Segundo os historiadores, Ayutthaya  era uma das maiores e a mais imponentes cidades que existiram no mundo entre os séculos 17 e 18. Naquela época, Ayutthaya  era referência para todo o comércio do oriente, exportando grande parte da seda, madeira, peles e marfim para países próximos e também para a Europa. As ruas e templos de lá eram repletos de enfeites feitos com ouro e pedras preciosas. Em seu auge, a cidade contava com mais de 1500 templos, mais de 4000 mil estátuas de buda e uma população de mais de um milhão de pessoas. Maaaaas...


Mesmo com todo esse tamanho, a gigante Ayutthaya foi quase que totalmente destruída pela Birmânia (atual Myanmar). Depois da invasão, que colocou fim ao império de Sião (nome antigo da Tailândia) o exército birmanês saqueou todas as riquezas do lugar e por lá só sobraram ruínas.


 


Apesar de que grande parte da cidade converteu-se a pó, centenas de anos após a destruição as várias ruínas que ficaram de pé atraem uma multidão de turistas e historiadores do mundo inteiro.

E é claro que uma cidade histórica cheia de templos ancestrais e ruínas imensas não poderiam ficar de fora do nosso roteiro!




Ponto de partida: Bangkok

Ayutthaya fica a aproximadamente 80 km de Bangkok. Pela proximidade, grande parte dos viajantes optam por fazer um passeio bate-e-volta de um dia até lá saindo da capital tailandesa.

Particularmente, eu achei que um dia para conhecer o lugar foi pouco. Ainda mais que ao lado das antigas ruínas cresceu a nova Ayutthaya, uma nova cidade contemporânea, mas ainda assim cheia de templos.

Como não tínhamos muito tempo disponível em nosso roteiro, o jeito foi reservar somente um dia para conhecer o básico.

Para se chegar em Ayutthaya saindo de Bangkok existem várias opções: trens, ônibus, táxis, vans e passeios contratados.

Mini-bus: Em Bangkok, basta pegar um táxi ou sky train e descer na Estação Mo Chit. De lá saem mini-bus para Ayutthaya a todo momento. O valor é 70 bahts e o tempo de viagem é de +ou- 2 horas.

Trem: é a forma mais econômica, indo na terceira classe você pagará 20 bahts, o que não dá nem 2 reais. A viagem de trem pode demorar de duas a três horas e não é muito confortável.

Lembre-se que indo de trem ou de ônibus você terá que contratar um um tuk-tuk para rodar por lá, já que os templos são bem distantes uns dos outros.

Se você estiver animado (mas muito animado mesmo!), dá pra alugar uma bike em uma das várias lojas do centro e pedalar até as atrações. Só recomendo um bom filtro solar e um chapéu ou boné já que o calor em Ayutthaya é extremamente forte.

Ayutthaya | viajandonajanela.com


Contratando um Tour

Apesar de não ser minha forma predileta de se conhecer lugares, tenho que admitir que contratar uma agência para nos levar até Ayutthaya foi a melhor pedida. E as razões são simples:

✅ A parte histórica de Ayutthaya é muito grande, não dá pra fazer tudo a pé, e se você for de bike vai perder um tempo nos deslocamentos.

✅ Se você não quiser alugar uma bicicleta, terá que contratar um tuk-tuk, o que pode ficar mais caro que o passeio com a agência (que ainda inclui almoço).

✅ Indo com uma agência você será acompanhado por um guia que explicará toda a parte histórica que envolve o lugar. E, convenhamos, visitar Ayutthaya, berço histórico da civilização tailandesa, sem  entender o que se passou por lá definitivamente não é uma boa ideia!

Nós demos muita sorte de conseguir fazer este passeio! Isto porque deixamos para olhar a agência na última hora. E quando eu falo em última hora, me refiro às 21:00 hrs do dia anterior ao passeio! 😂

Ayutthaya | viajandonajanela.com

Nós já estávamos na noite do penúltimo dia em Bangkok quando lembramos que tínhamos que ir até a Khao San ver se conseguíamos contratar alguma agência para fazer o passeio até Ayutthaya. Detalhe: o passeio teria que ser na manhã do dia seguinte.

