Um lago imenso com praias de areias negras, um vulcão ativo e cachoeiras com águas azuis-turquesa. Você não vai querer deixar Pucón (Chile) de fora do seu roteiro, não é mesmo?

Pucón, no Chile, é um destino bastante procurado no verão por causa das várias opções de atividades ao ar livre que a cidadezinha proporciona.

Muitos turistas aproveitam os dias ensolarados e com temperaturas mais elevadas para pegar um sol nas areias negras do lago Villarrica, praticar esportes aquáticos, explorar as florestas verdes que rodeiam a região ou mesmo se aventurar até o topo do vulcão Villarrica.

Já no inverno, que é considerado período de baixa temporada, alguns passeios ficam comprometidos e o frio intenso acaba espantando grande parte dos turistas.

Mas saiba que mesmo neste período mais frio Pucón pode (e deve) ser visitada.

O frio realmente pode atrapalhar uma ou outra atividade, mas em compensação possibilita várias outras.

Enfeite nas ruas de Pucón

Pucón, Chile: Prós de ir no inverno

Você gosta de neve?

Então esta será a maior vantagem de ir a Pucón no inverno.

Pucón está quase 800 km ao sul de Santiago e o frio por lá é bem mais intenso que na capital chilena.

Já em meados de junho a neve começa a dar as caras e em julho inicia-se a temporada de esqui.

Neste período, o Centro de Ski Pucón, que fica na encosta do vulcão Villarrica, recebe turistas do mundo todo e disponibiliza pistas avançadas e também para iniciantes.

Outro ponto que faz toda diferença no inverno são os preços da cidade. Como o inverno é baixa temporada, as estadias, agências de turismo e restaurantes oferecem preços bem mais camaradas.

Pucón, Chile: Contras de ir no inverno

O grande inconveniente do inverno em Pucón são as chuvas.

No período entre meados de abril e início de agosto o índice pluviométrico da região vai lá pra cima e a chuva pode comprometer alguns dias do seu passeio.

Na nossa rápida passagem de 2 dias por Pucón, uma chuvinha insistente deu as caras e acabou atrapalhando um pouco o nosso roteiro. Mas o pior foi que durante todo o período que ficamos na cidade as nuvens carregadas encobriram o Vulcão Villarrica e não conseguimos vê-lo nenhuma vez sequer!

Quem já conhece Pucón sabe que de qualquer ponto da cidade dá para ver o gigante vulcão. Não conseguir ver nem um pedacinho dele foi um azar muuuito grande!

Este é um bom motivo para retornarmos…


O que fazer em Pucón no inverno?

Se mesmo com a possibilidade de enfrentar dias fechados, sua escolha (ou única alternativa) é ir no inverno, não se preocupe! Há muito o que ver e fazer em Pucón neste período.

Descubra neste post 5 atividades para serem incluídas em uma viagem à Pucón no inverno, além de dicas importantes para sua viagem!

1. Passear pelo centro da cidade

A cidadezinha de Pucón é um charme que só vendo!

O clima do lugar é tranquilo, muitas das construções são de madeira, a cidade é limpíssima e restaurantes e cafeterias se espalham por todos os lugares.

Em um dia (talvez até meio) dá para fazer um city tour por Pucón, conhecer os principais pontos turísticos da cidade e ainda tomar um (ou mais) chocolate quente.

Na Avenida Bernardo O’Higgins, uma das principais da cidade, existem muitas agências de turismo, restaurantes, lojinhas, bares e o famoso semáforo de alerta vulcânico.

Estivemos em Pucón em julho de 2015. Como em março o Vulcão tinha entrado em erupção, o semáforo de alerta vulcânico ainda estava no amarelo.

Semáforo de Alerta Vulcânica de Pucón, Chile

Outra coisa imperdível para fazer na cidade, seja no inverno, seja no verão, é tirar um tempinho para dar uma volta no entorno do lago Villarrica (que recebe o mesmo nome do vulcão) e conhecer as famosas praias de areias negras.

