Tendo o budismo como religião predominante (cerca de 95% da população), estima-se que a Tailândia possua mais de 40 mil templos espalhados por seu território.
E na capital, Bangkok, estão centenas deles!


Com tantas opções de templos incríveis e um roteiro apertado, eu sei que fica difícil decidir quais deles conhecer. Cada um parece ser mais interessante e mais bonito que o outro e, no final, a gente fica numa indecisão danada sobre quais realmente vale a pena visitar.

Considerando que é praticamente impossível dispor de tanto tempo em uma viagem para visitar todos os templos espalhados por Bangkok, vou listar e comentar sobre os principais templos budistas da cidade e, no final do post, deixo uma sugestão de roteiro baseado na experiência.


Salve a imagem no Pinterest e não perca estas dicas!


O que devo saber antes de visitar um templo?

Antes de mais nada, devemos ter em mente que os templos são locais destinados à prática religiosa (e os tailandeses levam isso muito a sério!), portanto, precisamos respeitá-los como tal.

Apesar de serem abertos à visitação de turistas, os templos tailandeses são muito mais do que meros pontos turísticos. Para evitar broncas desnecessárias, é importante ter conhecimento de algumas regrinhas que são fundamentais para visitar os templos budistas:

  • É costume deixar os calçados do lado de fora – não só nos templos mas em boa parte das hospedagens, lojas e residências;
  • Não aponte os pés para Buda. Geralmente sentamos perante as imagens com os pés para trás;
  • Wat significa templo, em tailandês;
  • Em alguns templos não é permitida a entrada de mulheres;
  • Outros não permitem que o seu interior seja fotografado (infelizmente vimos muita gente desrespeitando essa regra);
  • Nunca toque em um monge;
  • Vista-se adequadamente.

Dress Code: o que vestir para visitar os templos de Bangkok?

Sim, faz muuuito calor em Bangkok, e na maior parte do tempo você vai usar short e regata. Porém, para visitar os templos budistas é necessário vestir-se adequadamente.

De uma forma geral: homens podem entrar com camiseta e bermuda e mulheres devem cobrir os ombros e joelhos (não é permitido legging nem roupas transparentes).

O Grand Palace é o mais exigente neste quesito: homens devem usar calças compridas e camiseta com manga, e mulheres devem usar blusa com manga e calça ou vestido longo (também vale levar um lenço grande ou canga e amarrar na cintura, como uma saia – desde que não fique acima do tornozelo – e usar outro para cobrir os ombros).

Como os templos são bastante turísticos, você vai encontrar na porta de cada um uma placa indicando as vestimentas permitidas e o que é proibido fazer dentro deles.

Quais templos visitar em Bangkok?

Entre as centenas de templos espalhados pela capital tailandesa, o templo mais visitado e mais importante da cidade sem dúvidas é o Wat Phra Kaew, que fica dentro do famoso Grand Palace, a antiga residência da família real.

Os templos Wat Pho, onde está a imagem gigante do Buda reclinado, o Wat Arun (conhecido como Templo do Amanhecer) e o Wat Traimit, que possui a maior imagem de Buda feita de ouro maciço do mundo, seguem logo após o Grand Palace como os preferidos dos turistas.

Esses são foram os templos que visitamos em Bangkok e que consideramos como sendo os principais:

  • Wat Ratchanatdaram – Loha Prasat
  • Wat Saket (Temple of The Golden Mount)
  • Grand Palace / Wat Phra Kaew (Templo do Buda de Esmeralda)
  • Wat Pho (Templo do Buda reclinado)
  • Wat Benchamabophit (Templo de mármore)
  • Wat Arun (Templo do amanhecer)
  • Wat Traimit (Templo do Buda dourado)

➳ Leia também: O que fazer em Bangkok


1) Wat Ratchanatdaram – Loha Prasat

O Templo Wat Ratchanatdaram foi construído em 1846 e fica no distrito de Phra Nakhon, pertinho da Khao San Road (+ou- 12 minutos de caminhada). Também faz parte do complexo do templo o Loha Prasat, que pode ser traduzido como castelo de ferro.