Chegamos na Khao San por volta das 21:30 horas e várias agências de turismo e casas de câmbio já estavam fechadas. Demos algumas voltas por lá até que encontramos uma agência aberta (ufa!). A agência era a Fabulous Diving Tour and Travel e demos muita sorte que o senhor que nos atendeu foi muito gente boa. Perguntamos se ainda tinha vaga para o passeio para o dia seguinte e, sem nos responder, ele pegou o celular, ligou pra alguém e conversou (em tailandês) por alguns instantes, sabe-se lá o que.  O fato foi que ficamos com muito medo de não conseguirmos o passeio. 😖 Por muita sorte, o cara desligou o telefone, abriu um sorriso e disse: "Yes, you can go tomorrow!". Neste momento pudemos soltar a respiração, iríamos à Ayutthaya!


 


Moral da história: não faça como a gente! não deixe pra contratar seu passeio na última hora! 😂

Pelo passeio, nós pagamos aproximadamente R$ 67,00 reais por pessoa, com almoço incluso.


Conhecendo Ayutthaya

No dia seguinte, a van da agência nos buscou no hotel às 6h30 horas (quase não deu tempo de tomar café 😥). Após pegarmos outros turistas, fomos até um ponto de Bangkok onde trocamos de van. Neste lugar fomos recepcionados por uma guia muito simpática que nos acompanhou durante todo o passeio.

Guia do passeio em Ayutthaya
Nossa guia.

A van era composta por um grupo de 12 pessoas, e em Ayutthaya nos encontramos com mais umas três vans da mesma agência.


Primeira parada: Chedi Phukhao Thong

Chegamos em Ayutthaya aproximadamente 10h30, depois de 1h20 de viagem e mais um tempinho para tomar um café na estrada.

A primeira parada foi na parte da cidade que abriga o Chedi Phukhao Thong.

Chedi ou estupa são construções parecidas com grandes torres cônicas, que são erguidas onde existem restos mortais de alguma pessoa importante para a religião budista.

imagens de buda em Ayutthaya

Este lugar é formado por várias ruínas da antiga cidade, e, como destaque, existe um gigantesco Chedi. A torre tem mais de 50 metros e foi construída em 1395. Infelizmente a torre estava em reforma e nós não pudemos acessa-la.

A guia passou um bom tempo explicando a história de lá e, ao final, nos deu 1 hora para conhecer as ruínas e fotografar. Lá existia ainda um local de recepção, logo na entrada das ruínas, com várias imagens de buda e um monge que, pelo que percebi, estava tomando conta do lugar.

Ayutthaya por Viajando na Janela


Wat Lokayasutharam

Wat Lokayasutharam é um dos templos mais conhecidos de  Ayutthaya (Wat = templo em tailandês), e abriga uma estátua gigante do buda reclinado que tem mais de 8 metros de altura e 37 de comprimento!



O lugar realmente é impressionante, cheio de ruínas e torres que lembram a arquitetura dos templos do Camboja, mas sua fama veio principalmente por causa de um game das antigas. O buda reclinado de lá está presente ao fundo da  fase do Sagat do Street Fighter (quem é que nunca passou aperto naquela fase, não é?!😝).  guia nos pediu para que não fizéssemos poses de luta em frente ao Buda pois isto era desrespeitoso. 😞

Passeamos um tempo por lá e logo depois partimos para o Wat Mahathat, outro templo muito procurado pelos turistas.

crianças em Ayutthaya
Enquanto a guia explicava a história do Wat Lokayasutharam, estas duas figurinhas estavam sentadas bem próximo do nosso grupo.

