Algumas experiências são tão intensas que marcam a gente, não é? Bem, se tem algo que vivenciamos em viagem e que realmente se tornou inesquecível foi a oportunidade de passar um dia inteirinho cuidando de elefantes resgatados em um Santuário de proteção: o Elephant Nature Park. Este lugar incrível encontra-se em Chiang Mai, uma cidade muito procurada por turistas que visitam a Tailândia.


Quer saber de todos os detalhes dessa experiência única? Vem comigo!


Sobre os elefantes na Tailândia

Fazendo uma busca rápida na internet sobre a Tailândia, além de praias paradisíacas e belíssimos templos budistas, você encontrará muitas fotos de turistas felizes montando elefantes aparentemente não tão felizes assim.

Na Tailândia e em vários outros países asiáticos, é muito comum a oferta de atrações relacionadas a elefantes. Eles pintam, jogam futebol, dançam, cumprimentam as pessoas, carregam turistas e fazem várias outras coisas que um elefante sem treinamento nunca faria.

Para entender melhor funciona o processo de ‘domesticação’ dos elefantes,  recomendo a leitura do post “Passeios com elefantes na Tailândia: o que você precisa saber”. Nele falamos com detalhes sobre essa prática que infelizmente ainda é muito comum nos países asiáticos.

Na busca por nos tornarmos melhores pessoas e viajantes, procuramos sempre visitar locais, empresas ou atrações que estejam ligados ao turismo responsável e sustentável. Dessa vez, nossa missão era descobrir um lugar onde poderíamos ter contato com elefantes, sem que fossem explorados ou submetidos a qualquer tipo de maus tratos.

Para nossa sorte, encontramos uma opção que prometia ser exatamente o que gostaríamos de vivenciar: passar um dia inteiro ao lado dos elefantes, caminhar com eles e poder alimenta-los. Encontramos um santuário de elefantes!

O Elephant Nature Park

Fundado na década de 1990 pela tailandesa Sangduen “Lek” Chailert, o Elephant Nature Park fica no Distrito de Mae Taeng, no norte da Tailândia, a aproximadamente 60km de Chiang Mai. Lek Chailert dedica sua vida a salvar e reabilitar seus amados gigantes, e também é fundadora da Save Elephant Foundation, onde lidera o movimento para a extinção da prática de trekking e shows de elefantes como formas de turismo.

O Parque foi um dos primeiros santuários para elefantes no país, abrigando animais resgatados de condições precárias de vida. Mas as ações do Parque vão além de apenas resgatar animais: ele apresenta aos turistas uma nova maneira de promover o turismo com elefantes, de forma ética e responsável, mantendo os animais livres em condições o mais próximas possíveis de seu habitat natural. O contato entre as pessoas e os elefantes é baseado em confiança, reforço positivo e motivação (a comida! :D) – nada de correntes, gritos ou instrumentos para machucá-los!





Os elefantes do Nature Park, em sua maioria, vieram resgatados da própria Tailândia e do país vizinho Myanmar,  vítimas de trabalho em empresas de trekking, exploração madeireira, circos e outras atividades relacionadas ao turismo. Muitos carregam cicatrizes desse passado trágico: alguns são cegos; outros sofrem de transtornos físicos e psicológicos; há ainda animais que foram simplesmente abandonados por seus antigos donos por não conseguirem mais executar as tarefas de antes devido a idade avançada.

No ENP eles recebem uma segunda chance, onde podem se relacionar com outros elefantes e formar novos grupos sociais, como fazem na natureza.

Embora inicialmente o projeto se restringisse a acolher apenas elefantes, essa missão foi expandida e hoje em dia o parque também abriga  outras espécies, como cães (mais de 400!), búfalos, gatos, macacos e até um porquinho.

Como reservar o passeio?

