Enigmas, história e belezas naturais atraem visitantes de todo o mundo a um dos principais destinos turísticos do Peru: a mística cidade de Cusco!

Vizinha de Machu Picchu, Cusco é a base estratégica para quem pretende visitar a cidade perdida dos incas.

Cusco também é o ponto de partida dos tours que levam aos diversos sítios arqueológicos espalhados pela região.

Ollantaytambo, Pisac, Maras, Moray, Qenqo, Tipón e Laguna Humantay são só alguns dos vários lugares que você pode (e deve!) visitar em um bate-e-volta saindo de Cusco.

Como são muitas as possibilidades de passeios, montamos um post com sugestões de roteiros de 3, 5 e 7 dias pela cidade, que você pode conferir aqui.

Agora, pra te ajudar a se organizar para uma viagem épica a Cusco, montamos este “post guia“, com todas as informações que você pode precisar durante o planejamento ou mesmo quando já estiver na cidade.

Mas este guia não é fechado, ok? Se você tiver mais informações que possam ajudar a outros viajantes, deixe um comentário no final do post! 😉

Vamos lá!

Cidade de Cusco
Cidade de Cusco, Peru

Neste post você verá:

  • A ruína e o recomeço de Cusco
  • Qual a melhor época?
  • Como é a temperatura em Cusco?
  • Quantos dias são necessários para conhecer Cusco?
  • Soroche
  • Seguro viagem
  • Onde ficar
  • Compras
  • Inti Raymi: a principal data festiva de Cusco
  • Transporte
  • O que comer em Cusco
  • Onde comer em Cusco
  • Boleto Turístico
  • Principais atrações em Cusco e nas proximidades
    • Região de Cusco
    • Região do Valle Sur
    • Região do Valle Sagrado
    • Trekkings e Aventura
    • Machu Picchu

A ruína e o recomeço de Cusco, Peru

Quem assistiu a todas as aulas de História ou é fã de documentários da History Channel, deve saber que os incas formaram uma das maiores e mais organizadas civilizações pré-colombianas das Américas, e Cusco teve grande destaque nesse contexto.

Cusco é uma cidade repleta de história! Cada canto da cidade nos faz compreender o quanto aquele lugar foi grandioso nos tempos de glória do império inca e também nos permite perceber o tamanho do impacto que a brusca e violenta colonização espanhola causou àquela civilização.

A cidade era simplesmente a capital administrativa de todo o vasto e rico império inca.

Estudos e relatos comprovaram que as paredes de templos, palácios e casas de Cusco eram cobertas de ouro e cravejadas de pedras preciosas!

Cusco (ou Cuzco) é a versão em espanhol do nome da cidade. Seu nome em quechua é, na verdade, Qosqo ou Qusqu, que significa “umbigo do mundo”.

A engenharia e as ciências eram tão desenvolvidas que a cidade foi montada sobre pedras inteiriças de várias toneladas e resistiu a terremotos das mais altas magnitudes.

Os campos onde eram plantados os grãos eram estudados e cultivados de acordo com o clima, temperatura e altitude da região. E temos que considerar que tudo isto aconteceu há mais de 800 anos!

Leia também: motivos para viajar de ônibus no Peru

Esse tabuleiro de xadrez, que é vendido em todo lugar em Cusco, traz como peças os espanhóis e os incas.
Esse tabuleiro de xadrez, que é vendido em todo lugar em Cusco, traz como peças os espanhóis e os incas.

Mesmo assim, os espanhóis chegaram com armas de fogo, cavalos e doenças e, movidos pela sede de conquistar novos lugares e obter suas riquezas, invadiram e destruíram Cusco em uma sangrenta guerra que durou vários anos.

Com a dominação do império, os espanhóis começaram a reconstruir Cusco, só que da sua forma.

Para isso foram destruindo as construções incas e utilizando as pedras polidas para edificar suas casas e igrejas.

A miscigenação dos povos incas com os espanhóis foi se tornando cada vez mais forte com o passar dos anos e a cultura dos povos acabou se fundindo, criando assim uma nova identidade para a Cusco inca.

Atualmente, com a sua transformação em um grande polo turístico da América, turistas de todas as partes do mundo são atraídos pelos mistérios da cidade e pelas promessas de aventuras nas montanhas geladas dos Andes.

Qorikancha, o Templo do Sol.

Como Cusco se tornou um dos destinos mais turísticos do Peru (ou até mesmo da América do Sul), a cidade passou a oferecer os mais diversos tipos de passeios para os mais diferentes perfis de viajantes.

Tem opções para quem quer curtir uma viagem com mais luxo e conforto, opções para quem está mochilando no modo econômico, opções para quem quer se aventurar, opções para quem ama história e quer conhecer cada detalhe das civilizações inca e pré-inca, enfim… Seja de uma ou de outra forma, Cusco vai te conquistar, pode ter certeza. 😉

Leia também: Mochilão Chile Bolívia Peru – nosso roteiro.


