porta do sítio arqueológico de Pisac
Vendedoras na porta do sítio arqueológico de Pisac

Confira: 5 bons motivos para viajar de ônibus no Peru


O que fazer ao chegar em Cusco? Providências iniciais

Logo no seu primeiro dia em Cusco, considere separar um tempinho para as seguintes providências:

Faça o câmbio

A primeira coisa que fizemos em Cusco – e que indico que você faça também – foi trocar dinheiro para pagar os passeios, alimentação e comprar uma ou outra bobeirinha.

Nas proximidades da Plaza de Armas tem várias casas de câmbio, mas a melhor cotação que encontramos foi nesta casa de câmbio escondidinha (endereço: Calle Afligidos, ao lado do caja municipal de Cusco)

Troque o voucher para o Trem ou contrate uma van para ir à Machu Picchu

Existem algumas maneiras de se chegar em Machu Picchu, mas as mais comuns são de trem ou de van. Nesta última opção, ainda rola uma pequena caminhada até Águas Calientes, já que a van não chega lá.

Se você optou pelo trem (como a gente), é necessário trocar o voucher que foi gerado no site da Inca Rail ou da PeruRail no momento da sua compra. A Inca Rail e a PeruRail são as duas únicas empresas que fazem este percurso.

Uma das agências da PeruRail fica no Portal de Carnes, 214, Plaza de Armas e abre todos os dias, das 7h às 22h – incluindo feriados.

Já a Inca Rail fica no Portal de Panes, 105, Plaza de Armas e funciona de segunda a sexta das 7h às 22h e sábados, domingos e feriados das 7h-20h.

As duas empresas têm mais agências espalhadas em Cusco e em algumas outras cidades do Peru. Confira os endereços aqui e aqui.

Mas, se você vai de van e ainda não fechou a ida, procure alguma agência que faça o percurso. Nas proximidades da Plaza de Armas você vai encontrar algumas.


Leia mais: Como chegar em Machu Picchu de trem saindo de Cusco [Passo a Passo]


Compre o seu Boleto Turístico

Providência mais do que necessária assim que você chegar em Cusco: comprar o Boleto Turístico.

O Boleto é o “passaporte” para entrar nas principais atrações de Cusco e região, e você pode comprá-lo na COSITUC*, que é o centro de informações turísticas de Cusco.

*A COSITUC fica na Avenida do Sol, 103, próximo à Plaza de Armas e permanece aberta todos os dias das 8h às 18h.

Outra opção é comprar o Boleto nas próprias atrações. Nós compramos na bilheteria do Museo do Sítio Qoricancha.

#Dica: algumas agências de turismo também vendem o boleto, mas se você for comprar, certifique-se de que o preço não está maior do que na COSITUC ou na portaria das atrações.

Existem 4 tipos de Boleto Turístico (e faremos um post detalhando cada um) mas, para os roteiros deste post, considere como a melhor opção o Boleto Geral.

Contrate uma agência para o City Tour

Contrate uma agência para fazer o City Tour (e até mesmo para os demais passeios), caso você ainda não tenha feito isso.

Se você não quiser contratar um City Tour, saiba que dá para fazer todas as atrações de táxi também.

Tambomachay, templo inca destinado ao culto à água
Tambomachay, templo inca destinado ao culto à água

Vale a pena contratar uma agência para os passeios?

Contratar uma agência para os passeios em Cusco é uma questão bem pessoal.

Nós não curtimos muito fazer “passeios turistões” com agências. Quase sempre eles são muito corridos e lotados (já que que a gente não costuma optar por tours particulares, se é que você me entende 😅🤣💸).

Mas em Cusco, como eram muitos pontos turísticos e nós não podíamos perder tempo com deslocamento, optamos por contratar os passeios, e foi uma excelente escolha.

Todos os passeios foram feitos com agências boas, e com ótimos guias.

Crédito para o Fermin, um peruano muito gente fina com quem contratamos todos os tours.

O Fermin foi uma indicação de ouro. Sempre muito educado e solícito, ele agenciou todos os passeios para a gente em Cusco. Se você quiser contratar os tours com ele já deixo a minha indicação! O whats é +51 984 495 553 – apesar de peruano, ele compreende e fala bem o português.