A cor da areia é uma atração à parte e se deve às várias erupções do vulcão Villarrica, que é o mais ativo da América do Sul.

Quer mais uma opção? Experimente fazer um tour de barco pelo lago.

Nós separamos praticamente um dia todo para passear por Pucón.

2. Esquiar no Vulcão Villarrica

Pra quem pretende esquiar no Chile (ou praticar snowboard), mas quer fugir das estações badaladas (e caras!) de Santiago, Pucón é uma excelente alternativa.

O Centro de Ski de Pucón não tem uma estrutura tão boa quanto as estações famosas da capital como Valle Nevado ou Farellones, mas ainda assim garante uma experiência incrível na neve!

Vulcão Villarica
Vulcão Villarrica, Pucón (Chile)
Foto por Tak – licença Creative Commons


A estação conta com 20 pistas para vários níveis de esquiadores e, pra quem nunca esquiou, existe também uma escola de esqui. (Vale a pena pegar umas aulas, falo por experiência própria 😂)

As pistas de esqui se distribuem pela encosta do vulcão e possuem uma vista linda para os lagos andinos!

Você pode optar por alugar os equipamentos nas agências da cidade (modo mais barato) ou na estação de esqui (modo mais caro).

Se esquiar não é pra você, que tal aproveitar o Villarrica de outra forma? Você pode optar por uma atividade mais light, como fazer uma caminhada pela encosta do vulcão com raquetes de neve e vislumbrar toda a paisagem maravilhosa que se tem lá do alto.

Para chegar no Vulcão, há a opção de ir com agência ou por conta própria, de carro próprio ou alugado. A estação fica a 20 minutinhos saindo de Pucón.

Dica: Seguro Viagem

Seguro Viagem é um item essencial para qualquer viagem no exterior e em viagens com atividades um pouquinho mais “arriscadas” (como esquiar vulcão abaixo rsrs), a sua importância dobra!

Estar coberto(a) por um bom seguro viagem pode te fazer economizar muito com eventuais atendimentos médicos, além de te deixar mais tranquilo(a) com relação a problemas como extravio de bagagem ou atrasos e cancelamentos de voos.

Nós sempre optamos por comparar os preços de seguros nos sites da Seguros Promo e da Real Seguros.

Depois de fazer uma pesquisa, avaliamos os planos, escolhemos um seguro que nos atenda e viajamos tranquilos!

Faça a cotação com a Seguros Promo aqui (utilize o cupom NAJANELA5 e ganhe 5% de desconto / pague no boleto e ganhe mais 5%!).

Faça a cotação com a Real Seguros aqui.

(Importante: Se você pretende esquiar, antes de fechar o seguro, confira se ele cobre “prática de esportes”)

3. Relaxar nas Termas Geométricas

Depois de um ou mais dias descendo as pistas do Villarrica, provavelmente você estará super cansado(a).

Neste caso, nada melhor do que curtir um relaxante banho termal!

Termas Geométricas (Pucón, Chile)
Termas Geométricas
Foto por Bitacora D. – licença Creative Commons

As Termas Geométricas são piscinas naturais formadas por águas vulcânicas quentinhas que variam entre 35º e 45ºC e que possuem em suas composições diversos tipos de minerais.

A soma destes fatores faz com que a experiência de ficar de molho nas águas renove as nossas energias e nos relaxe completamente.

As termas ficam a 80km de Pucón, e apesar da distância, é um passeio super aconselhável.

As 20 piscinas do complexo são acessadas por uma passarela de madeira pintada de vermelho, cuja cor contrasta com o verde vivo da vegetação que encobre todo o local.

Quer saber do melhor? Passear nas Termas no verão é bem legal, mas se você for no inverno e der a sorte de pegar neve por lá, viverá uma experiência inesquecível!

Você encontrará bastante informações sobre as termas geométricas neste post do Viaje na Viagem.