Qual a melhor época?

Para que a viagem seja ainda mais proveitosa e agradável, escolher bem o período para conhecer Cusco é algo importantíssimo.

Cusco tem duas temporadas bem delimitadas: o período de seca e o período chuvoso.

As chuvas ocorrem com muita intensidade nos meses de novembro a março. E nesses meses os temporais podem acabar prejudicando os passeios e alguns lugares nem mesmo abrem. Mas, como contrapartida, nos meses chuvosos as atrações costumam ficar bem mais vazias.

a época de seca vai de abril a outubro, sendo que julho costuma ser o mês que menos chove. Mas, como todos sabemos, julho é mês de férias, então as atrações acabam ficando um pouco – nem tão pouco assim – lotadas de turistas.

Sobraram então os meses de abril a junho e de agosto a outubro como ideais para uma viagem mais tranquila e com menor possibilidade de chuvas.

No gráfico acima, você vê a média diária de probabilidade de chuvas em Cusco, Peru.

Os meses marcados com ⭐ são aqueles em que não há tanta chuva, ou seja: são meses ideais para marcar sua viagem!

Se você não puder escolher um dos meses acima, nem tudo está perdido! Nós fomos exatamente no meio do mês de março e pegamos pouquíssima chuva.

Um ponto positivo de conhecer Cusco em abril e maio é que estes meses marcam o final das chuvas. Devido a isso, a vegetação está mais verdinha, deixando a paisagem ainda mais bonita

Além da questão do clima, é importante que você saiba que junho é um mês de festas em Cusco, então a cidade fica bem cheia (e mais cara). Agosto também tem mais movimento, já que é época de férias na Europa.


Como é a temperatura em Cusco?

Se você esquecer de levar um casaco, provavelmente vai passar frio.

Por causa da altitude, mesmo no verão, as temperaturas de Cusco não são muito altas.

A máxima nos meses de calor (outubro a março) chega a 20º. Já à noite o friozinho pega e o termômetro marca facilmente de 5 a 10 graus.

Nos meses mais frios (abril a agosto), durante o dia a média é de 15º, já à noite e de madrugada, a temperatura pode chegar a 0º.

*fonte: weatherspark

Este muro colorido faz parte de uma fonte linda que fica pertinho do Centro de Artesanal de Cusco

Quantos dias são necessários para conhecer Cusco?

Como já comentei, Cusco tem muitas e muitas opções de passeio. Separe pelo menos 5 dias para Cusco + Machu Picchu.

Se você puder ficar mais, melhor ainda!

No post sobre roteiro em Cusco, eu comento essa questão nos detalhes. Confira! 😉


Soroche

Se alguma vez você já esteve em lugares de grande altitude, como La Paz ou Quito, já deve conhecer bem o famoso “soroche“, que também é chamado de “mal da altitude“.

Se nunca ouviu falar, é importante então que você saiba o que é, o que pode causar e como você pode evitá-lo.

O mal da altitude é uma reação que pode acontecer no nosso organimo quando chegamos em lugares muito altos.

O organismo, que não está acostumado com a baixa pressão atmosférica e com a falta de oxigênio no ar acaba reagindo de forma negativa.

Dores de cabeça, vômito, enjoo, insônia, tonturas, são só alguns dos sintomas que este vilão pode causar.

E sim, dependendo da situação, você pode passar tão mal que poderá perder um, dois ou até três dias de viagem.

Como Cusco está a 3400 metros acima do nível do mar, não dê bobeira para o soroche e siga estas dicas:

Pegue leve

Como na altitude o ar é rarefeito – faltando oxigênio – sentir muito cansaço e tontura é natural. Então, a estratégia principal para evitar passar mal é fazer tudo com calma.

Não se apresse, não corra e não se empolgue tanto durante os passeios a ponto de ultrapassar os limites do seu corpo. Esta recomendação é fundamental para o primeiro e segundo dias de viagem!

Use e abuse da coca

Tome chá de coca, chupe balas de coca e masque as suas folhas.

No Peru e na Bolívia, a folha de coca é legalizada e é amplamente utilizada para diminuir os efeitos da altitude. Ela combate com bastante eficiência dores de cabeça e náuseas. Até mesmo alguns nativos que não são completamente imunes ao soroche utilizam a folha de coca.

Mas, por favor, não confunda a coca com a cocaína. A cocaína é uma droga composta de substâncias retiradas de quilos e quilos de folha de coca. A folha de coca, por si só, não produz os efeitos nocivos da cocaína.

Você encontrará a folha de coca em muitos locais: lojinhas, feiras, ambulantes e até mesmo nos hostels e hotéis.

Beba água

A água é importantíssima no combate ao mal da altitude, ainda mais que a tendência de lugares mais altos é serem mais secos. Sempre carregue com você uma garrafinha.