O Fermin agencia passeios em Cusco com as melhores empresas de turismo de lá. Sem contar que, ainda quando estávamos no Brasil, ele nos atendeu por Whatsapp várias vezes, nos ajudando inclusive a montar nosso roteiro de Cusco.

Outra opção bem elogiada em Cusco e que muitos brasileiros procuram é a Peru Grand Travel, uma agência de turismo que oferece vários tipos de pacotes de viagem. No post 7 lugares incríveis para conhecer no Peru, você pode ler um pouco mais sobre a agência.

Se você optar por fazer todos os passeios sem agência, considere então contratar um guia para lhe explicar toda a história que há por trás das atrações. Na porta das atrações é possível encontrar vários.

Garanto que se chegar em lugares como Sacsayhamán ou PukaPukara sem guia, você não vai entender o que se passou no lugar e acabará achando tudo muito sem graça.

Vá por mim, ir sem guia é furada 😉

Detalhe da arquitetura do Templo Qoricancha, que fica em Cusco e era destinando ao culto do Deus Sol.
Detalhe do Templo Qoricancha, que fica em Cusco e era destinado ao culto do Deus Sol.

#1
Roteiro Relâmpago!

Roteiro de 3 dias

Lembra que no começo do post eu comentei que o tempo mínimo necessário para conhecer Cusco são 5 dias, né?

Pois bem, este tempo realmente é o ideal… massssss, como sei que muita gente passa por Cusco rapidinho só pra conhecer Machu Picchu, vou deixar então uma sugestão de roteiro que podemos chamar de “Roteiro Relâmpago”

Mas, repito, só indico este roteiro se realmente seu tempo for contado e não existir nenhuma possibilidade de acrescentar nem 1 diazinho a mais no roteiro, ok?

Observação: Neste roteiro, considero a ida até Machu Picchu de trem. Nos roteiros de 5 e 7 dias dá para ajustar e ir de van, caso queira. 

Com três dias inteiros em Cusco, o Roteiro Relâmpago ficaria assim:

Dia 1– Providências inciais: reservar os passeios; trocar o voucher;
do trem; fazer o câmbio; contratar passeios e comprar o
boleto turístico.
– City Tour.
Dia 2– Tour pelo Valle Sagrado.
– Pegar o trem para Machu Picchu em Ollantaytambo, no
final do dia.
Dia 3– Explorar Machu Picchu.
– Retornar para Cusco.

Detalhes do “Roteiro Relâmpago”

Dia 1 – City Tour

Separe o começo do dia para resolver as providências iniciais e, se sobrar tempo, passeie pela Plaza de Armas.

À tarde faça um City Tour que contemple:

  • Catedral de Cusco
  • Qoricancha
  • Sacsayhuamán
  • Q’enqo
  • Tambomachay
  • PukaPukara
Interior do templo Qoricancha
Interior do templo Qoricancha

Já à noite, escolha algum dos restaurantes nas proximidades da Plaza de Armas para provar a comida peruana.

Se você estiver viajando no modo econômico, sugiro que vá ao Antojitos*. A comida de lá é simples, mas é bem gostosa. Comemos lá algumas vezes e curtimos.
* endereço: Calle Marquez, 284

Mas, caso queira experimentar a comida peruana em um restaurante mais conceituado, saiba que Cusco tem vários excelentes!

Vejo o pessoal elogiando muito o Cicciolina*. Nós não fomos lá, mas se você for, não se esqueça de voltar aqui e nos contar com foi a sua experiência!
*endereço: Triunfo, 393.

Dia 2 – Tour pelo Vale Sagrado e trem para Machu Picchu

Prepare-se! Neste dia você vai conhecer o fascinante Vale Sagrado.

#Dica: Separe uma mochila de ataque só com o essencial para um dia, e deixe seu mochilão ou sua mala no hotel em Cusco. Isso é bem comum por lá, mas sempre mantenha tudo trancado para evitar problemas.

O tour deste dia incluirá Pisac e Ollamtaytambo, duas cidades bem interessantes e que possuem um complexo arqueológico incrível!

Em Pisac, antes de irmos para as ruínas incas, fizemos uma parada com a agência em um lugar bem “pega-turista”. Era uma loja que vendia adereços e enfeites de prata feitos no próprio local.