As 37 virtudes que são necessárias para atingir a iluminação, segundo o budismo, são representadas por 37 torres feitas de metal dourado que se erguem imponentes no céu de Bangkok. A parte mais alta da torre central está a 36 metros do chão!

O Wat Ratchanatdaram foi um dos templos mais vazios que visitamos na cidade e isso foi um ponto super positivo. Tivemos a oportunidade de fazer fotos sem ter que dividir espaço com outros turistas, rodamos pelos corredores do templo praticamente sozinhos e exploramos todos os andares.

Em aproximadamente uma hora foi possível conhecer tudo. A entrada é gratuita mas há uma caixa de doações na entrada do Loha Prasat, onde o valor sugerido é de 20 bahts.

Horário de visitação: 08:00 às 17:00.

2) Wat Saket (Temple of The Golden Mount)

O Wat Saket, um dos primeiros templos construídos em Bangkok, é conhecido também como Templo do Monte Dourado, já que foi construído sobre uma colina artificial com um suntuoso chedi dourado (espécie de torre cônica) no topo.

Pode ser que esse templo não seja o mais ornamentado da cidade, mas tenha certeza que do alto de seus 300 degraus, o Wat Saket oferece uma vista incrível da região mais antiga de Bangkok. E tudo isso pode ser apreciado ao som dos sininhos espalhados pela base do chedi.

Uma curiosidade sobre o Wat Saket é que seu chedi, que possui 58 metros de altura, abriga uma das relíquias de Buda (pequeno fragmento de seu corpo) que, segundo os budistas, foi trazida da Índia.

O Wat Saket fica a uns 10 minutos caminhando do Wat Ratchanatdaram (primeiro templo que fomos no nosso roteiro).

Paga-se uma taxa de 10 bahts para chegar ao topo e seu horário de visitação é de 7:30 às 17:30.

Dica: se a sua visita não for cedinho ou já no final da tarde, capriche no protetor solar e leve sua água, lá em cima faz um calor medonho!


➳ Leia também: Onde ficar em Bangkok – Guia completo de hospedagem


3) Grand Palace / Wat Pra Kaew

Imponente, exótico e sempre lotado. O Grand Palace é de longe um dos lugares mais importante de Bangkok e por isso está entre as atrações obrigatórias para qualquer turista que desembarca pela primeira vez na cidade.

A importância histórica, política e religiosa do Grand Palace, que além de abrigar o famoso Buda de Esmeralda (já já falo mais dele), foi também a sede administrativa e residência da família real por mais de 150 anos, fazem dele um lugar especial para os tailandeses e para budistas do mundo inteiro. Mas o que realmente encanta e chama a atenção de nós, turistas, é a sua beleza arquitetônica incomparável!

As construções são minimamente trabalhadas e os detalhes nos deixam hipnotizados. Paredes imensas com ladrilhos coloridos que parecem ter sido feitos à mão, estátuas imponentes e pagodas douradas, cada cantinho do Grand Palace é especial e guarda um significado próprio.

O Grand Palace é enorme e para conhecê-lo com calma a gente leva em média uma manhã.

E aqui vai a dica: chegue um pouco antes da hora que ele abre (8h30) para encontrar uma fila menor na entrada e o lugar “apenas cheio”. Já no meio da manhã, dezenas de ônibus e vans com turistas vão chegando e o Grand Palace (que não é nada pequeno) fica extremamente lotado.

Já sabendo disso, não espere exclusividade nas suas fotos e, como os budistas, trabalhe a paciência. Muitas vezes pessoas esbarrarão em você, outras sairão nas suas fotos e alguns chineses baterão com guarda-sóis e sobrinhas abertas na sua cabeça. Mas tudo isso faz parte da visita e no final vale a pena se submeter a conhecer um local mais “agitado”, mas que realmente é único no mundo!

Wat Phra Kaew (Temple of the Emerald Buddha)

Como comentei, o Wat Phra Kaew (Templo do Buda de Esmeralda), fica dentro do complexo do Grand Palace e é o templo mais importante da Tailândia.

