Uma velha senhora corcunda, vestida com uma saia volumosa e um típico chapéu-coco, entra em uma das lojas da Rua Liñares. Com suas mãos trêmulas, ela examina minuciosamente alguns itens… pouco a pouco, ela vai separando algumas coisas em um saco de pano, sempre perguntando ao vendedor os preços. Além de objetos como um sapo seco, amuletos da sorte, ervas frescas, poções de cura e incensos, ela resolve comprar também um pequeno feto de lhama mumificado para uma oferenda.

Narrada desta maneira, pode até parecer que tirei esta cena de algum livro infantil de contos de fadas, daqueles onde sempre existe uma bruxa má.

Mercado de las Brujas

Mas não! Situações assim repetem-se rotineiramente em um dos lugares mais curiosos de La Paz – e que tem um nome pra lá de estranho: o Mercado das Bruxas ou Calle de Las BrujasSe eu tivesse que escolher apenas um adjetivo para a Calle de las Brujas, acho que escolheria “incomum”… Não, não, espere…

“Excêntrica”! Esta seria a palavra perfeita para resumir aquele cenário!

E o porquê disso? Você descobre agora!


Afinal, o que é o Mercado das Bruxas?

Resumidamente, o Mercado das Bruxas é um local no centro de La Paz onde são comercializados vários itens relacionados às religiões de povos andinos como os Aymará e os Quéchua. As lojas de lá lembram muito aquelas de umbanda ou candomblé que temos aqui no Brasil.

Mas o lugar não fica restrito só a este tipo de comércio. No Mercado das Bruxas também são encontradas roupas, tapetes, itens de decoração, artesanatos, souvenires, jóias e muitas outras coisas.

Uma das entradas do Mercado

Durante o dia todo, turistas do mundo inteiro transitam por lá com suas máquinas fotográficas penduradas no pescoço ou caídas no ombro. Mas a maioria dos que procuram o Mercado são moradores locais em busca de remédios ou objetos para rituais de boa sorte, proteção, sucesso, prosperidade, amor e outros benefícios.Apesar do apelido “Calle de Las Brujas”, o lugar vai muito além de apenas uma rua, formando, na verdade, um grande mercado cheio de tendas e lojas que se espalham por várias ruas no centro de La Paz.

É até estranho ver o contraste que se tem ali naquela região. O enorme mercado funciona bem atrás de uma das catedrais mais icônicas de La Paz, a Igreja de San Francisco, construída pelos espanhóis no século XVIII.




O que se vende por lá?

Como comentei, a maioria dos itens comercializados por lá são exotéricos e não são (ou pelo menos não deveriam ser) destinados a rituais de magia negra.

Cesto montado para Pachamama

A grande maioria dos povos da Bolívia cultuam Pachamama, a deusa da terra e da fertilidade, que mantém o equilíbrio cósmico. Então, os objetos vendidos no mercado são destinados, principalmente, às celebrações de culto e oferenda a esta Deusa.

Para agradar e pedir proteção à Pachamama são usados vários métodos.

Um dos mais conhecidos é a montagem de uma espécie de cesto (como este aí de cima), onde são colocados amuletos, doces, incensos, velas, folhas de coca, pêlos e penas de animais e até mesmo bebidas alcoólicas.

E é lógico que no Mercado das Bruxas se acha tudo isso e mais um pouco. Se você quer praticidade, tudo bem! Dá pra comprar o cesto já montadinho –  se duvidar, tem até delivery haha.

Os fetos de lhama, pendurados por todos os lados do mercado, são os itens que chamam mais atenção.

Os famosos (e bizarros) fetos de lhama são muito procurados por pessoas que vão construir uma casa nova e que, segundo a tradição Aymará, precisam enterrar ao menos um exemplar no terreno da construção. O feto é colocado bem abaixo da pedra fundamental do imóvel, em um ritual de oferenda para pedir proteção a Pachamama.

Fetos de lhama pendurados

Mas não é só para este ritual que os fetos são utilizados. Muitas das vezes eles também são queimados por pessoas que querem agradecer à Deusa por alguma conquista.Bom, se assim como eu você também achou meio macabra esta situação das pobres lhaminhas, saiba que muitos dos vendedores e vendedoras juram de pés juntos que os fetos são originários de abortos naturais, que as lhamas abortam muito, etc etc… Bem, pelo número de fetos que vi por lá, sinceramente, não consigo acreditar nisso…

Fantasias encontradas no Mercado das Bruxas

Outra curiosidade sobre o povo boliviano é que no país a medicina natural e o curandeirismo tem muito mais crédito que a medicina convencional e são extremamente difundidos para o tratamento dos mais diversos tipos de doenças. Desde um simples resfriado até mesmo um câncer, tudo pode ser remediado com algumas doses diárias de chá, uma boa benzida ou por meio de alguma pomada milagrosa.