Tudo muito lindo mas com preços não muito “convidativos”… Mas, se você não quiser gastar muito na loja, mas também não quiser sair da cidade de mãos abanando, há uma feirinha no centro da cidadezinha, onde a gente pode passear um pouquinho e comprar algumas lembrancinhas. Tivemos um tempo livre por lá e foi ótimo!

Ollantaytambo (Ollanta para os íntimos) ganhou meu coração! As ruínas de lá formam paisagens surreais! Sem contar que nas montanhas que protegem o vale onde a cidade se encontra, foram entalhados rostos gigantescos pelo incas. Impressionante!

A cidade também é naquele estilo bem simples, mas muito agradável e oferece um monte de trilhas e passeios até ruínas secretas. Em uma volta ao Peru, certamente quero passar algumas noites por lá.

Cholas andando com uma lhama no centro de Cusco
Cenas comuns no dia a dia de Cusco

#Dica: algumas agências oferecem o tour de Maras e Moray + Valle Sagrado. Na minha sincera opinião, isso é furada. Não vale incluir este tanto de atrações em um dia só. Você vai passar correndo em muitos lugares, e no final não aproveitará nada.

No final do passeio, ao invés de retornar para Cusco com os grupo, fique em Ollantaytambo e pegue o trem para Águas Calientes na estação.

Dia 3 – Machu Picchu e retorno a Cusco

Tenho certeza que antes mesmo de pensar em conhecer o Peru, você já sonhava com o dia em que visitaria a famosa cidade perdida dos Incas. Então aproveite, chegue cedo e curta cada instante em Machu Picchu!

Seis horas da manhã é o horário que o Parque de Machu Picchu abre e às 5:30 sobe o primeiro ônibus com os sonolentos turistas. Sugiro que você embarque nele 🙂

#Dica: Você pode chegar na portaria de Machu Picchu de ônibus ou à pé. A segunda opção é extremamente cansativa e, se você não tiver um físico de atleta, chegará morto (a) lá em cima, já que terá que subir muitos e muitos degraus. Minha sugestão é: suba de ônibus, aproveite o lugar com 100% de fôlego e depois, se quiser conhecer o caminho que é feito à pé, volte pelas escadarias ao invés de pegar o ônibus.

Após percorrer todos os caminhos de Machu Picchu, tirar um milhão de fotos com lhamas fofas e quem sabe se aventurar nos altos degraus de Huayna Picchu. É hora de retornar para Águas Calientes e pegar o trem de volta à Ollantaytambo (ou Poroy ou Urubamba, que são outras duas cidades de onde saem trens para Machu Picchu).

Detalhe importante: Se você voltar por Ollantaytambo (como nós fizemos), o transfer de volta para Cusco pode ser contratado em um local logo na saída da estação de trem. Nós preferimos deixar o transfer de volta agendado também com o Fermin.

Na portaria de Machu Picchu há um local onde você pode um carimbo do Parque no passaporte
Na portaria de Machu Picchu há um local onde você pode incluir este carimbo lindão no passaporte

#2
Roteiro Histórico

Roteiro de 5 dias

Vamos para o próximo roteiro, que foi o que fizemos no mochilão.

Neste roteiro, nós priorizamos os parques arqueológicos e ruínas históricas, mas se você quiser, poderá adaptar o roteiro do seu jeito e substituir um dia de passeio pelo trekking da Montanha Colorida (também chamadas de Rainbow Montain) ou ir conhecer a famosa (e linda) laguna Humantay.

Nosso roteiro foi de 5 dias, mas ainda assim bastante coisa ficou de fora 😐. (Tudo bem! Motivo pra retornar, né?)

Dia 1
– Providências inciais: reservar os passeios; trocar o
voucher do trem; fazer o câmbio; contratar passeios;
e comprar o boleto turístico.
– City Tour.
(* igual ao primeiro dia do roteiro #1.)
Dia 2
– Tour pelo Vale Sur.
– Passear nos mercados de Cusco
Dia 3
– Tour pelo Valle Sagrado.
– Pegar o trem para Machu Picchu em Ollantaytambo, no
final do dia.
(* igual ao segundo dia do roteiro #1.)
Dia 4
– Explorar Machu Picchu.
– Retornar para Cusco.
(* igual ao terceiro dia do roteiro #1.)
Dia 5

– tour passando por Chinchero, Maras e Moray.
– comprar lembrancinhas ou visitar algum museu de Cusco.