Igreja De La Compañia de Jesús, que também fica na Plaza de Armas
Igreja De La Compañia de Jesús, que também fica na Plaza de Armas

Seguro viagem

Não preciso falar que Seguro Viagem é algo essencial em uma viagem à Cusco!

Na verdade, seguro viagem é essencial para qualquer tipo de viagem internacional. E em se tratando de Cusco a sua importância dobra.

Como a cidade apresenta um ambiente totalmente diferente do que estamos acostumados, com uma altitude muito elevada, falta de umidade no ar e baixas temperaturas, nossa imunidade pode acabar abaixando.

Sem contar que o fantasma do soroche pode dar as caras, né?

Nestas horas um bom seguro viagem pode te ajudar a encontrar postos de saúde, pronto-socorros ou hospitais mais próximos e te auxilar a tornar o atendimento bem mais simples.

Nós nunca tivemos necessidade de acionar o seguro viagem (digam amém!), mas tenho um conhecido que passou muito mal em Cusco por causa da altitude, acionou o seguro pelo whatsapp e o médico foi até o hotel dele.

Além de atendimento médico, o seguro também cobre coisas como extravio de malas, o que é bem comum em viagens.

Para esta viagem, fizemos uma cotação das seguradoras com melhores custo x benefício com a Real Seguros e escolhemos um plano da Assist Card.

Se você ainda não conhece a Real Seguros, anote mais esta dica: A Real não é uma seguradora, mas é um site onde você consegue comparar o preço de várias seguradoras e escolher a melhor e mais barata. E se quiser fechar com eles, há a opção de parcelamentos em até 12x no cartão.

Faça a cotação do seu seguro com a Real aqui:

Outro site que compara preços e que também utilizamos com frequência é a Seguros Promo.

Assim como a Real Seguros, com a Seguros Promo você também tem a opção de parcelar em 12x no cartão.

Caso você queira fazer uma cotação sem compromisso no site, saiba que a Seguros Promo oferece aos nossos leitores 5% de desconto na compra de qualquer seguro. Basta utilizar o cupom NAJANELA5. 😊


Um dos murais coloridos de Cusco
Um dos murais coloridos de Cusco

Onde ficar

Escolher um bom lugar para ficar em Cusco pode ser importante para que você economize tempo e dinheiro com deslocamentos e também para minimizar os perrengues por conta do mal da altitude.

Olhando no mapa pode até não parecer, mas Cusco está em uma região com muitas ladeiras.

Imagine só ter que subir uma ladeira (várias vezes no dia) para chegar no seu hotel, a mais de 4300 metros de altitude? Não deve ser nada legal!

A melhor opção em Cusco é ficar perto da Plaza de Armas, que é o lugar onde tudo acontece. (Mas cuidado, perto da Plaza de Armas tem uns morrões sinistros também 😂)

Por ser o centro da cidade, nas proximidades da Plaza tem casas de câmbio, lavanderias, restaurantes, bares, agências de turismo, pontos turísticos e vários hotéis.

Pra te ajudar, fiz uma seleção de ótimos hotéis em Cusco bem pertinho da Plaza de Armas (e sem ladeiras pra subir 😎):

Econômico 💲

Nao Victoria Hostel é minha primeira indicação de hospedagem econômica. Com uma das maiores notas do Booking (9.4 em 2019), este hostel é bem na pegada mochileira e fica em uma ruazinha estreita pertinho da Plaza de Armas. Por lá você terá tudo o que precisa a pouquíssimos metros da hospedagem!

Reserve pelo Booking

A segunda opção é justamente o hotel que escolhemos para ficar no mochilão: o Casa Campesina.

Também com uma excelente localização, o Casa Campesina está a menos de 500 metros da Plaza de Armas, bem próximo de restaurantes, pizzarias, mercado e lavanderias.

Temos um post completo sobre nossa estadia no Casa Campesina. Confira neste link: Conheça o Hotel Casa Campesina em Cusco.

Reserve pelo Booking

Confortável 💲💲

Só os elogios do café da manhã do Cooper Hotel já me convencem. “Alimentos saudáveis e cuidadosamente preparados” são só alguns dos comentários de hóspedes no Booking.

Mas, muito além disso, o hotel é todo decorado, possui quartos confortáveis e arejados, sem contar que também fica bem próximo da Plaza de Armas (menos de 450 metros).

Reserve pelo Booking

Se todos os outros hotéis que eu indiquei são próximos da Plaza de Armas, o Hotel Inti Wasi Plaza de Armas Cusco é simplesmente na Plaza de Armas.

Por fora, este hotel tem a fachada de um casarão colonial, por dentro ele é moderno e tem um conceito “clean”.

Que tal tomar café da manhã observando a Catedral de Cusco?

Reserve pelo Booking

Luxuoso 💲💲💲

Se dinheiro não é problema, Cusco pode oferecer hospedagens luxuosas, aconchegantes e inesquecíveis. Dentre todas elas, o Belmond Hotel Monastério é a nossa indicação.