A reserva é feita no através do site do Parque. É importante garantir sua vaguinha com bastante antecedência, já que a procura por este tipo de atividade na Tailândia é muito grande e o país conta com pouquíssimos lugares como este. Nós não demos bobeira e garantimos nossa reserva um mês antes da viagem!

Para efetivar a reserva, é necessário pagar uma parcela do valor cobrado como garantia. No nosso caso, fizemos este pagamento por meio do Paypal, que é uma das opções que o site do ENP oferece. O restante do valor foi pago no dia do passeio. Nós pagamos em dinheiro, mas também tem há a opção de pagar com cartão de crédito internacional.

Tipos de passeios

Graças ao apoio das pessoas, de empresas parceiras e de algumas ONGs, o Elephant Nature Park está cada vez maior. Atualmente, o Parque possui a sua sede no norte de Chiang Mai, mas já expandiu seu projeto para várias outras fazendas que toparam cooperar com a preservação dos elefantes.

O Parque possui um iniciativa que se chama “Saddle Off!” (sem montaria), pelo qual são feitas parcerias com algumas fazendas que exploravam elefantes, para que deixem de praticar este tipo de atividade e passem a promover o turismo nos moldes propostos pelo Parque. Para isso, o ENP auxilia essas famílias com ajuda financeira, desenvolve ações de conscientização junto a elas e monitora cada uma por meio de visitas diárias.

Graças a essas parcerias, o ENP consegue oferecer muitas opções de passeiosExistem programas de meio dia, de dia inteiro ou ainda de dois dias e uma noite. Existem passeios no próprio parque ou em fazendas ao norte e ao sul de Chiang Mai.

Para aqueles que tiverem mais tempo disponível, há também a possibilidade de se voluntariar e auxiliar nas atividades diárias do Parque por 7 dias.

Fazendo amizades!
Fazendo amizades!

Pra ajudar na escolha do passeio, fizemos um resumo de todas as opções que o parque oferece:

Passeios dentro do Elephant Nature Park

ENP - Short Park Visit

ENP - Single Day Visit

ENP - Short Park Visit

Programas Especiais – Norte

Estes programas são realizados em fazendas parceiras do ENP que ficam ao norte de Chiang Mai. Importante saber que neste programa os passeios não incluem a visita ao Parque.

Elephant Trails - dia inteiro

Elephant Highlands - dia inteiro

Programas “Saddle Off!” – Norte

Passeios feitos com pequenos grupos em propriedades particulares ao norte de Chiang Mai. Incluem visita ao Elephant Nature Park.

Care For Elephants - dia inteiro

Sunshine for Elephants - dia inteiro

Pamper a Pachyderm - dia inteiro

Programas “Saddle Off!” – Sul

Passeios realizados com pequenos grupos em vilarejos ao sul de Chiang Mai. Não inclui visita ao Elephant Nature Park.

Elephant Freedom - dia inteiro

Karen Elephant Experience - dia inteiro

Programas de Voluntariado

O programa de voluntariado do Elephant Nature Park, chamado de Journey to Freedom Volunteer, inclui a estadia de 7 dias  com alimentação no ENP ou em fazendas que fazem parte do projeto, para cuidar de elefantes ou cães.

Todos os programas são pagos, e o dinheiro é utilizado para custear a estadia do visitante e e auxiliar na manutenção do programa.

Jorney to Freedom

Elephant Nature Park

Dog Project
 

Outros programas

Além de todos estes passeios listados acima, existe também o projeto específico de voluntariado para veterinários e estudantes de veterinária (clique aqui para saber mais).