Detalhes do Roteiro Histórico

Você deve ter reparado pelo resuminho acima que alguns dias serão iguaizinhos aos do primeiro roteiro. Então vou detalhar os dias 2 e 5, que possuem atividades diferentes, ok?

Canal de irrigação inca em Tipón
Canal de irrigação inca em Tipón

Dia 1 – City Tour

Igual ao primeiro dia do Roteiro #1.

Dia 2 – Valle Sur

O Valle Sur não costuma aparecer muito nos roteiros dos viajantes que passam por Cusco mas, se você quiser conhecer as antigas construções pré-incas e se aprofundar ainda mais nas intrigantes e engenhosas construções, vale a pena adicioná-lo na sua lista.

Por este motivo, para fugirmos do óbvio, o Valle Sur foi nosso segundo passeio neste Roteiro Histórico!

Neste dia conhecemos:

  • Tipón – sítio arqueológico inca
  • Pikillacta – sítio arqueológico pré-inca
  • Igreja de Andahuaylillas

No caminho entre Tipón e Pikillacta ainda fizemos uma parada em uma padaria para provar um pão peruano diferente chamado “Chuta”.

O Tour do Valle Sur não possui duração de um dia inteiro, então acabará sobrando algum tempo no final da tarde para que você possa passear em Cusco.

Então, neste tempo que sobrar, sugiro que vá conhecer um lugar que vai te mostrar realmente como é a vida e a cultura do povo cusquenho: o Mercado Central de San Pedro.

Como todo bom mercado municipal, lá você vai encontrar de tudo!

Tem um setor de artesanatos, outro para venda de hortifruti, outro para comidas, um só para carnes e miúdos (eca!) e também local específico para produtos místicos, como fetos de lhamas mumificados, velas, amuletos e poções mágicas.

O Mercado fica praticamente colado na Plaza de Armas, mas mesmo assim são poucos os turistas que vão até lá.

#Atenção: o Mercado costuma ficar bem cheio. Tome bastante cuidado com bolsas, mochilas, carteiras, máquinas fotográficas, celulares e tudo que pode ser alvo de furto. Nós nos sentimos bem seguros por lá, mas, nunca se sabe né?

Dia 3 – Vale Sagrado

Igual ao segundo dia do Roteiro #1

O Sítio Arqueológico e a cidade de Ollantaytambo
O Sítio Arqueológico e a cidade de Ollantaytambo

Dia 4 – Machu Picchu

Igual ao terceiro dia do Roteiro #1

Dia 5 – Maras e Moray

Antes de viajar, eu achava que Maras e Moray eram um único lugar 😅.

Mas não, Maras e Moray são lugares bem diferentes um do outro haha.

Maras é uma cidade que fica a 40 quilômetros de Cusco, bem pequenininha, mas que possui uma salineira formada por mais de 4 mil poços de sal empilhados na encosta de um grande vale. Esse local atrai a atenção de praticamente todos os turistas que passam pela região, por isso os tours para lá são bem comuns.

Por sua vez, Moray não é uma cidade, mas sim um sítio arqueológico.

Segundo teorias científicas, os incas utilizavam as construções para estudar técnicas de cultivo para melhorar a qualidade das colheitas.

Há quem diga que para construir as curiosas e perfeitas formas arredondadas os incas tiveram ajuda de extraterrestres!!! 👽

Bom eu não sei se foram incas ou se foram os ETs, mas, vendo a grandiosidade de tudo aquilo não tem como não se impressionar!

Os gigantes campos agrícolas de Moray
Os gigantes campos agrícolas de Moray (repare no tamanho das pessoas lá embaixo!)

Neste tour a gente fez uma parada em Chinchero, um povoado inca que ainda mantém muitas das tradições de seus antepassados.

Além de Maras e Moray, passamos rapidamente por Chinchero, onde vimos uma demonstração de como é a produção totalmente artesanal de lã de alpaca e lhama.


Já escolheu seu hotel em Cusco? Confira aqui as melhores opções do Booking!


#3
Aventura pelos caminhos Incas

Roteiro de 7 dias

Nesta última opção, minha sugestão é que você mescle todos os passeios históricos do Roteiro #2 com a ida até a Montanha Colorida e o trekking da Laguna Humantay, dois passeios relativamente novos em Cusco, mas que já conquistaram todos aqueles que amam natureza e paisagens memoráveis.