4. Se encantar com Ojos del Caburgua

Curte passeios em meio à natureza?

Se sim, Ojos del Caburgua deve entrar no seu roteiro com certeza absoluta!

Uma das cachoeiras de Ojos de Caburgua (Pucón, Chile)
Uma das cachoeiras de Ojos del Caburgua (Pucón, Chile)

Os famosos Ojos del Caburgua são um conjunto de cachoeiras e lagos formados por águas com tonalidades azul-turquesa e verde-esmeralda, que podem ser visitados tanto no inverno quanto no verão.

O fator determinante da cor viva da água é a luz do sol. Então, torça para que quando você for São Pedro colabore e te presenteie com um lindo dia ensolarado!

As quedas estão dentro de uma propriedade particular, sendo necessário pagar a entrada (1500 pesos por pessoa).

Para chegar nas passarelas que levam às cachoeiras é necessário fazer uma pequena caminhada bem levinha.

As cachoeiras ficam em meio a uma floresta fechada, repleta de árvores bem grandes e com raízes grossas expostas. Todas as quedas são conectadas por uma trilha em formato circular.

Não se pode tomar banho nessas cachoeiras, mas no inverno você nem vai pensar nisso 😂

Nós optamos por ir de ônibus, já que o percurso é super fácil e fica bem em conta (1800 pesos por pessoa, ida e volta).

Pegamos o ônibus no ponto de partida da linha (na rua Uruguay, 540, quase em frente ao terminal de ônibus da empresa JAC). O primeiro ônibus sai às 8h30, depois disso, a cada meia hora tem um partindo.

Uma dica necessária: se você também optar por ir de ônibus, diga ao motorista que irá descer nos Ojos del Caburgua que ele te avisará quando chegar.

5. Caminhar no Parque Nacional Huerquehue

A pouco mais de 30 km de Pucón está um paraíso para quem ama trekking.

O Parque Nacional Huerquehue, um dos mais antigos do Chile, não decepciona no quesito “trilhas incrivelmente lindas” ou no de “paisagens de tirar o fôlego”.

O Parque fica em uma reserva ambiental repleta de araucárias típicas da região, lagos, cachoeiras e possui circuitos de trilhas de vários níveis.

Algumas trilhas são recomendadas somente para os mais experientes (como a Sendero San Sebastian), outras podem ser percorridas por pessoas que qualquer idade, como é o caso da Sendero Ñirrico.

Uma das trilhas mais percorridas no Parque, a Los Lagos, é classificada como de “nível médio”, possui 12 km de extensão e pode ser percorrida em 5 ou 6 horas.

Parque Nacional Huerquehue -  Pucón, Chile
Parque Nacional Huerquehue – Pucón, Chile
Foto por Maximiliano M. – licença Creative Commons

Nesta trilha você passará por duas cachoeiras lindas, a Nido de Águilas e Trufulco. Também encontrará pelo caminho 5 lagos e 2 mirantes, onde é possível contemplar a imponência do Vulcão Villarrica.

Apesar de muitas agências de turismo de Pucón oferecerem passeios para o Parque Huerquehue, é muito tranquilo chegar lá por conta própria.

Neste post do Vida Sem Paredes estão todas as informações para você chegar no Parque e também dicas sobre as trilhas.


Agora que você já sabe o que fazer em Pucón nos dias mais frios, confira algumas dicas extras sobre a cidade!


Onde ficar em Pucón?

Frio combina com cobertor e com uma lareira bem quentinha. E em Pucón você encontrará várias opções de hospedagem super confortáveis para os dias e principalmente para noites de inverno.

Para mim, na hora de escolher onde ficar em Pucón, um dos principais fatores a serem considerados é a distância do lugar escolhido para o centro da cidade.

Isto porque Pucón é uma cidade pequenininha e praticamente todo o comércio fica no entorno do centro, e ficando em lugares mais distantes você não terá certas comodidades.