Existem ainda outros programas oferecidos pelo Elephant Nature Park, em conjunto com outras ONGs ou programas de proteção animal. Estes passeios são feitos em Kanchanaburi (+ou- 3 horas de Bangkok), Surin e Camboja. (clique aqui e veja todos os passeios oferecidos pelo ENP e seus parceiros)

* Importante: todas as informações sobre os passeios foram retiradas do próprio site do ENP, em outubro de 2017. Assim, antes de reservar, consulte o site oficial do Parque para confirmar se não houve nenhuma alteração. 😉


Tudo sobre nosso passeio, o Care for Elephants

Não tenho dúvidas de que o dia que passamos no ENP foi um dos mais intensos de nossas vidas, e tenho certeza de que nada do que eu escrever aqui vai chegar próximo de traduzir tudo aquilo que vivenciamos e que sentimos naquele dia. Estar em um ambiente com uma energia tão boa, mas que ao mesmo tempo nos faz refletir sobre tudo o que aqueles animais já passaram, emociona demais!

Dia “D”

No dia do passeio, acordamos mega ansiosos! Enfim tinha chegado o momento mais sonhado da viagem!

Tomamos café rapidinho no hotel e ficamos aguardando a van que passaria para nos pegar (ficamos hospedados em Chiang Mai no Villa de Hun, um hotel boutique muito charmosinho e com preço e localização excelentes! Logo logo sai o review 😉 ).

A van chegou no horário marcado e no nosso grupo haviam pessoas de várias partes do mundo: americanos, europeus, asiáticos…  Além da gente, tinha mais uma brasileira na van, a Juliana (beijo, Ju!).

O grupo era pequeno, composto por 8 pessoas, e toda a comunicação do pessoal do ENP com o grupo era em inglês.

Durante o trajeto, nosso guia foi contando algumas curiosidades sobre os elefantes e sobre o Parque. Foi exibido também um vídeo que mostrava a dura realidade por trás dos ‘shows’ com elefantes, tão difundidos por turistas desavisados – aposto que você conhece alguém que já visitou o país e tem aquela foto clichê andando em uma cadeira apoiada nas costas frágeis de um elefante! O vídeo também mostrou o doloroso processo de ‘domesticação’ desses animais, que são separados de suas famílias muito cedo, trancados em jaulas minúsculas e torturados até que seus mahouts tenham total controle sobre eles.

Vou contar um segredo: o vídeo é de partir o coração e essa pessoa sentimental que vos fala (ou melhor, escreve) chorou um bocado. Leve um lencinho!

No caminho, depois de mais ou menos uma hora na estrada, enfim começamos a avistar os primeiros elefantes. O sonho estava próximo de se realizar! 💚🐘


Não deixe de conferir: Koh Phi Phi, a ilha mais badalada da Tailândia


1ª Parte – Conhecendo os grandalhões

Logo que a van parou, todos descemos ansiosos para encontrar os grandalhões com quem passaríamos o dia inteirinho. De cara já avistamos dois elefantes e várias cestas com frutas e legumes para que pudéssemos alimenta-los e termos esse primeiro contato com eles. Neste momento, os elefantes estavam separados de nós por uma cerca de madeira.

Essa primeira atividade é importante para que a gente possa perder o medo, já que estamos falando de um dos maiores mamíferos da Terra!

No começo é meio que assustador ficar perto de um animal tão grande, mas aos poucos fomos ganhando confiança, percebemos que eles eram muito dóceis e em pouco tempo já estávamos íntimos 😛

"Café da manhã"
“Café da manhã”

Demos muita comida para eles: foram incontáveis pepinos, bananas, melancias e abóboras.

Depois do banquete, que durou um bom tempo, o guia deu para cada um de nós uma sacola com mais petiscos para eles e uma garrafa de água mineral para nosso consumo.

Nesta primeira parte já deu pra sentir o quanto aqueles dóceis bichões já tinham sofrido no passado: todos  carregavam várias cicatrizes e marcas na pele.


Descubra os templos de Bangkok em um post super especial: Quais templos visitar em Bangkok?


2ª Parte – Trilha + almoço

Seguimos então para a segunda parte do passeio: uma caminhada leve até a cabana onde seria servido o almoço. 