O Wat Phra Kaew abriga a imagem do Buda de Esmeralda, que, a título de curiosidade, não é feito de esmeralda mas sim de jade. E apesar de ser pequena (apenas 66 centímetros) a imagem tem um significado muito forte para o budismo e foi encontrada em Chiang Mai no século XIV.

É um templo muito bonito, grande e colorido, mas, por fazer parte do Grand Palace, faça chuva ou faça sol, estará sempre lotado!

A taxa de entrada do Grand Palace é um tanto salgada, se comparada aos outros templos que visitamos: 500 Bahts, algo em torno de R$80,00, e inclui o acesso ao Templo do Buda de Esmeralda.

Se por algum motivo você se esquecer de ir vestido (a) adequadamente (com ombros e pernas cobertas) poderá alugar uma vestimenta na entrada.

Horário de funcionamento: 08:30 às 15:30.


4) Wat Pho

O templo é realmente imenso, mas mesmo assim o gigante Buda deitado que é exposto em seu interior mal parece caber entre as quatro paredes adornadas do Wat Pho.

Em razão da imagem que tem 15 metros de altura e 46 de comprimento (!), o Wat Pho também é conhecido como o Templo do Buda Reclinado.

Logo ‘nas costas’ da imagem do Buda reclinado, existe um corredor com 108 tigelas de bronze, onde os visitantes podem jogar moedinhas para trazer boa sorte. As moedas podem ser compradas ali ao lado mesmo, e custam 20 Baths.

Se a representação folheada à ouro do líder espiritual do budismo já impressiona, as demais imagens de Budas dourados que se enfileiram pelo templo também nos deixam de boca aberta. O Wat Pho possui a maior coleção de Budas da Tailândia (são mais de mil!).

O Wat Pho fica bem próximo do Grand Palace (dá pra ir caminhando) e fica um pouco menos cheio que ele, vale a pena explorar cada cantinho e trazer uma foto do imenso Buda para a casa.

O templo está aberto das 08h às 18h30, e a taxa de visitação é de 100 Bahts.

Para quem não for vestido adequadamente, na entrada do templo é fornecido uma espécie de kimono e uma sacola para guardar os sapatos.

Anote aí: Dentro do Wat Pho está uma das escolas de massagem mais conceituadas de toda a Tailândia. Aproveite a sua ida ao templo e separe um tempo para relaxar um pouco. A escola abre diariamente das 8h às 17h.


5) Wat Benchamabophit

Mais um belíssimo templo de Bangkok e também um dos nossos favoritos! O Wat Benchamabophit, o Templo de Mármore, fica um pouco mais afastado dos anteriores, no distrito de Dusit, mas nada que um tuk tuk ou um Grab (app semelhante ao Uber) não resolva!

Como o nome sugere, o templo foi construído em mármore branco italiano, em 1899, e mistura características tailandesas e europeias em sua arquitetura. As suas paredes, colunas e chão lisos e branquinhos ganham um belo contraste com seus adornos dourados e avermelhados, assim como com suas telhas alaranjadas.

Entrando no templo, no pátio que fica nos fundos, você encontrará mais de 50 imagens representando cada mudra (postura) de Buda.

Estivemos por lá no finalzinho do dia, estava praticamente vazio e tinha uma vista linda do por do sol! Aproveitando a tranquilidade, fizemos belas fotos!

O templo está aberto para visitação de 6h às 18h e a entrada custa 20 Bahts.


6) Wat Arun

Às margens do rio Chao Phraya, a imensa torre de mais de 70 metros que se sobressai no horizonte é vista de longe. O Wat Arun é um cartão postal de Bangkok e também um símbolo que marca o início de Bangkok como a nova capital da Tailândia, logo após a queda da antiga capital Ayutthaya, no século XII.

Conhecido também como Templo do Amanhecer, acho que o Wat Arun seria o segundo templo mais emblemático de Bangkok, ficando atrás somente do Grand Palace. E sua notável fama não é atoa!

Cartão-postal da cidade, o Wat Arun é todo revestido de pequenas peças de cerâmica chinesa e também conchas, formando um lindo mosaico de detalhes coloridos em um fundo branco. Ao seu redor, figuras de guerreiros e animais, que parecem defender a sua base, tornam tudo ainda mais interessante.