Wat Mahathat

O Wat Mahathat foi o lugar mais incrível que visitamos em Ayutthaya. O complexo de ruínas de lá é bem grande e abrange uma grande quantidade de restos de budas, alguns budas restaurados e várias torres e escadarias.

A entrada deste lugar é paga (50 bahts), mas já estava incluso no nosso passeio.

Ruínas de em Ayutthaya

Logo na chegada, a guia nos contou a história de uma das atrações mais curiosas de lá, a cabeça de buda que encontra-se envolta nas raízes de uma árvore.

Segundo a guia, quando aconteceu a invasão que colocou fim ao império de Ayutthaya, o exército birmanês cortou as cabeças dos budas que existiam por lá para que os espíritos dos deuses deixassem o lugar. Segundo ela, uma das cabeças foi deixada próximo às raízes de uma árvore que com o tempo cresceu e a englobou.


 


Tivemos cerca de uma hora para conhecer tudo, mas achei que este tempo foi pouco. Tinham muitas ruínas para ver e no final faltou conhecer um bom pedaço. Mas se ficássemos mais tempo por lá, não daria tempo de visitar os outros templos...

Visitamos o que deu, embarcamos na nossa van e fomos almoçar.

Pessoal, eu não poderia deixar isto passar em branco. No caminho para o Wat Mahathat vimos muitos turistas andando em elefantes. O problema que muita gente não sabe é que os elefantes utilizados neste tipo de atração são extremamente maltratado e sofrem demais para chegar ao ponto de deixar alguém subir em suas costas. Não ajude a alimentar este tipo de brutalidade. Caso você realmente queira ter contato com elefantes, procure algum parque de reabilitação de animais. Nós estivemos no Elephant Nature Park, uma ONG que resgata e cuida de elefantes explorados, e indicamos o passeio por lá. (Logo, logo sai o post contando como foi este passeio!)


Wat Phra Si Sanphet

Chegamos no nosso último destino, o Wat Phra Si Sanphet, cerca de 13 horas. O almoço foi servido em uma espécie de bar, bem simples, que ficava um pouco antes da entrada do templo. Sobre o almoço... bem, aquele não foi o melhor almoço da viagem, mas deu pra não ficarmos com fome. 😐

Almoço oferecido pela agencia durante o tour para Ayutthaya

Almoçamos e fomos direto para o templo.

Este foi o lugar mais conservado que visitamos. Lá existem três estupas imensas que foram construídas para abrigar as cinzas da família real da antiga Ayutthaya. Neste lugar dá para caminhar por entre as construções e também subir os vários degraus das estupas.

Depois do almoço, com um dia bem quente e depois de ter rodado vários lugares em da antiga Ayutthaya, não fiquei muito animado de subir e descer aquelas escadarias não. 😅 A Geisi e eu demos uma olhada no lugar, tiramos algumas fotos e sentamos para curtir a sombra de uma árvore em meio àquele cenário de filme.

 

Dica: você pode entrar nas estupas, contudo saiba que lá existem alguns morcegos por lá. haha

Atrás das três estupas está o templo Wat Phra Ram, que também se encontra bem conservado.

Ruina de um antigo templo em Ayutthaya

Fim de um dia inteiro de passeio, retornamos para Bangkok.


Não deixe de conferir nossa lista de coisas imperdíveis para se fazer em Bangkok!


Considerações finais

Apesar das restrições do passeio oferecido pelas agências, acho vale muito a pena contratar o tour caso você não pretenda gastar mais do que um dia para conhecer a cidade.

Vi alguns relatos de pessoas que tentaram economizar indo de trem, mas que ao chegar em Ayutthaya tiveram que contratar um tuk-tuk e o passeio ficou mais caro do que se tivessem ido com uma agência.

Outro ponto positivo do passeio contratado foi que não tivemos que nos preocupar com almoço, com os deslocamentos e com a volta.

Mas, independentemente da forma como você prefira se deslocar, não deixe de incluir Ayutthaya no seu roteiro. A experiência de conhecer as ruínas de uma civilização tão antiga é algo para levarmos para toda a vida!