Segunda parte do passeio: a trilha
Segunda parte do passeio: a trilha

A trilha não era muito longa, mas mesmo assim levamos muito tempo para percorre-la. A todo instante parávamos para brincar e alimentar os elefantes que caminhavam ao nosso lado. O mais divertido é que enquanto andávamos, eles vinham atrás da gente e tentavam pegar as comidinhas das nossas sacolas. 😀

Fomos andando pela margem de um rio até que o filhote de elefante travesso que estava no grupo (baby Lucky  😍) saiu correndo, entrou no rio e ficou jogando água para todos os lados.

Ele corria de um lado para o outro, arrancava galhos de árvores, tentava roubar nossa comida, se enfiava no meio do mato, enfim, parecia estar ligado no 220 e totalmente descontrolado. 😂😂😂

A baderna que ele aprontava era até meio perigosa, já que, apesar de ser filhote, ele era bem grandinho. E dava pra reparar que ele não tinha noção nenhuma disso, já que na correria ele atropelava o que estivesse na sua frente… Por causa dessa agitação toda, os mahouts tiveram que ficar por conta de nos proteger de sua empolgação haha.

Ao final da trilha, na margem do rio, havia uma cabana onde foi servido o almoço. Todos os pratos eram vegetarianos (macarrão, fritas, legumes e algumas opções de pratos asiáticos). Um buffet farto e delicioso!

Havia também melancia e banana como sobremesa. Ficamos algum tempo por ali conversando (inclusive sobre músicas brasileiras que faziam sucesso lá fora haha), quando nosso guia nos chamou para o momento mais aguardado do passeio: o banho com os elefantes!

Almoço vegetariano
Almoço vegetariano

3ª Parte – Banho de rio

Finalizado o almoço, o guia pediu que cada um pegasse uma boia que estava na entrada da cabana, e voltamos um pouco pela trilha, para o espaço no rio que era reservado para o banho.

Recebemos baldes plásticos e as instruções para o momento: enche-los de água e jogar nos grandalhões! No começo estavam todos muito comportados e jogando a água timidamente nos elefantes, quando os mahouts começaram a ‘errar’ de propósito a pontaria: começou uma guerra de água sem fim, e o banho que era dos elefantes acabou se tornando nosso também haha

Após o banho, mais um lanchinho!
Após o banho, mais um lanchinho!

É incrível como eles adoram água! Dava pra perceber a felicidade dos bichinhos em entrar no rio naquele caloooor que fazia.

Baby Lucky, o elefantinho, roubou a cena mais uma vez enquanto se divertia tomando seu banho, chegando a ficar submerso na água apenas com a tromba para fora do rio😄

Quando os elefantes se cansaram da bagunça, deixaram o rio e foram para a margem. Nessa hora, havia mais frutas e legumes para alimentá-los.


Curtindo o post? Então deixe seu like em nossa fanpage e não perca nada do que acontece por aqui!


Depois, tínhamos duas opções: voltar caminhando até a cabana para buscar nossas coisas, ou descer o rio numa boia improvisada de câmara de ar de trator (#quemnunca?). Adivinha a nossa escolha? 😂😂😂

O rio é rasinho e em alguns pontos chegamos a encalhar… Foi muuuuito divertido e eu recomendo que você não perca a oportunidade caso faça esse tour!

Sem dúvidas, a parte mais divertida do passeio
Sem dúvidas, a parte mais divertida do passeio!

Chegando na cabana, pegamos nossas coisas e retornamos pela trilha até o ponto onde estavam os elefantes e então fizemos todo o caminho de volta.

Chegando no ponto de partida do passeio, ficamos um tempinho observando os grandalhões enquanto se banhavam num tanque, comiam e se divertiam entre si. Nesse momento eu torci pro restinho do dia passar lentamente, não queria mais sair de perto deles 💚

Então o guia pediu para que todos retornassem para a van, era hora de conhecer o Elephant Nature Park! A fazenda onde é realizado o programa Care For Elephants é bem pertinho do ENP, menos de 5 minutos de estrada e já estávamos lá.