Nas ruas de cima do Mercado das Bruxas, principalmente na avenida Illampu, a gente se depara com várias cholas em suas barraquinhas vendendo plantas medicinais e atuando como verdadeiras médicas. Além de vender as plantas, elas também passam receitas e recomendam tratamentos – se duvidar, dão até atestado! 😅

Já nas lojas do Mercado das Bruxas, é mais comum encontrar os remédios já embalados e as plantas desidratadas.


O que comprar?

Quando estivemos no Mercado, optamos por conhecer a parte que vende estes produtos exóticos para matar a curiosidade e depois caminhar até as lojas “mais comuns” que vendem roupas e artesanatos.

Esta outra parte é uma boa pedida para quem pretende comprar um (ou dois) souvenires!

Blusas, cachecóis, mantas e ponchos feitos de lã de ‘alpaca’ tem um preço bem legal. A Geisi mesmo comprou um poncho, e pagou cerca de 70 bolivianos (R$35,00).

Além de roupas, há também bastante lembrancinhas como ímãs, chaveiros, canetas decoradas com uma lhaminha na ponta, camisas com estampas engraçadas ou com a figura de Che Guevara (que foi morto na Bolívia em 1967).

Outros itens legais para se comprar são pequenas esculturas, consideradas amuletos. Cada uma tem uma forma e um significado: a figura do condor é pra trazer sorte aos viajantes; a tartaruga traz longevidade; o sol representa a paciência e a inteligência; “la pareja” (casal abraçado) atrai o amor; o pequeno monolito do Tiwanaku é pra chamar prosperidade no trabalho; a representação de Pachamama atua protegendo a família. Cada um destes amuletos costuma custar cerca de 10 bolivianos (+ou- R$5,00).


Quanto tempo separar para conhecer o Mercado das Bruxas?

Separe pelo menos umas 3 horas para visitar o Mercado. E se você gosta de fazer compras, considere pelo menos uma tarde ou uma manhã do seu roteiro em La Paz para perambular por lá.

Uma boa dica é visitá-lo logo no seu primeiro dia em La Paz. Como o Mercado não é muito grande, você não terá que fazer muito esforço e, consequentemente, poderá se aclimatar melhor antes de partir para passeios que exigem mais aclimatação.


O Mercado de Las Brujas é super autêntico e retrata fielmente a cultura, a religião e o modo de vida boliviano. Vá por mim, não deixe ele de fora do seu roteiro!



Programe sua viagem com a gente!

O Blog Viajando na Janela participa de alguns programas de afiliados. Entre os nossos parceiros estão o Booking e a Real Seguros.

Sempre que você faz alguma reserva ou contrata seu seguro viagem utilizando nossos links, ganhamos uma pequena comissão, que ajuda nos gastos que temos para manter o Blog ativo e atualizado. 🙂

Então, se você curte o nosso trabalho e quer colaborar, basta fazer a sua reserva através dos banners abaixo. Você não paga nada a mais por isso! Agradecemos de ❤

Hospedagem

Reserve sua hospedagem em La Paz pelo Booking

Seguro Viagem

Faça sua cotação com a Real Seguro!


Leia também

Author

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

4 Comments

  1. Que lugar sinistro!! Quando fui em Lima tinha algumas coisas assim, mas nem tão assombrosas como esssas. Vou visitar a Bolívia na minha próxima viagem na América do Sul. Visito o deserto de sal, pego o ônibus Bolivia Hop e vou para La Paz conhecer esse mercado. Você pegou o bondinho lá de La Paz? Vale a pena?
    Abraços!

    • Flávio Borges Reply

      Fala Marlom!

      Realmente em Lima não encontrei um Mercado tão “diferente” como o Mercado das Bruxas.
      Quanto ao bondinho, fizemos um passeio nele sim e valeu muito a pena. O bilhete é baratíssimo e ver a gigante La Paz do alto é bem legal.

      Neste post conto um pouquinho sobre o passeio: https://viajandonajanela.com/roteiro-3-dias-la-paz/

      Abraços!

  2. Só de entrar nesse lugar deve ser uma experiencia bem diferente né? Gostaria de conhecer esse mercado um dia, mas confesso que esses fetos assim expostos…. não curti, mas … tradição e costumes, coisas que aprendemos nas viagens 😉
    Belo post e fotos

    • Flávio Borges Reply

      Cara, não tem como negar, os fetos pendurados são meio bizarros mesmo. Mas, como você disse, vale a pena uma passada neste lugar para ter um contato maior com a tradição e com os costumes do povo boliviano.

      Abraços!

Write A Comment