É lá no centro de Pucón que você encontrará restaurantes, lavanderias, agências de turismo, mercados, casas de câmbio e outros.

Se estiver com um carro alugado, a distância não será problema e você poderá escolher algum hotel ou cabana mais afastada do centro ou até mesmo da cidade.

Muitos destes lugares mais longes estão localizados em meio a florestas lindas ou no entorno do lago Villarrica, o que pode ser um ponto muito positivo!

Mas se você estiver à pé, procure se hospedar o mais próximo do centro possível para não ter que ficar se preocupando com transporte.

Vulcão Villarrica
Por Ninho de Jiripoca

Orçamento é outra coisa a se considerar na hora da escolha, é claro.

Se você estiver disposto (a) a pagar mais por uma boa diária, encontrará hotéis incríveis, não tenha dúvidas disso.

Mas se sua viagem for no modo econômico, fique tranquilo (a). A cidade também dispõe de hotéis/hostels mais simples, mas que também são confortáveis, além de cabanas com excelentes estruturas.

Por fim, o último ponto que deve pesar na sua escolha: fique atento se hotel dispõe de sistema de calefação, algo que pode fazer toda a diferença no inverno rigoroso da região.

Onde ficamos em Pucón: Cabañas Mapulay

Quando estivemos em Pucón, nos hospedamos em um lugar bem legal e que realmente indicamos: nossa escolha foram as Cabañas Mapulay.

Onde ficar em Pucón, Chile
Foto divulgação Booking

Estas cabanas, que ficam no centro da cidade, possuem um estilo mais rústico, mas são bem aconchegantes.

Tanto a água, quanto o ambiente possuem aquecedor, os cobertores são fofinhos e quentinhos e, para os dias de calor, há até uma piscina disponível na hospedagem.

Nas Cabañas Mapulay não é servido café da manhã, mas em compensação os chalés e apartamentos possuem cozinhas equipadas e do outro lado da rua existe um supermercado. Você pode comprar algumas coisinhas e tomar um café da manhã gostoso (e econômico!).

Reserve pelo Booking


Onde ficar em Púcon: mais opções

Hostal Buena Tierra

Com um notão no booking (9,0), o Hostal Buena Tierra está a pouco mais de 200 metros da Avenida Bernardo O’Higgins. Ou seja, fica localizado bem no centro de Pucón e próximo a tudo o que um viajante precisa.

O Hostal possui quartos individuais e para casais, todos com banheiro privativo.

Também dispõe de café da manhã, calefação nos quartos e wi-fi.

Reserve pelo Booking

Onde ficar em Pucón, Chile
Foto divulgação Booking

Onde ficar em Pucón, Chile
Foto divulgação Booking

Lounge Brasil Hostería Boutique

Pelo nome já dá pra ver que nós, brasileiros, somos bem vindos nesta hospedagem, né? Talvez por isso chovam avaliações positivas de brazucas na página deles do Booking.

O Lounge Brasil tem todo um estilo próprio. Os ambientes (inclusive os quartos) tem uma decoração minimamente pensada, e alguns cômodos chamam a atenção com suas cores vibrantes.

O café da manhã desta hospedagem é bastante elogiado pela variedade e opções saudáveis.

Reserve pelo Booking


Aldea Naukana Posada Boutique

Esta pousada também é uma opção bem procurada em Pucón por brasileiros!

Com 10 quartos em estilo rústico e diferentes entre si, a Aldea Naukana é uma escolha para quem quer se hospedar em um local realmente tranquilo e bonito.

Dos quartos disponíveis, alguns dão vista para o jardim e outros para o gigante vulcão, sendo que todos contam com sistema de aquecedor de ambiente e da água.

Assim como as opções anteriores, a Aldea Naukana está bem no centro de Pucón, mais exatamente a uma quadra e meia da avenida O’Higgins.