4ª Parte – Conhecendo o Elephant Nature Park

O guia nos levou então até um galpão, onde nos mostrou como é armazenada a imensa quantidade de alimentos que os animais consomem. Ele nos explicou também como são feitos umas espécies de “bolinhos”, que também são utilizados na alimentação dos elefantes.

Continuando o tour, tivemos um tempinho livre pra ir ao banheiro, tomar água/suco e passear pela lojinha de souvenirs.

Depois, o guia nos levou para dar uma voltinha pelas dependências do Parque. Passamos por um mural com fotos do antes/depois de alguns elefantes resgatados (as imagens são fortes! 😕), caminhamos por um campo imenso onde estavam alguns elefantes, até chegarmos a um grupo de elefantes, todas fêmeas, com um filhotinho fofo e travesso que nasceu no Parque.

Depois disso voltamos para a sede, fizemos o pagamento do valor restante do passeio e infelizmente já era hora de ir embora. 🙁

Foi um dia intenso, cheio de sentimentos meio misturados: a tristeza por saber de tudo que esses animais tão gentis já passaram, a felicidade por estarem hoje em um lugar que os respeita e os trata como merecem, e a gratidão por ter vivenciado tudo isso.

Foi uma das experiências mais marcantes de nossas vidas. Tenho certeza de que todos que já visitaram o ENP saem de lá melhores pessoas, apaixonadas por esses grandalhões especiais e com vontade de transformar o mundo num lugar melhor para eles (e para todos os outros animais 💚).

Informações importantes

🐘 Vá com roupas leves que possam se molhar e/ou sujar;
🐘 Leve repelente e protetor solar;
🐘 Não esqueça a câmera fotográfica!
🐘 Eu fui de chinelo, não tive problemas mas recomendo ir de tênis;
🐘 Todos os guias são fluentes em inglês e tailandês – nosso inglês não é lá essas coisas mas conseguimos nos comunicar tranquilamente por lá;
🐘 Não é permitido o uso de drones.

Conclusão

Infelizmente, lugares como o Elephant Nature Park são raros. Os elefantes ainda são vítimas de abusos não só na Tailândia, mas em toda a Ásia. Porém, como turistas, temos o poder de mudar essa realidade! Pesquise muito antes de visitar qualquer tipo de atração que envolva animais e não financie atividades onde o bem estar deles não seja prioridade. O mundo ainda pode ser um lugar bom para se viver, depende somente de nossas atitudes e escolhas.

Se você já teve a oportunidade de conhecer o lindo trabalho desempenhado pelo ENP, conte pra gente como foi sua experiência! Ou se você conhece outras atrações responsáveis com elefantes em outras partes do mundo,  vamos adorar saber também 💚


Curtiu o post? Então no ajude a manter o Viajando na Janela no ar de forma bem simples! Quando você contrata seu seguro-viagem ou reserva sua hospedagem através dos links aqui do Blog, nós recebemos uma pequena comissão que ajuda a manter o blog ativo e você não paga nada a mais por isso! Agradecemos a sua colaboração! 😉

Author

Mineira, 30 anos, formada em Sistemas de Informação com Pós em Administração e Marketing. É apaixonada por viagens, principalmente aquelas que possibilitam visitar novos lugares e conhecer novas culturas. Passa horas na internet lendo relatos de outros viajantes e adora contar suas experiências nas redes sociais e no blog.

14 Comments

  1. Pingback: 10 lugares que quero conhecer antes dos 40 anos » AzWanderlust

  2. Geisiele, esse Santuário é um sonho! Desde que o encontrei na internet, fiquei com vontade de visitar. Após ler seu relato, fiquei completamente apaixonada! AMEI!!! Espero visitá-lo logo!

  3. Casaaal, que post gostoso! Intenso e enorme (como os grandalhões).

    Deu pra sentir um pouquinho da sensação que vocês sentiram (fiquei imaginando como deve ter sido vivenciar tudo isso…).
    Deu pra sorrir com o baby Lucky fazendo graça!
    Deu pra ficar toda arrependida de não ter me esforçado pra ir nesse lugar!!! >.< rsrs..