Onde funcionava um antigo Mosteiro datado de 1592, agora é a sede de um hotel 5 estrelas extremamente conceituado e moderno (e administrado pela mesma rede do Copacabana Palace no Rio).

O Belmond, por si só, já é uma atração turística em Cusco e está a 300 metros da praça central.

É bem verdade que há uma pequena inclinação para chegar lá caminhando, mas nada que chegue a ser um problema, pode acreditar!

Reserve pelo Booking

Compras

Para o turista que quer comprar lembrancinhas e souvenirs, Cusco oferece uma variedade de lojinhas com várias coisas interessantes e coloridas.

Nós rodamos por algumas das lojas que ficam no centro de Cusco, mas o melhor lugar para este tipo de compra foi, sem dúvida, o Centro Artesanal de Cusco.

Centro Artesanal de Cusco, Peru

O Centro Artesanal é um imenso galpão cheio de barraquinhas de roupas e artesanatos, que chega a lembrar os camelôs que temos por aqui.

Fomos lá algumas vezes e encontramos lembrancinhas para trazer para amigos e para a família toda!

Chaveiros de lhamas, pingentes de lhamas, camisas e blusas com estampas de lhamas, lhamas de pelúcia, lápis com lhamas na ponta, xadrez com peças em formato de lhamas, imãs de geladeira de lhama, brincos com pequenas lhamas, quadros de lhamas, e muitas outras coisas com a temática “lhama” você encontrará lá. (e é claro que trouxemos alguns itens com adoráveis lhamas pra gente também 😁)

Centro Artesanal de Cusco
Centro Artesanal de Cusco

Encontramos também canecas, bonecas, apitos, abridores de garrafa, bandeiras do Peru, bolsas, chapéus e toucas andinas, mochilas, carteiras e outras coisas assim.

Pra quem quer trazer algo além de lembrancinhas, uma boa opção – e que também é um dos produtos mais fortes e procurados na região – são as famosas roupas fabricadas com lã de alpaca ou de vicunha.

Estas peças são encontradas em várias lojas e mercados espalhados pela cidade. Então, se sua intenção é trazer pra casa um casaco, um poncho, ou talvez um cachecol bem quentinho e de ótima qualidade, vai “nadar de braçada”.

Mas tem um detalhe – que nem é tão detalhe assim hehe – roupas feitas com os fios originais de lã de alpaca e vicunha são caras pra caramba! Uma blusa de frio de lã de alpaca pode custar a bagatela de 500 reais!

Lógico que tudo hoje em dia tem a versão “similar ao original”, e com as roupas de lã de vicunha e alpaca não seria diferente.

Se a peça estiver muito barata, e mesmo assim o vendedor jurar que é lã de alpaca, pare, desconfie e analise com calma antes de comprar.

A chance de a roupa ser feita de lã sintética é muito grande!

No Mercado de Artesania encontramos várias roupas com procedência duvidosa que os vendedores diziam serem genuínas, então, cuidado dobrado por lá!

O Centro Artesanal de Cusco fica a 1 km de distância da praça central, na Calle el Sol.

Mercado de San Pedro

O Mercado de San Pedro é bem menos visitado por turistas do que o Mercado de Artesanal de Cusco, apesar de não ficar longe da Plaza de Armas (cerca de 700 metros).

Na verdade, o Mercado de San Pedro é um daqueles típicos mercados municipais, onde se vende de tudo um pouco.

Por ser menos turístico, frequentado pelos moradores de Cusco, o Mercado é um excelente local para entrar em contato com o modo de vida e a cultura dos cusquenhos.

Mercado de San Pedro
Mercado de San Pedro

Neste mercadão você também encontrará souvenirs – inclusive algumas coisinhas são até mais baratas que no Mercado Artesanal.

Mas os artesanatos e souvenirs ficam por conta só das primeiras barracas do Mercado, que é dividido em setores diferentes.

À medida que vamos entrando, encontramos setores com barracas vendendo plantas medicinais e objetos religiosos, setor de hortifruti (com algumas frutas, legumes e verduras que nunca nem tinha ouvido falar), setor com objetos para casa e decoração, setor de comidas (algumas bem suspeitas!), setor de carnes (sinistro!), dentre outros.

Dica: No Mercado de San Pedro não deixe de provar a granadilha, que é uma espécie de maracujá, só que muito mais docinho. Uma delícia!

Este passeio é bem interessante, e com uma horinha ou até menos você conhecerá todo o Mercado. Então, não esqueça de adicioná-lo ao seu roteiro!

Granadilha, uma espécie de maracujá bem docinha

Inti Raymi: a principal data festiva de Cusco

O Inti Raymi é uma das principais celebrações de Cusco, e simplesmente para toda a cidade.

A Festa do Sol, como também é conhecido o Inti Raymi, é realizada no exato dia do solstício de inverno, ou seja, 24 de junho.