Reserve pelo Booking


Onde ficar em Pucón, Chile
Foto divulgação Booking

Onde ficar em Pucón, Chile
Foto Divulgação Booking
Foto Divulgação Hotel Antumalal

Hotel Antumalal

Não nos hospedamos neste hotel, mas não posso falar que vontade não faltou haha

O Hotel Antumalal é um dos melhores (se não o melhor) hotéis de Pucón e já hospedou personalidades como a Rainha Elizabeth, Neil Armstrong, James Stewart, Barry Goldwater e Emma Thompson!

Só por ai já dá pra ver que este hotel não deve ser muito barato, né? Mas acredite, seu preço “acima da média” se justifica por todo o conforto e sofisticação que ele oferece.

Pesquisando em uma data aleatória de julho/2019, os valores das diárias de lá vão de R$ 970,00 a R$ 2500,00.

O Antumalal conta com jardins imensos, uma piscina metade coberta, metade ao ar-livre que se separa os ambientes por um vidro, quartos amplos e confortáveis, além de uma vista estonteante para o Lago Villarrica.

Este hotel está em uma área bem tranquila, mas um pouquinho mais afastado de Pucón (cerca de 2km).

Reserve pelo Booking


Como chegar em Pucón?

A forma para se chegar em Pucón vai depender de onde é o seu ponto de partida e de como é o seu roteiro.

No nosso caso, iniciamos o roteiro por Santiago, depois descemos de trem até Chillán, onde ficamos alguns dias, e só então pegamos um ônibus até a cidadezinha de Pucón.

A forma que escolhemos não foi a mais rápida e nem a mais econômica de ir de Santiago à Pucón, mas foi a que melhor se encaixou no nosso roteiro (e que matou nossa vontade de andar de trem 🤣)

Veja as principais formas de ir de Santiago até Pucón:

Importante: Santiago está a aproximadamente 800km de Pucón.

Indo de avião

Se você prefere o modo mais rápido, o avião deverá ser a sua escolha.

Este trajeto é feito pelas empresas Lan e Sky e dura cerca de 1h20.

Em Pucón até existe um pequeno aeroporto que, dependendo da época do ano, recebe voos vindo da capital chilena. Mas no inverno, devido às condições climáticas, a chance de ele operar é quase nula.

Assim, você poderá optar por voar até as cidades de Temuco, que está a 100km de Pucón, ou Valdívia, que fica a 130km de lá.

O aeroporto de Temuco (Aeroporto Araucanía) é mais moderno e recebe mais voos do que o de Valdívia (Aeroporto Pichoy). Outra vantagem é que o Aeroporto de Temuco está no centro da cidade, já o de Valdívia fica bem mais afastado.

Independentemente da sua escolha, Temuco ou Valdívia, depois de aterrissar, você terá que fazer restante do trajeto até Pucón de uma das seguintes formas:

  • Táxi
  • Transfer
  • Ônibus

O táxi é a forma mais cara, é claro; o transfer fica mais em conta e está disponível nos dois aeroportos (você pode contratar na hora ou fechar antecipadamente no site de alguma empresa de turismo); e o ônibus é o jeito mais barato (lembrando que no caso do Aeroporto de Valdívia, fica bem longinho do terminal rodoviário – 30km – e você terá que pegar um táxi até lá).

Uma das plaquinhas que indicam as ruas de Púcon, Chile
Uma das plaquinhas que indicam as ruas de Pucón, Chile

Indo de ônibus

Ir de ônibus de Santiago a Pucón é a forma mais econômica de fazer este trajeto.

A viagem não é curta. Leva-se em média 11 horas no percurso.

Em compensação, as estradas são boas e os ônibus de empresas como Jac ou Pullman são bem confortáveis. Inclusive, pagando um pouco a mais, você pode viajar em poltronas que reclinam a ponto de quase deitar.

A dica então para economizar tempo no roteiro e também não sentir tanto as várias horas dentro do ônibus é pegar uma poltrona mais reclinável e fazer esta viagem à noite.

Indo de trem + ônibus

No nosso caso, escolhemos ir de trem + ônibus, por questão de roteiro mesmo.