Este roteiro vai exigir um pouco de esforço e principalmente de fôlego, mas nada que você não dê conta. Pode apostar! 😉

Dia 1
– Providências inciais: reservar os passeios; trocar o
voucher do trem; fazer o câmbio; contratar passeios;
e comprar o boleto turístico.
– City Tour.
(* igual ao primeiro dia do roteiro #1.)
Dia 2
– Tour pelo Vale Sur.
– Passear nos mercados de Cusco
(* igual ao segundo dia do roteiro #2)
Dia 3
– Trekking até a Montanha Colorida (ou Vinicunca)
Dia 4
– Tour pelo Valle Sagrado.
– Pegar o trem para Machu Picchu em Ollantaytambo, no
final do dia.
(* igual ao segundo dia do roteiro #1)
Dia 5

– Explorar Machu Picchu.
– Retornar para Cusco.
(* igual ao terceiro dia do roteiro #1)
Dia 6– tour passando por Chinchero, Maras e Moray.
– comprar lembrancinhas ou visitar algum museu de
Cusco.
(* igual ao quinto dia do roteiro #2)
Dia 7 – Trekking até a Laguna Humantay
Sítio Arqueológico Sacsayuamán, em Cusco
Sítio Arqueológico Sacsayuamán

Detalhes do Roteiro “Aventuras pelos caminhos Incas”

Dia 1 – City Tour

Igual ao primeiro dia do Roteiro #1.

Dia 2 – Vale Sur

Igual ao segundo dia do Roteiro #2.

Dia 3 – Montanha Colorida

Agora que já se passaram os dois dias mais críticos para a aclimatação, embarque em um passeio com muitas paisagens de tirar o fôlego (literalmente 🤣), até um lugar que há aproximadamente 3 anos eram raros os turistas que conheciam. Conheça Vinicunca, também chamada de Montanha Colorida pelos brazucas ou Rainbow Mountain pelos gringos.

Curtiu o nome? A Montanha é chamada assim porque minérios tingem a sua superfície com várias cores diferentes!

Imagine só uma montanha toda listrada de vermelho, roxo, turquesa, dourado, amarelo… lindo demais!

Os passeios saem bem cedo, entre 03h30 e 05h da madruga. As vans chegam no início da trilha mais ou menos às 9horas e o passeio todo, trekking + curtir o visual, dura cerca de 6 horas.

O percurso total (ida e volta) tem por volta de 14,5 km, mas o que dificulta um pouco (nem tão pouco assim 😂) é a altitude. A trilha varia dos 4450m aos 5100m.

Confira maiores informações deste passeio pelo relato da Aline, do Blog Uma Sul Americana: Montanha colorida do Peru – Conheça a Vinicunca (Rainbow Montain)

Dia 4 – Vale Sagrado

Igual ao segundo dia do Roteiro #1.

Ruínas de Pisac
Ruínas de Pisac

Dia 5 – Machu Picchu

Igual ao terceiro dia do Roteiro #1.

Dia 6 – Maras e Moray

Igual ao quinto dia do Roteiro #2.

Dia 7 – Laguna Humantay

Vamos terminar este roteiro de 7 dias por Cusco e arredores em grande estilo? É hora de vencer uma trilha de 7 km com algumas subidas (nem tão poucas assim 😂) mas que te levarão a uma laguna verde/azul e com alguns pontos com tonalidade amarela (devido à presença de óxido de cobre na água).

Assim como o trekking até a Montanha Colorida, o tour até a Laguna Humantay dura o dia todo. Certamente você chegará exausto (a) do passeio, mas também não tenho dúvidas de que este será um dia inesquecível!

Conheça todos os detalhes do trekking até a Laguna Humantay no divertido post do Blog Em Algum Lugar no Mundo: Laguna Humantay: Como é o passeio saindo de Cusco – um relato sincero – e cansado – de como é o passeio até esse lindo lago peruano.


Se mesmo depois de todas estas trilhas você ainda quer um roteiro com mais trekking e aventura, então esqueça a van e o trem e considere ir à Machu Picchu pela Trilha Salkantay.