O trajeto até o Wat Arun é uma parte bem legal do passeio. Isso porque para chegar nele é necessário cruzar o rio com um barco de passageiros. Para isso basta comprar o ticket (15 Bahts) e embarcar no Tha Tien Pier, que fica próximo ao templo Wat Pho.

Dica: para fotografar o templo de dentro do barco, durante a ida se posicione no lado esquerdo da embarcação.

A entrada custa 50 Bahts e o templo está aberto de 8h30 às 17h30.

7) Wat Traimit

O último templo da nossa lista, o Wat Traimit, guarda um tesouro de valor inestimável: o maior Buda de ouro maciço do mundo! São mais de 5 toneladas de ouro, em uma imagem com cerca de 3 metros de altura!

Segundo os historiadores, a imagem é originária de Ayutthaya, cidade vizinha de Bangkok, que foi a capital da Tailândia por 417 anos, entre 1350 a 1767. Mesmo sendo extremamente rica, Ayutthaya foi invadida e destruída pelo exército birmanês.

Já sabendo que a cidade seria invadida, monges que zelavam pela estátua sagrada a cobriram com uma grossa camada de argila e gesso, para dar a impressão de que ela não teria valor econômico e assim não fosse destruída. O plano deu certo e a estátua passou ilesa.

Dois séculos após esse episódio, a imagem foi levada para Bangkok e instalada no templo Wat Phrayakrai. Ali ela permaneceu por um bom tempo sem que ninguém nem imaginasse que ela era tão especial. Na verdade, as pessoas realmente achavam que o Buda era de argila e por isso ele não recebia muita importância.

Com a construção do Wat Traimit a estátua foi realocada para o templo, ficando em um pátio, onde novamente não despertou tanto interesse.

Em 1955, quando uma nova parte do templo ficou pronta, os monges resolveram mudar ela para lá. Durante a mudança, um dos cabos de aço do guindaste que a levantava se rompeu e a estátua foi ao chão. Neste momento foi descoberto o tamanho da riqueza que se escondia por debaixo da argila! Fantástica essa história, não é?

O Buda de Ouro está no alto do templo Wat Traimit e, para acessá-lo, é necessário subir alguns lances de escada (ou pegar um elevador). Aproveite a vista para fazer algumas fotos.

A entrada para ver apenas o Buda de Ouro custa 40 Baths – para visitar um museu que faz parte do templo, são mais 100 Bahts.

Horário para visitação: 8h30 às 17h.


Sugestão de roteiro

Independente da quantidade de dias disponíveis que você terá para explorar Bangkok, acho essencial separar pelo menos um ou dois para explorar os principais templos da cidade. Conhecer os templos de Bangkok é também conhecer a cultura e a essência do povo tailandês!

Se você tiver apenas um dia disponível, visite o Grand Palace, o Wat Pho e o Wat Arun.

Com dois dias, você poderá separar um dia para visitar os três templos acima e outro para conhecer o Wat Ratchanatdaram, Wat Saket e Wat Benchamabophit.

Tendo três dias disponíveis, adicione o Wat Traimit e também um tempo para passear pelo Chinatown de Bangkok, que é outro lugar surpreendente!


Espero que o post te ajude na difícil tarefa que é escolher quais templos visitar em Bangkok. E se você já conhece a cidade e tem mais sugestões, deixe um comentário pra gente!


Tudo para a sua viagem:

Reserve o melhor hotel para a sua viagem com o menor preço. Com o BOOKING você compara diversas opções e escolhe o hotel com melhor custo x benefício. Reserve agora mesmo, com opções de parcelamento e cancelamento grátis.


Fique em lugares privativos e confortáveis com espaço para você, família e amigos!
Cadastre-se no AIRBNB usando esse link, faça sua primeira reserva com 130 reais de desconto!


Não dá para viajar despreocupado sem seguro viagem! Compare os preços de seguros com os dois melhores sites no assunto: Real Seguros e Seguros Promo.
Com a Real Seguros, você poderá parcelar o valor em até 12x sem juros.
Com a Seguros Promo o valor pode ser dividido em até 6x no cartão de crédito e pagando no boleto, você consegue 5% de desconto. Utilizando o nosso cupom NAJANELA5 você ganha mais 5%. No final fica baratinho e viajamos tranquilos, sem medo de imprevistos!