Planejamos sair de Santiago e ficar alguns dias em Chillán para curtir a neve e praticar snowboard.

Neste roteiro, fizemos o deslocamento Santiago-Chillán de trem, ficamos na estação de esqui por 3 dias completos, e depois, como não existe trem que vá para Pucón saindo de Chillán, seguimos viagem de ônibus (empresa Tur Bus).

Indo de carro

Considero fazer este trajeto de carro próprio ou alugado uma boa opção.

Mas lembre-se que a distância entre Santiago e Pucón é de cerca de 800 km, então, aconselho que você divida essa viagem em pelo menos dois dias.

Como se locomover em Pucón?

Pucón é uma cidade pequenininha e se você ficar no centro praticamente não precisará de carro para encontrar algum lugar para comer, trocar dinheiro ou contratar algum serviço de turismo. Dá pra fazer tudo à pé!

Em compensação, praticamente todos os passeios mais interessantes da região ficam distantes da cidade. Então, para chegar nestes pontos turísticos, você terá que ir com uma agência de turismo, ir de carro alugado (ou próprio), de táxi ou de ônibus. Para alguns lugares mais próximos, como Ojos del Caburgua que está a 20 km de Pucón, dá para ir de bicicleta também.

A opção mais cômoda certamente são as agências de turismo. Você poderá fechar pacotes para vários passeios ou simplesmente contratar um ou outro e ter a tranquilidade de não ter que se preocupar com a logística de chegar até o destino.

Se você quer economizar, poderá também fazer alguns deslocamentos mais próximos de ônibus. Na verdade, com alguns dos micro-ônibus que circulam por Pucón e cidades vizinhas.

Para Ojos del Caburgua, como já comentei, fomos de ônibus e foi bem tranquilo. Também há como chegar em outros pontos, como o vulcão Villarrica de transporte público numa boa. Só é importante que você fique atento (a) aos horários, já que não são todas as linhas que tem várias saídas ao dia.

Táxi é a opção mais cara e por isso não indico.

Por último, você pode alugar um carro e fazer tudo por conta própria.

Alugar um carro tem suas vantagens e desvantagens:

Vantagens

  • maior liberdade com horários;
  • se você estiver em um grupo, alugar um carro pode sair mais barato que fazer os passeios com agência;
  • você pode parar na estrada a qualquer momento para conhecer algum lugar ou fotografar (acredite, você vai querer tirar muitas fotos do Villarrica)

Desvantagens

  • Indo com agência você vai despreocupado (a) com o caminho, e se estiver cansado (a) pode até tirar uma sonequinha na volta.
  • Se estiver sozinho (a) ou com mais uma pessoa, alugar um carro pode ficar mais caro do que ir com uma agência. Neste ponto é bom fazer uma pesquisa e comparar os preços.

Apesar de a gente não ter alugado carro em Pucón, acho que esta é uma excelente opção. A maioria dos lugares turísticos não precisam de guia, basta estacionar em lugar próprio e sair explorando.

Contudo, em passeios mais distantes (como as Termas Geométricas), considero que ir com uma agência é uma escolha mais interessante.

Se você optar por alugar um carro, nossa dica é comparar os preços entre as melhores locadoras através da RentCars e já garantir o seu carro com antecedência.

No site da RentCars você pode dividir o valor em até 12x no cartão de crédito, em reais e sem cobrança de IOF!

O que comer em Pucón

Se você pensa que Pucón é um destino só para curtir passeios de aventura está redondamente enganado(a).

Pucón também é um ótimo lugar para quem gosta de comer. 😋

Pucón, Chile - onde comer

A avenida O’higgins e a rua Fresia são destinos certos para encontrar incontáveis restaurantes, bares, docerias, lanchonetes, cafeterias e mais.

Em Pucón você terá a oportunidade de degustar vários tipos de gastronomia, entre elas a italiana, a peruana, a japonesa, a tailandesa e, como não poderia ser diferente, o melhor da culinária chilena!