Gostou do post? Então siga nossa página do Facebook e siga nosso perfil no Instagram. Ainda vai rolar muita coisa sobre a Tailândia aqui no Viajando na Janela! 😀

Escrito por

Flávio é mineiro, 29 anos, cursa direito e trabalha como administrador público. Mesmo com os estudos e o trabalho, sempre aproveita suas férias e feriados para dar uma esticadinha por ai. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

26 Comments

  1. Ei Flavio,

    Você se lembra a que horas o tour retorna para BKK?

    • Flávio Borges Reply

      Fala Cleyton!

      Chegamos em Bangkok, mais especificamente na Khao San, às 15:30. De lá pegamos um uber para o hotel em que estávamos hospedados (Novotel Sukhumvit 20) e levamos quase 2 horas para chegar. O trânsito de Bangkok às vezes assusta! rsrs

      Abraços!

  2. Ayutthaya é um lugar incrível, você soube passar de uma forma tão envolvente a experiência de vocês que é impossível não ficar animado pra visitar, um lugar cheio de história e uma beleza única, não dá pra deixar de fora. Achei o preço da agência super em conta, pela comodidade valeu super a pena e suas fotos estão lindas. Parabéns

  3. Lugar fascinante mesmo! Adorei as fotos e o artigo, ele nos deixa mais que ansiosos a querer conhecer a cidade.
    Adoro passeios assim pra conhecer a essência de cada local, concordo que guias são fundamentais nessa hora.
    Parabéns pelo post!

  4. Keul Fortes Reply

    Que post incrível! Esse lugar é fantástico. Impressionante a riqueza! Gostei muito de saber mais sobre ele. Post bem útil! Já salvei nos favoritos. Obrigada pelas dicas! Parabens!

  5. Eu tô sem palavras com esse post Flávio, sério. Sue lugar sensacional! Nunca tinha ouvido falar e adorei conhecer um pouquinho ao ir lendo seu relato. A gente sempre tem que pesquisar muito todo passeio né? Apesar das agencias terem fama de encarecerem as viagens, tem vários passeios que com eles a gente além de ir mais tranquilo, ainda economiza 😉

  6. Oi, Flávio! Acho que nunca tinha visitado seu blog, mas gostei demais do conteúdo e do formato das postagens. Antes a Ásia se resumia à China e Japão para mim. mas de uns tempos pra cá (principalmente com as leituras do Diário de Polly, hiuehe) eu estou mais e mais entusiasmada pela Ásia e por destinos que nunca tinha pensado conhecer. Achei demais Ayutthaya e gostei muito das fotos. Quando eu for pra Tailândia (um dia eu vou!), certo que vou reler cada postagem sua hueheui

    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

  7. Quando o tempo é curto e há essa opção de tours, tb prefiro pagar para não ter que preocupar. Acho que vcs fizeram muito bem! As fotos, como sempre, estão incríveis! Eu babo nesse blog =D Parabéns pelo post, tá super informativo e sincero. Beijo!!

    • Flávio Borges Reply

      Obrigado pelos elogios! Um abraço pra você! 😉

  8. Adorei as dicas! Tambem não curto passeios com agências, mas se só tem tu vai tu mesmo, né? É nesse lugar que existem passeios de balão ou estou confundindo com outro destino?

    • Flávio Borges Reply

      Olá, Márcia!

      Não vimos nenhum tipo de passeio de balão por lá não. Apesar que bem que eu gostaria que tivesse, viu?

      bjos!

  9. Flávio, além de excelentes dicas você sempre arrasa nas fotos. Parabéns demais! Eu fico hipnotizada com suas fotos e me sinto viajando com vocês. Muito obrigada!

  10. Que horario esse passeio acabou?
    Apenas para saber se da para programar algo a noite em bangkok, ou tenho que reservar o dia inteiro mesmo…

    • Flávio Borges Reply

      Fala Moises!
      Nós chegamos em Bangkok aproximadamente às 15h30, então dá pra programar algo para a noite sim.