Nesta época, Cusco vira um caldeirão de peruanos que vêm para celebrar a data e também de turistas curiosos que querem participar e ver de perto tudo o que acontece durante essa festa animada e colorida.

O Inti Raymi é uma festa secular, cheia de tradição e carregada de cultura andina, que se divide em três momentos principais:

Na manhã do dia 24, o nascer do sol é esperado por todos os cusquenhos no templo de Qorikancha e este é o primeiro momento.

Após, todos seguem em procissão para a Plaza de Armas e lá ocorrem alguns rituais andinos.

Ao final, a multidão se dirige para Sacsayhuamán – um dos sítios arqueológicos de Cusco – e lá acontece uma grande cerimônia.

Na cerimônia, a mais alta autoridade Inca oferece sacrifícios ao Deus Inti para que as colheitas sejam abençoadas e prósperas.

Neste ritual há a encenação de sacrifícios de lhamas para agradar ao Deus Sol. Todos os participantes trajam roupas típicas e adereços incas.

Dica: se você tem interesse em viajar nesta data e acompanhar as celebrações de Inti Raymi, é necessário reservar o seu ingresso com meses de antecedência pelo site emufec.gob.pe.


Transporte

Os pontos de interesse em Cusco não são tão próximos entre si, mas, por serem extremamente turísticos, sua locomoção em Cusco não será problema.

Sugiro que você faça todas as atrações do centro à pé e contrate uma agência para conhecer as atrações mais afastadas.

Se quiser ir por conta própria nos sítios arqueológicos, há a opção de ônibus ou táxi. (Uber ainda não funciona em Cusco)

Ônibus é super baratinho, mas não é um transporte rápido, então, se você não tiver muito tempo por lá, talvez não valha a pena.

Táxi é um dos principais meios de transporte de Cusco. Mas pra não ter surpresas por lá, é importante ficar ligado (a) em algumas dicas:

  1. Não há taxímetro nos táxis de Cusco, então o preço deve ser negociado antes.
  2. Sempre negocie. Por ser uma cidade cheia de turistas, os taxistas podem querer levar a melhor em cima de estrangeiros desavisados.
  3. Existem táxis mais novos rodando pela cidade, mas a maioria são velhos. Então, para sua segurança, evite pegar táxis que estão ‘caindo aos pedaços’.

Se quiser, poderá ainda alugar um carro. Esta não foi nossa opção, pois achamos mais fácil fechar os passeios com empresas de turismo.

Mas se você pretende alugar um carro, faça uma cotação com a RentCars, que é um site que compara o aluguel de várias locadoras e te aponta os melhores preços. Assim você aluga seu carro de forma rápida, descomplicada e segura!


O que comer em Cusco

Em Cusco, assim como em todo o Peru, existem algumas comidas bem tradicionais.

Para quem curte um turismo gastronômico, nos restaurantes, mercados e barraquinhas de ruas, você encontrará, entre outras opções, os seguintes pratos:

Ceviche

O ceviche é tão importante para a gastronomia peruana que foi considerado Patrimônio Cultural do País.
O ceviche é feito de peixe branco cru, marinado em um suco cítrico (geralmente limão). O prato é temperado com sal, pimenta e cebola roxa. Como acompanhamento vai milho em grãos e uma espécie de batata-doce chamada camote

Cuy

Prato polêmico! O que pra muita gente aqui no Brasil é considerado um bichinho de estimação, no Peru é considerado comida. O cuy é o porquinho-da-índia! Nos restaurantes ele é servido frito ou assado e geralmente vem inteiro, só se retira as vísceras. Confesso que não provei, nem quero provar haha!

Ceviche
Ceviche

Lomo saltado

Se você quer um prato típico, este é um dos mais autênticos peruanos. O lomo saltado é um um prato com cebola, alho, tomates, pimenta, iscas de carne bovina e temperos peruanos. Geralmente é acompanhado de fritas e arroz.

Papas a la Huancaína

Mais um prato típico da culinária peruana, que é composto por batatas cozidas cobertas com creme picante a base de leite, queijo fresco e ají. Normalmente vem acompanhado de ovos cozidos, azeitonas pretas e alface.

Papas a la Huacaína
Papas a la Huancaína

Tiradito

Uma mistura de Peru com Japão: esse é o famoso tiradito peruano. À base de peixe marinado, fatiado fininho, como sashimi, e geralmente acompanhado de um molho amarelo picante, milho e batata doce.

Ají de gallina

Frango desfiado ao molho andino feito com pimenta verde, leite e pão. Este prato picante é servido com ovos, batatas, e arroz branco. Por cima, geralmente as pessoas salpicam um pouquinho de parmesão ralado.

Triadito
Tiradito

Anticucho

O anticucho nada mais é que um espetinho de carne de boi (que também pode ser de frango ou cuy), quase sempre acompanhado com batatas cozidas ou fritas.

Carne de alpaca

Outro prato que nós também não tivemos coragem de comer.
Quem comeu, afirma que a carne de alpaca é bem próxima da carne de vaca.