Os destaques vão para os pratos com peixes (principalmente o salmão e a truta) e frutos do mar, devido a extensão do litoral chileno e também pela abundância de pescados provenientes dos lagos que estão por todas as partes daquela região.

Mas o melhor, pelo menos pra mim que sou fissurado em doces, são os bolos, tortas e chocolates. Eles ficam lá, todos expostos naquelas vitrines, e é praticamente impossível resistir.

Em viagens assim eu esqueço a balança e me acabo nos doces 🙈

Neste link você confere as melhores opções de restaurantes em Pucón, de acordo com as avaliações do TripAdvisor


Espero que este post realmente ajude no seu planejamento.

Pucón é uma cidadezinha encantadora e vale a pena visitá-la tanto no inverno quanto no verão.

Na dúvida, vá nas duas estações! 😉

Se você já conhece Pucón e quer deixar alguma dica ou o relato da sua viagem, deixe um comentário na caixinha abaixo.

E se você ficou com alguma dúvida, também pode compartilha-la nos comentários que a gente ajuda no que puder.

Abraços!


[Post publicado em janeiro/2016 e atualizado em fev/2019]


Tudo para a sua viagem

Hospedagem
Reserve o melhor hotel para a sua viagem com o menor preço. Com o Booking você compara diversas opções e escolhe o hotel com melhor custo x benefício. Reserve agora mesmo, com opções de parcelamento e cancelamento grátis.
 Seguro Viagem
Não dá para viajar despreocupado sem seguro viagem! Compare os preços de seguros com os dois melhores sites no assunto: Real Seguros e Seguros Promo. Sempre reservamos nosso seguro através destes sites. Com a Real Seguros, você poderá parcelar o valor em até 12x sem juros. Com a Seguros Promo o valor pode ser dividido em até 6x no cartão de crédito e pagando no boleto, você consegue 5% de desconto. Utilizando o nosso cupom NAJANELA5 você ganha mais 5%. No final fica baratinho e viajamos tranquilos, sem medo de imprevistos!
Alugue um carro Alugue um carro
Nada melhor do que a liberdade que um carro alugado pode dar para uma viagem! Antes de alugar um carro compare os preços das melhores locadoras do Brasil e do mundo no site da RentCars e garanta o melhor preço. A cobrança poderá ser feita em reaissem IOF, e o valor dividido em até 12 parcelas no cartão de crédito.
Passagens aéreas baratas
Procurando passagens aéreas? Dê uma olhada no Passagens Promo, que tem sempre ofertas imperdíveis! Através do Passagens Promo, você obtém uma relação atualizada instantaneamente por ordem de preços dos vôos. São milhares de trechos exclusivos, com tarifas diferenciadas e até 65% de desconto.
Escrito por

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

25 Comentários

  1. Pingback: 7 ótimos lugares para conhecer em Santiago | Ares do Mundo

  2. Estaremos no Chile de 16 à 28 de agosto. Vamos ficar dois dias em Chillan e de lá partiremos pra Pucon, onde ficaremos 04 dias. Gostaria de saber se dá pra curtir alguma cidade próxima de Pucon e o que teria pra fazer por lá? Somos 04 adultos e uma bebê.

  3. Eu e minha esposa fizemos há 15 anos atrás uma viagem de carro saindo SP até Bariloche e fomos por Santiago páramos em Pucón e região por 5 dias , era inverno e chovia e nevava muito para ter ideia o centro de ski estava fechado pois não tinha acesso devido à neve; chegou a nevar no centro Pucón o que segundo os locais e muito raro ; Estou voltando na semana que vem agora com meu filho país e esposa só que de avião ; acho que iremos encontrar outra Pucón ! Espero que o tempo esteja sem chuva ou neve

    • Geisiele Carvalho Responder

      Olá, Christian!