A Nange e a Camila, do Blog Vida Sem Paredes, toparam esse desafio, venceram a trilha de 5 dias e fizeram um relato sobre a experiência. Confira aqui: Relato da Salkantay


Curtiu as opções de roteiro? Tem alguma dúvida ou alguma sugestão? Compartilhe com a gente nos comentários! Se não pudermos ajudar, certamente algum outro viajante ajudará.


Leia Também:


Sua Viagem:

Hospedagem em Cusco

Nós sempre utilizamos o Booking para programar as nossas viagem!

Confira abaixo as melhores opções de hotéis em Cusco com o Booking!

Aluguel de carro:

Se for alugar um carro, confira as facilidades da RentCars:

Este post contém alguns links de afiliados. Reservando com nossos parceiros, você garante o melhor serviço, consegue o menor preço e ainda ajuda na manutenção do Viajando na Janela (e sem pagar nem um centavo a mais pra isso!) 😉

Escrito por

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

14 Comentários

  1. Amanda Cardoso Responder

    Boa noite!
    Tudo bem?
    Estamos em contato com o Fermin, e estamos meio com um pé atrás, pois ele pediu um adiantamento para comprar o ingresso de Machu Picchu e os ingressos do trem. Você acha tranquilo mandarmos dinheiro antes para ele?
    Obrigada!

    • Flávio Borges Responder

      Olá, Amanda

      Pela experiência que tivemos com o Fermin, ele se mostrou muito confiável. Então, não vejo problemas de você mandar o dinheiro. Até porque ele vai precisar do valor para comprar os ingressos e passagens. (Lembrando que tanto no ingresso, quanto na passagem constarão os seus dados pessoais)

      Abraços

  2. Bruna Annunciato Responder

    Olá, acabei de voltar do Peru e gostaria de dizer que o Blog me ajudou muito a planejar várias coisas, inclusive peguei o contato do Fermin por aqui!
    Não me arrependo de ter fechado todos os passeios com ele, pq além de ficar mais em conta, ele é super prestativo. Só gostaria de acrescentar para quem está pensando em fechar com ele, que é importante pegar no pé em relação a organização. Talvez pq o nosso grupo era um pouco maior do que ele está acostumado, tive que ser insistente em relação a horários de saída e de onde saia (alguns vinham nos buscar no hostel).
    Também verifiquem muito bem os papéis e horários que ele entrega e de preferência marquem com um marca texto (como ele nos entregou os papéis misturados, acabamos perdendo o trem para águas calientes).

    Apesar dos imprevistos, ele é um cara super bacana e do bem. Espero que os negócios dele cresçam muito! (mas para isso é necessário que a gente faça o nosso papel de exigir as coisas).

    Abraços!

    • Flávio Borges Responder

      Olá, Bruna!

      Fico bem feliz que nosso blog tenha te ajudado! 🙂
      Quanto aos serviços do Fermin, nós não tivemos qualquer problema deste tipo com ele. Com a gente ele foi bem organizado, sempre avisava sobre horários e passeios, e no final nem nos preocupamos. Pode ser que você tenha ido em uma época mais cheia e ele tenha se embaralhado por causa do número de pessoas…

      Agradeço de coração o seu retorno e espero de coração que a questão do trem não tenha te prejudicado.

      Abraços!

  3. Bom dia Flávio, vou em setembro para ficar 6 dias. Também estou em contato com o Fermin. Entre guia e passeios qual valor médio de gastos? Vale a pena dormir em Águas Calientes?
    Qual valor total que gastou em sua viagem?

    • Flávio Borges Responder

      Em Cusco fizemos:
      City Tour: 25 soles por pessoa (+ou- 26 reais)
      Vale Sur: 35 soles por pessoa (+ou- 36 reais)
      Valle Sagrado: 70 soles por pessoa (+ou- 72reais)
      Maras e Moray: 35 soles por pessoa (+ou- 36 reais)

      Pagamos a parte:
      Entrada no Templo de Qorikancha: 15 soles por pessoa (+ou-16 reais por pessoa)
      Boleto turístico: 130 soles por pessoa (+ou- 138 reais por pessoa)
      Entrada em Maras: 10 soles por pessoa (+ou- 10,50 reais por pessoa)

      Fizemos Machu Picchu por conta própria (sem a ajuda do Fermin). Os nossos gastos com Machu Picchu estão neste post (clique).

      A estimativa do valor total da viagem nós (ainda) não temos. Nesta viagem fizemos Chile, Bolívia e Peru de uma vez.