Anticucho
Anticucho

E nem só de chá de coca vive o peruano! Veja só algumas outras bebidas típicas que você encontrará por lá:

Pisco sour

O pisco sour é uma bebida que causa quase uma guerra entre chilenos e peruanos. Uns dizem que ela tem origem no Chile e outros juram que foi inventada no Peru. Discórdias à parte, o pisco é uma bebida alcoólica, feita de
aguardente de uva, clara de ovos (!), suco de limão, açúcar e gelo. Apesar das claras, não tem gosto de ovo, juro!

Chicha morada

Muito popular no Peru, a chicha morada é um suco feito de milho roxo. Como adicional, podem ser colocados no suco ingredientes como o limão e o abacaxi.

Inca Kola

Mais famosa que a Coca-Cola no Peru, a Inca Kola é um refrigerante bem doce com gosto de tutti-frutti. (não tem nada a ver com a Coca-Cola, apesar da semelhança dos nomes!)

Cusqueña

A Cusqueña é a marca de cerveja tradicional do Peru. Ela é classificada como uma Premium American Larger.


Onde comer

Em Cusco você vai encontrar restaurantes para todos os gostos e bolsos.

No post “Onde comer sem gastar muito em Cusco“, do Blog Viajei Bonito, você encontrará dicas de restaurantes bem baratos, e que não deixam de ser bons.

Nós, por exemplo, comemos várias vezes no Antojitos, que é a primeira indicação do post.

neste post da Amanda, há algumas opções de restaurantes mais sofisticados e bastante procurados em Cusco (em alguns é necessário fazer reserva com antecedência!).


Boleto Turístico

O boleto turístico é o seu ingresso para entrar em várias atrações de Cusco e região. Ele varia de preço, conforme as atividades que você queira fazer durante sua estadia na cidade.

Veja aqui todos os detalhes sobre Boleto Turístico

Milho Culli, utilizado na produção da bebida chicha morada

Principais atrações em Cusco e nas proximidades

Grande parte das atrações de Cusco dá pra conhecer em um City Tour de um dia, mas existem outros sítios arqueológicos mais distantes.

As principais atrações de Cusco:

Região de Cusco

Catedral de Cusco

A Catedral de Cusco é uma imensa igreja que levou mais de cem anos para ficar pronta.

Ela fica localizada na Plaza de Armas e é um dos cartões postais da cidade. Em dias de missa, a Catedral fica aberta e você pode entrar para conhecer sem pagar nada. Fora isso, a Catedral pode ser visitada por 25 soles (meia entrada 12,5 soles).

Qorikancha

Um dos complexos arqueológicos mais interessantes de Cusco!

Qorikancha ou “templo do sol” tinha grande importância religiosa. Todo adornado de ouro, o templo foi considerado a máxima homenagem ao deus Inti.

Mas a devoção dos incas não foi o suficiente para impedir que os espanhóis destruíssem parcialmente o templo e em sua base fortificada e “à prova de terremoto” construíssem um imenso convento.

Assim, Qorikancha acabou se tornando um lugar bem diferente, sendo a sua base formada pelos gigantes blocos incas e a metade de cima delineada conforme a arquitetura européia.

Qorikancha
Qorikancha

Na parte de baixo desta construção há um museu que também pode ser visitado (e está incluído em alguns boletos turísticos).


Se você quiser conhecer mais sobre a história de Cusco confira o post 9 Museus em Cusco do blog Cantinho de Ná.


Sacsayhuamán

Um complexo imenso utilizado para fins militares ou cerimoniais (há várias teorias sobre sua utilização), construído com blocos únicos de várias toneladas, Sacsayhuamán encontra-se no alto de uma colina a pouco mais de 2 km do centro de Cusco.

Durante a colonização, os espanhóis utilizaram os blocos de pedra do forte para construir casas em Cusco. Estima-se que somente 20% do que foi Sacsayhuamán pode ser visto no que atualmente é o sítio arqueológico.

Tambomachay

Chegamos ao Templo da Água.

Tambomachay é considerado um lugar sagrado, dedicado ao culto da água. Particularmente, achei muito bonita a construção com canais e fontes d’água.

Fontes de Tambomachay
Fontes de Tambomachay

Q’enqo

Q’enqo foi um imenso templo espiritual destinado a ritos religiosos. Por lá existem mesas para sacrifícios, além de galerias subterrâneas onde eram preservados e embalsamados os Incas mais importantes.

PukaPukara

PukaPukara, ou “fortaleza vermelha” na língua Quechua, é uma construção que se acredita ter sido utilizada como um forte militar para proteger Tambomachay.

Um pedacinho de PukaPukara, a fortaleza vermelha
Um pedacinho de PukaPukara, a fortaleza vermelha

Apesar de as pedras utilizadas para a construção do forte serem acinzentadas nos dias atuais, estudos mostram que na época de sua construção, as paredes tinham uma cor avermelhada devido à grande concentração de ferro nas rochas utilizadas.