      Imagino que a cidade hoje esteja mesmo diferente, vai ser muito legal revisitar os lugares depois de tanto tempo!
      Estamos na torcida pra que vocês peguem um clima bom e consigam aproveitar bastante 🙂

      Um abraço!

  4. Boa noite,

    Farei viagem a região dos Lagos e tenho 6 dias, quantos tu indica ficar em Pucón e quantos em Puerto Varas?

    Vamos de avião Santiago – Temuco
    Voltamos Puerto Montt – Santiago

    Pretendemos ir de carro alugado de Pucon para Puerto Varas.

    Obrigada pelas dicas, mto válidas e esclarecedoras.

    • Flávio Borges Responder

      Olá, Mariana

      Você tem 6 dias sem contar os deslocamentos? É importante considerar que de Pucón até Puerto Varas são mais de 320 km de distância.

      Tendo 6 dias completos, eu separaria 3 dias para Pucón e 3 dias para Puerto Varas (se você puder adicionar mais dias em Puerto Varas, seria melhor ainda!).

      Abraços

  5. Adorei as dicas, vou para Pucon em Setembro, tem alguma indicação de agência.
    Obrigada

  6. Muito bom ter encontrado esse seu post sobre Pucón , pois estou quero conhecer e estava exatamente com a dúvida se era melhor ir no inverno ou verão . Depois do seu post completíssimo, decidi ir no verão .

    • Flávio Borges Responder

      São propostas bem diferentes, Sil.

      O inverno é uma época ideal pra quem curte frio e neve, mas chove mais. Já o verão não é tão frio e também não há neve, mas é a época seca, ou seja, um período ideal para quem quer curtir as trilhas da região, escalar o vulcão villarica ou ficar de bobeira tomando um solzinho na areia do lago.

      Abraços

  7. Murilo Pagani Responder

    Tenho meeega vontade de conhecer Pucón. Não sabia desse problema de chuvas no inverno!

    Acho que iria no verão mesmo, já que não faço questão de neve! hahahha
    Assim dá pra ver o Vulcão Villarrica e curtir s trilhas do Parque Nacional Huerquehue sem dor de cabeça!
    Aliás, nunca tinha ouvido falar deste parque!

    Ótimas dicas.
    Abraço

    • Flávio Borges Responder

      Fala Murilo!

      Realmente o verão é uma boa escolha pra quem não faz questão de ver neve!
      Tenho certeza que você vai gostar bastante de Pucón (não tem como não gostar haha)

      Abraços

  8. Ainda não conheço Pucon, mas se parece muito com Puerto Varas. E no que se refere a vulcão escondido, chuva por dois dias também reflete minha experiência em Puerto Varas, que pena né?

  9. Eu achei este lugar maravilhoso! As paisagens são lindas e eu adoro cidades pequenas, que parecem não ter nada a mostrar e nos deixam encantados.

    Acho, na verdade, que vocês deram sorte: eu amo dias nublados e com garoa. Este tempo deixou as fotos ainda mais bonitas! 🙂

  10. Que cidadezinha charmosa!!! e que pena que não conseguiram ver o Vilarrica, no entanto, acharam outras atividades que eu não sabia que tinha região como essas cachoeiras! o tempo não pode impedir o passeio né ahueahe

  11. viajei_compartilhei Responder

    Oi, que show de fotos. Que lurgazinho mais aconchegante. Ótimas dicas. Espero conhecer

  12. Pucón está em minha lista há tempos… Tem uma corrida muito maneira que acontece por lá e a ideia é justamente correr e ter o Vilarrica como pano de fundo!!!! Parabéns pelo post. Aumentou ainda mais a minha certeza de que tenho que ir, he he he he…
    Abraços,
    Carolina

  13. Adorei as dicas. Nunca tinha pensado em visitar Pucón, mas passei a desejar… num dia de sol. Hahaha.
    Obrigada por compartilhar.

  14. Achei um charme! E adorei a pousada com as cabaninhas! Adoro esse clima aconchegante de cidade de inverno!

Escreva um comentário