      Quanto a dormir em Águas Calientes, eu acho que vale a pena sim. Mesmo que você não faça Machu Picchu no primeiro horário da manhã, dormindo lá você consegue fazer tudo com mais tranquilidade.

      Espero ter ajudado

      Abraços!

  4. Amei as dicas de vocês! Vou à Cusco em julho, vou seguir basicamente seu roteiro, com uma possível alteração… acho que a montanha colorida é muito puxada para meu grupo…ouvi dizer que Puno vale muito à pena… será que conseguiríamos fazer um passeio lá ao invés da Montanha colorida?

    • Geisiele Carvalho Responder

      Olá Maria Lúcia, tudo bem?
      Fico muuuito feliz que tenha gostado!
      Existem alguns passeios novos nos arredores de Cusco que foram anunciados essa semana, e um deles é bem semelhante à Montanha Colorida, porém com acesso mais fácil, segundo o site é apenas uma hora de caminhada! Caso se interesse pode ver mais informações aqui e aqui.

      Sobre Puno: a cidade fica a quase 390km de distância de Cusco (pouco mais de 6h de ônibus ou 10h de trem). O ideal seria ficar mais tempo por lá ou pegar um ônibus noturno tanto pra ida quanto pra volta, e fazer o passeio durante o dia, o que eu acho que ficaria bastaaante cansativo..

      Um abraço!

  5. Raquel Bertholdi Nijenhuis Responder

    Eu conversei com o Firmin agora há pouco pelo whats e ele me fez um roteiro, que está bem abaixo do valor que iriamos pagar! Também fiquei com o pé atras com ele, mas o cara é super gente boa e vocês indicando, acho que posso confiar né?

    • Flávio Borges Responder

      Olá, Raquel!

      Pode confiar no Fermin. Ele é super prestativo e vai te ajudar com o necessário para que tudo corra bem na sua viagem.
      Mande um abraço a ele por mim. 😉

      Abraço!

  6. Raquel Bertholdi Nijenhuis Responder

    Melhor guia e dicas!!

    Estou pegando o roteiro 100% seu! E estou adorando!!!!

    • Flávio Borges Responder

      Que ótimo que está ajudando, Raquel!

      Em breve teremos mais posts 🙂

      Abraços

  7. Luan Kozlowski Responder

    Bom dia Flavio! Irei viajar para o Peru agora em Maio e estou em contato com o Fermin para gerenciar alguns passeios. Minha namorada ainda esta meio em duvida em relação aos serviços dele!

    Existe a possibilidade de voce me relatar como foi a experiência com ele? E quanto que saiu mais ou menos o valor dos passeios?

    Muito obrigado pela atenção! Excelente post sobre Cusco!

    Atenciosamente,

    Luan Kozlowski Nogueira

    • Flávio Borges Responder

      Fala Luan! Tudo firmeza?

      Com relação ao serviço do Fermin, nós curtimos bastante e por isso indicamos.

      Pegamos o contato dele em um grupo de mochileiros no whats e no começo também ficamos meio com o pé atrás. Mas o cara sempre se mostrou disposto a ajudar, mesmo quando ainda estávamos no Brasil montando o roteiro. Eu cheguei até a mandar algumas perguntas sobre Cusco pra ele que sempre respondia numa boa. (Ele fala espanhol, mas dá pra conversar tranquilamente em português).
      Quando chegamos em Cusco, ele foi nos encontrar no hotel em que estávamos (Casa Campesina), lá fechamos os detalhes do passeio.
      O Fermin agencia os passeios para uma empresa de Cusco, mas sempre está disponível para tirar dúvidas ou ajudar no que for necessário durante os tours.
      Os tours seguem aquele padrão de passeios em grupo. Nós não curtimos muito passeios assim, mas achamos que valeu a pena pela comodidade de ter transporte e também um guia para explicar a história por trás de cada sitio arqueológico.
      Os passeios CityTour + Vale Sul + Vale Sagrado + Maras e Moray custava 400 soles, mas pedimos um descontinho e ele abaixou um pouco (só não me recordo o valor exato).
      Se vocês optarem por fechar com ele, falem que eu indiquei ele pra vocês e peçam um desconto. Quando estávamos lá ele disse daria desconto para os leitores do Blog.
      Abraços!

Escreva um comentário