Fica a 7 km de Cusco.

Região do Vale Sul

A região do Vale Sul não é muito visitada pelos turistas, mas que vale muito a pena para quem quer conhecer mais da história inca e também das civilizações que antecederam os incas.

Tipón 

Tipón também constitui uma engenhosidade inca.

Formado por vários terraços onde se cultivava grãos, Tipón é um grande complexo onde foram construídos aquedutos que irrigam e distribuem a água por todo o local.

Tipón está a 23 km de Cusco.

Terraços de Tipón
Terraços de Tipón

Pikillacta

Pikillacta foi a morada de um povo chamado Huari, e que antecedeu os incas.

Suas construções não foram feitas de pedras maciças, gigantes e polidas, como os incas fizeram. O povo Huari utilizou outra técnica e construiu suas casas, ruas e templos utilizando pedras bem menores, irregulares e juntadas com barro. Foram utilizados também tijolos de adobe.

Estima-se que os Huari viveram na região entre os anos de 500 até 1200 d. C.

Este sítio não é tão bonito como os templos e construções incas, mas por ser diferente e carregado de história, vale a pena conhecer.

Andauaylillas

Andauaylillas é uma pequena cidade que fica a mais ou menos 40 km de Cusco, e que possui, como principal atração, a igreja de San Pedro de Andahuaylillas.

Por fora, esta igreja é bem simples, e inclusive já até um tanto desgastada pelo tempo, mas, por dentro, ela é totalmente decorada com peças banhadas a ouro e paredes e teto dourados.

Região do Vale Sagrado

O Vale Sagrado ou Vale de Urubamba é uma vasta área fértil, a qual é irrigada pelo gigante rio Urubamba.

Esta região oferece vários tipos de atrações, sendo que as principais são:

A cidade e os mercados de Pisaq

Só pelas ruas estreitas, com calçamento de pedra e suas casinhas com arquitetura inca, a cidade de Pisaq já se tornaria um ponto turísitico. Mas o que mais atrai os turistas para a região são as pratarias.

As lojas e mercados de lá são especializados em artigos de prata e até nas barraquinhas de rua você consegue comprar pingentes, colares, brincos e outros adereços de prata original por um preço muito bom.

Cuidado com os objetos “made in China”.

Sítio Arqueológico de Pisaq

Apesar de não ser tão grandiosas como Machu Picchu, as ruínas de Pisaq impressionam e muito!

Em um gigante complexo arquitetônico, os incas construíram uma cidade inteira com casas, templos, campos de lavoura, observatórios espaciais,
aquedutos com água potável, e, veja só, um cemitério vertical em uma alta colina!

Pisaq
Pisaq

A cidade de Ollantaytambo

Ollantaytambo (carinhosamente chamada de Ollanta) é outra cidade fantástica, onde vale a pena separar alguns dias para conhecê-la.

Esta cidade nunca foi desabitada, já que após os incas serem vencidos, os espanhóis passaram a residir por lá.

Ainda hoje, muito do que foi construído pelos incas é visível e até mesmo útil para a cidade. Como exemplo, tem-se o sistema de irrigamento inca que distribui água limpa para o povo.

Ollantaytambo
Ollantaytambo

Construções incas de Ollantaytambo

Como uma continuidade da cidade, no alto do morro que protege a cidade de Ollanta, está o Parque Arqueológico Nacional Ollantaytambo.

No Parque existem inúmeras construções incas preservadas. Templos, casas, terraços para plantação e muito mais.

A vista que se tem do vale lá do alto do Parque é incrível!

Chinchero

Outro povoado inca que não teve chance contra os espanhóis. Atualmente, Chinchero é muito visitada por causa de suas ruínas (é claro!) e também por causa da produção artesanal de lã de alpacae pela confecção de roupas.

Curiosidade: A lã de Chinchero é feita com as mesmas técnicas que os incas utilizavam.

Maras

Maras é uma cidade que fica a 40 quilômetros de Cusco, bem pequenininha, mas que possui uma salineira formada por mais de 4 mil poços de sal empilhados na encosta de um grande vale. Esse local atrai a atenção de praticamente todos os turistas que passam pela região, por isso os tours para lá são bem comuns.

Moray

Moray é outro sítio arqueológico inca, que possui imensos terraços com formatos circulares.

Segundo alguns estudiosos, estes terraços eram utilizados para estudos e experimentos de cultivos.

Trekkings e aventura

Para quem curte aventura e muita natureza, há ainda a opção de encarar um trekking, fazendo um bate-e-volta de um dia, saindo de Cusco.

Laguna Humantay

Trekking de 7 km de ida e volta, em que o objetivo é chegar na lindíssima Laguna Humantay, uma grande lagoa com tonalidades verdes e azuis, e cercada por montanhas imponentes.