Nada melhor do que a liberdade que um carro alugado pode dar para uma viagem! Antes de alugar um carro compare os preços das melhores locadoras do Brasil e do mundo no site da RentCars e garanta o melhor preço. A cobrança poderá ser feita em reaissem IOF, e o valor dividido em até 12 parcelas no cartão de crédito.


Reservando com nossos parceiros, você garante o melhor serviço, consegue o menor preço e ainda ajuda na manutenção do Viajando na Janela (e sem pagar nem um centavo a mais por isso!).

Mineira, é formada em Sistemas de Informação com Pós em Administração e Marketing. É apaixonada por conhecer culturas diferentes e passa horas na internet programando as próximas viagens. Adora dividir suas experiências no blog e ajudar outros viajantes a conhecer novos lugares!

23 Comments

  1. Parabéns pelo blog. tudo bem explicado! Só tenho uma duvida: esses templos fecham algum dia da semana? Preciso me preocupar com isso?
    Desde ja, obrigada!

      • Geisiele Carvalho Reply

        No primeiro dia visitamos o Wat Ratchanatdaram e o Wat Saket. Daria pra ter visitado mais templos nesse dia, porém o calor de lá nos deixou bastante cansados e acabou nos desanimando. No dia seguinte conhecemos o Grand Palace e o Wat Pho. Também poderíamos ter ido a outros templos neste dia, porém o solzão de Bangkok nos venceu mais uma vez rsrs.
        No último dia de viagem fomos até o Wat Benchamabophit, que é um pouquinho mais afastado que os demais.
        Se você não se importar tanto com o calor, pode fazer seus dias lá renderem mais que os nossos. Esses outros templos que sugerimos no post estavam no nosso roteiro, porém infelizmente não conseguimos conhecer 🙁

        Depois conte pra gente como foi sua viagem, e se tiver qualquer outra dúvida é só mandar!

        Beijo!

    • Geisiele Carvalho Reply

      Oi Carla! Obrigada, espero que ajude no seu planejamento!
      Eles abrem todos os dias. Só se atente aos horários do Grand Palace.. Na época em que estivemos lá, houveram algumas restrições de dias por conta das homenagens ao rei, que faleceu. Não sei como anda ultimamente, me parece que essas homenagens durariam um ano (até outubro/2017), peça informação no hotel/hostel onde você se hospedar 🙂
      Qualquer outra duvida é só perguntar!

      Beijos

  2. Nossa, sabe que um dia desses eu estava pensando nisso. Tõ vendo tantos posts de lá mas fico confusa se um dia eu for quais os lugares visitar com tantos templos. Vc foi perfeita nas dicas. Adorei!

    • Geisiele Carvalho Reply

      Oi Flávia!São muuuuitas opções mesmo, é bem difícil decidir o que visitar! rsrs
      Fico feliz que tenha gostado!
      Beijo!

  3. Ana Carolina Miranda Reply

    Gostei das dicas que deu sobre o que saber antes de visitar os templos. Ótimo para não darmos rata! Tem tantos templos lindos que é até difícil escolher quais visitar, né?

    • Geisiele Carvalho Reply

      Oi Ana, que bom que gostou! Por serem costumes bem diferentes do que estamos acostumados por aqui, é sempre bom avisar, né? rsrs
      E sim, dá vontade de ir em tooodos! 😀
      Beijo!

  4. Nossa, acho que a resposta de quais templos visitar depois de ler seu post e ver essas fotos incríveis é: TODOS haha.
    Adorei
    Obrigado por compartilhar.

    • Geisiele Carvalho Reply

      Oi Diego! Essa era a nossa ideia inicial, mas o calor da cidade e o jet lag foram mais fortes que a gente e acabamos não conseguindo conhecer tudo o que estava nos planos.. e essa é uma boa desculpa pra voltar, né? rsrs

  5. Sempre fico encantada e impressionada com os templos budistas. Só de olhar as fotos dá pra sentir a energia. Mas o q é aquele mar de gente? Me assustei!!!