      Um abraço!

  11. Maravilhoso este post. A Tailândia deve ser incrível cheia de história e uma cultura completamente diferente, deve ser demais conhecer este lugar.

  12. Ainda há pouco tempo escrevi no meu blog um artigo sobre Ayutthaya. Eu adorei ir lá 🙂 Fui de comboio e tuk tuk não foi nada caro. Tudo na Tailândia é barato, desde que bem negociado! Mas como diz, há formas diferentes de ver as mesmas coisas…

  13. Ayutthaya foi um dos passeios mais interessantes que fiz na Tailândia. Foi mto bom para conhecer sobre o passado desse povo.
    As fotos do post estão lindas! As mais bonitas que já vi até agora.

  14. Incrível e apaixonante! Viajei nas suas fotos!
    Espero um dia conhecer fazer minha tão sonhada viagem aos países asiáticos!

  15. Oi Flávio! Com certeza, é um local que tem que ser incluído no roteiro. Muito legal. Adorei! Parabéns pelo post!
    Abraços,
    Carolina

  16. Um lugar lindo, cheio de história e, pelo que parece, com uma energia boa! Com certeza um dia ainda quero conhecer. Obrigada pelas dicas.

  17. um dos lugares que com certeza está na minha lista! Interessante saber mais de como contratar os passeios e chegar até lá, realmente é um lugar de tirar o fôlego! Valeu pelas dicas.

  18. Grande Flavão. Arrasando em mais uma postagem!

    Estou adorando acompanhar o relato de vcs… Sempre que tenho um tempinho livre corro aqui pra dar uma conferida! 😛

    O engraçado desse passeio de vcs é que só o Wat Mahathat foi um templo em comum com o nosso. No nosso passeio fomos ao wat phanan choeng, Wat Yai Chai Mongkol, e Wat Chaiwatthanaram fora esse das ruínas. Também fizemos um passeio de barco no rio (Chao Phraya River) e jantamos em um restaurante as margens dele. Ahh sim, nosso passeio foi na parte da tarde.
    Lembro que pagamos R$ 75, mas valeu a pena, passamos por muito lugares e ganhamos lanchinhos.

    Uma observação importante que vcs fizeram foi essa questão do turismo com elefantes. Vocês acreditam que no meio de toda nossa tarde, a van parou em um desses atrativos??! Eu lembro de ter visto uma foto no catálogo do passeio. Um turista montado no elefante, e ter falado pro cara que nos vendeu que não queria fazer aquilo. Ele disse que não faríamos, mas não falou sobre parar lá… Nosso guia nos deu 1 coco para alimentarmos os bichos, me limitei a fazer isso e fui embora. O foda foi ver um filhote fazendo “poses” para agradar os turistas que lá estavam, foi desconfortante e na nossa cara ficou evidente nosso mal estar…
    Não ficamos nem 5 minutos no local 🙁

    É muito fácil cair nessas armadilhas em Ayutthaya, mas vale a pena continuar combatendo. Vamos fazendo nossa parte.

    Beijos casal, tá tudo lindo!

    • Flávio Borges Reply

      Olá, moça!

      Realmente percebi pelas fotos de vocês que o seu passeio foi diferente do nosso. Ayutthaya é muito grande, deve ter vários tipos de lugares para conhecer por lá, né? (Já estou esperando o post no levesemdestino.com com todos os detalhes do tour que vocês fizeram haha)

      Quanto aos elefantes, temos que ficar espertos para não contratar passeios que nos levem a financiar os maus tratos aos “bichinhos”. E, mesmo tendo este cuidado, pode ser que a agência acabe por levar-nos até lá. Ai o jeito é fazer como você fez… Esta realidade na Tailândia é bem triste.. espero que as pessoas se conscientizem para que este tipo de exploração acabe logo.

      Um abraço pra vocês!

Deixe seu comentário!