Os tours geralmente saem bem cedo, já que o local onde se inicia a caminhada fica a aproximadamente 3 horas de Cusco.

Montanha Colorida

Trekking de 14,5 km (ida e volta), que te levará até uma montanha sagrada e que possui várias cores.

Assim como nos tours para a Laguna Humantay, também é preciso acordar bem cedo – as vans geralmente saem às 04h00 da manhã e levam cerca de 3h30 para chegar ao ponto onde se inicia o trekking.

O blog Fui Ser Viajante tem um post bem legal para sobre este trekking. Quem tiver interesse em se aventurar também, indico a leitura: Montanha de Sete Cores no Peru.

Machu Picchu

Machu Picchu é um lugar tão especial que vamos fazer alguns posts específicos só sobre lá! E, como sempre, vamos te passar as melhores dicas e informações atualizadíssimas.

Siga nossas redes sociais para não perder nada!

Fanpage Insta

Posts sobre Machu Picchu:

Post 1 – Machu Picchu: 7 macetes simples que podem salvar a sua viagem

Post 2 – Como chegar em Machu Picchu de trem saindo de Cusco [Passo a Passo]

Post 3 – Regras de visitação de Machu Picchu

Post 4 – Tudo sobre a vista em Machu Picchu


Cusco à noite
Cusco à noite

Este guia foi montado com todas as informações que registrei e que precisei saber antes e durante a nossa viagem. Mas é claro que muitas outras informações sobre Cusco podem ser acrescentadas!

Se você quiser colaborar com a gente e ajudar outros viajantes, deixe nos comentários mais sugestões e informações relevantes. Agradecemos de 💚

Abraços!


Tudo para a sua viagem

Hospedagem
Reserve o melhor hotel para a sua viagem com o menor preço. Com o Booking você compara diversas opções e escolhe o hotel com melhor custo x benefício. Reserve agora mesmo, com opções de parcelamento e cancelamento grátis.
 Seguro Viagem
Não dá para viajar despreocupado sem seguro viagem! Compare os preços de seguros com os dois melhores sites no assunto: Real Seguros e Seguros Promo. Sempre reservamos nosso seguro através destes sites, e o valor pode ser dividido em até 12x no cartão. No final fica baratinho e viajamos tranquilos, sem medo de imprevistos! Para a Seguros Promo, utilize o Cupom NAJANELA5 e ganhe 5% de desconto!
Alugue um carro Alugue um carro
Nada melhor do que a liberdade que um carro alugado pode dar para uma viagem! Antes de alugar um carro compare os preços das melhores locadoras do Brasil e do mundo com a RentCars e garanta o melhor preço. A cobrança poderá ser feita em reaissem IOF, e o valor dividido em até 12 parcelas no cartão de crédito. Pagando no boleto, você ainda ganha um desconto de 5%.
Passagens aéreas baratas
Procurando passagens aéreas? Dê uma olhada no Passagens Promo, que tem sempre ofertas imperdíveis! Através do Passagens Promo, você obtém uma relação atualizada instantaneamente por ordem de preços dos vôos. São milhares de trechos exclusivos, com tarifas diferenciadas e até 65% de desconto.

Reservando com nossos parceiros, você garante o melhor serviço, consegue o menor preço e ainda ajuda na manutenção do Viajando na Janela (e sem pagar nem um centavo a mais por isso!).


Escrito por

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

11 Comentários

  1. Oi Flávio, este blog nos ajudou bastante, muito bem explicado, estamos indo agora em setembro um grupo de cinco pessoas. Eu já entrei em contato com o Fermim, foi super atencioso, ele é bem organizado com os passeios mesmo (interrogação) rsrsr Obrigado.

    • Flávio Borges Responder

      Olá Geovani

      O Fermin se mostrou bem organizado e também bem preocupado com o nosso bem estar durante os passeios. Tenho certeza que ele vai dar todo o apoio para que a viagem de vocês seja inesquecível!
      Se você se lembrar, mande um abraço pra ele por mim. 🙂

  2. Olá, boa noite

    Queria apenas dar uma sugestão de correção, ainda não li o book completo. A cidade de cusco fica a 3400 metros acima do nível do mar. Estou lendo que foi colocado que cusco está a 4300.

    • Flávio Borges Responder

      Opa! Erro meu mesmo.
      Obrigado pela dica.. já está certinho agora!

      Abraços

    • Flávio Borges Responder

      Olá!
      Não aconteceu com a gente, mas já ouvi relatos de que alguns sítios arqueológicos podem fechar no período de chuvas sim.
      Abraço!

  3. Parabéns! O guia ficou completíssimo e muito bem ilustrado. Nível Lonely Planet!
    Fui a Cusco em 2011 e 2013, já tá na hora de voltar mais uma vez!

    • Flávio Borges Responder

      Oi Gisele! Valeu pelos elogios, mas “nível Lonely Planet” você pegou pesado hahaha

      Abraços!

Escreva um comentário