    • Geisiele Carvalho Reply

      Oi Aline! Eles são impressionantes mesmo, cada um mais maravilhoso que o outro..
      Sobre a quantidade de gente, realmente assusta! hahaha
      Já sabia que o Grand Palace era o mais lotado mas não esperava TANTAS pessoas 😩

  6. Muito lindas as fotos de seu post. Achei bem útil as dicas sobre a visitação dos templos. O que eu mais gostei foram as regras do Grand Palace homens e mulheres de calças compridas e manga longa. Super democrático, igual para os dois sexos. 🙂 Dá pra perceber que sou feminista né? Essa história que homem pode ir vestido de qualquer jeito e mulher coberta assim ou assado não é comigo hahaha.

    • Geisiele Carvalho Reply

      Oi Dilma, que bom que gostou!
      Na verdade, no Grand Palace as mulheres podem ir de vestido ou saia também, desde que longas.
      Fiquei chateada por não poder entrar em alguns templos por ser mulher, mas fazer o que, né? Regras deles 😞

  7. Oi Geisiele… Muitas informações legais no seu post. Não sabia que “Wat” significa templo, em tailandês (mesmo já tendo lido várias vezes essa palavra). Os templos são realmente lindos, mas é aquilo que você falou: é uma questão de respeito, pois é um local para prática religiosa, acima de tudo! Teria a mesma “esquentação” no Grand Palace. Não suporto lugares lotados!!!! Parabéns pelo post!
    Abraços,
    Carolina

  8. Ana Flores Reply

    Que postagem maravilhosa! ótimo guia para quem estiver planejando a viagem pra Tailândia.
    Curiosidade: uma amiga foi e viu a plaquinha falando que mulheres que estivessem durante o período mensrtual não poderiam entrar. Acabou que na discussão com o guia, falou que estava menstruada, e foi impedida, de verdade de entrar!

  9. Com tanto templo MARAVILHOSO um post assim é mais que necessário… senão eu fico apaixonada e quero entrar em todos os 40 mil hahaha

  10. Oi Geisiele,
    Muito legal o post. Eu acho que iria visitar todos, acho muito lindos estes templos. Pena que quando fui a Bangkok não tive tempo p nada.
    Abs, Marlise

  11. É realmente impressionante a quantidade de templos que esta região possui!
    Apesar de não ser fã deste tipo de passeio, os templos são muito lindos!
    A questão sobre o respeito e como se comportar nos lugares é essencial!
    Ótimo post!

  12. Gente, que linda ficou a postagem de vcs!
    Agora que tive um tempinho para ler (antes só tinha visto) e amei!

    Me bateu até um arrependimento por não termos separado mais dias para a capital. Acabamos visitando só o Wat Pho. Daí já seguimos para Ayutthaya. Tbm fomos à Feira Flutuante e ao Maeklong Railway Market.
    Dois dias né? Não dá pra fazer muita coisa…o bom é que já vou usar essa postagem para linkar com alguma nossa, que fale sobre templos. 🙂

    Agora fiquei com uma dúvida sobre as roupas, pois várias vezes eu usei legging, só não foi em Bangkok. Será que eles implicam mesmo??

    Parabéns casal, o Blog de vcs é super arrumadinho. Logo venho aqui de novo ver mais e trarei o Fábio comigo…rs.

    Super Beijo

    • Geisiele Carvalho Reply

      Ooooi Monikita!
      Descuuulpa a demora em responder, o tempo por aqui anda mega escasso hahaha
      Já usa a desculpa de que não conheceu os outros templos pra programar a próxima viagem pra lá, menina! Também vou fazer isso, pq não tivemos tempo de conhecer a Feira Flutuante nem o Mercado do Trem 😂😂
      Sobre a legging, estava como não permitido na maioria dos avisos que ficam na entrada dos templos, mas não cheguei a reparar se tinha alguém usando..
      Que bom que curtiram o Blog! Volte sempre, e quem sabe com um guest post, hein? 😀 😀
      Beeeeijo grande, saudades de vcs!

Write A Comment