    Parabéns por terem pesquisado afundo. Por tamanha consciência. Vocês fazem um trabalho perfeito e de valor imensurável!
    Muito orgulho de termos conhecido as pessoas certas no momento certo! <3

  4. Todos os posts que leio sobre o Elephant Nature Park me deixam com mais vontade de conhecer pessoalmente! Torcendo que seja breve! O banho de rio deve ser a parte mais divertida, né?! As fotos estão lindas e o texto uma delícia de ler! E o elefantinho 220 volts? Haahaha! Uma gostosura!

  5. Deisy Rodrigues Reply

    É muito importante procuramos informações e saber sobre ações adotadas com os animais em diversas atrações turísticas pelo mundo, para não contribuir financiando maus tratos. A Iniciativa da EPN é admirável além do resgate também da conscientização com o turismo sustentável. Adorei o relato da experiência de vocês e as lindas fotos.

  6. Que bom que existem lugares assim. È realmente muito triste saber que tantas pessoas não ligam pra forma em que os animais são submetidos. Também já ouvi muitas histórias sobre mals tratos, inclusive de alguns supostos santuários.

    Bom seria se todos os lugares e todos os turistas se preocupassem com o bem estar dos animais. 😉

  7. Que lugar sensacional! Não sabia que era tão legal assim. As suas fotos ficaram ótimas também! Sempre bom ler esses relatos sobre lugares que nao exploram os animais

  8. Imagino como deva ser gratificante estar em contato com animais que mesmo após serem tão maltratados ainda darem a oportunidade dos seres humanos chegarem perto e poderem mudar esse cenário tão triste.
    Parabéns pela iniciativa de quererem visitar lugares preocupados com o turismo sustentável e responsável. Nem todos os turistas têm essa consciência. Fiquei muito emocionada com o relato!
    Amei o passeio, a parte da alimentação dos elefantes e fiquei com muita vontade de participar disso tudo. O almoço parecia delicioso, mas acho que a parte mais gostosa foi a do rio, não? Rs.

  9. Tenho lido muitos posts sobre a Tailândia e em particular sobre esse Santuàrio e acho sim muito importante, como vocês escreveram, a divulgação da pràtica abusiva e da exploração turìstica dos pobre elefantes e da existência de lugares como esse.
    Apesar de tudo, como não os conheço direito, tenho receio disso virar um outro tipo de negòcio lucrativo e que os pobre bichinhos sejam explorados de forma diferente.
    De qualquer forma, é importante informar e teu post està perfeito, com fotos maravilhosas!

    • Flávio Borges Reply

      Agradecemos os elogios, Juliana! 😉

      É bem triste a situação dos elefantes na Tailândia, sabe? Mas, pelo que presenciamos, o ENP desempenha uma atividade muito bonita de proteção a esta espécie ameaçada de extinção (e a várias outras espécies). Eles resgatam os animais e fazem um trabalho de conscientização com as pessoas de lá, o que é muito importante para diminuir a exploração e os maus tratos que os bichinhos sofrem.

      Abraços!

  10. Patricia Amarante Reply

    Que lugar bacana e esses bichos lindos e enormes tão mansos… Fiquei encantada!
    Foi pra lista!

    • Flávio Borges Reply

      Os elefantes são criaturas incríveis, Patrícia!
      Mas é importante saber que na natureza eles não são tão dóceis, já que agem em proteção da manada e de si mesmos. Aqueles que estão no ENP já passaram por um processo de domesticação (infelizmente!), então eles são mais mansinhos mesmo.
      Se um dia você puder visitar este lugar, vá mesmo. Você vai curtir cada segundo por lá!

      Forte abraço

  11. Parabéns pela atitude e determinação de encontrar um lugar que não explorasse os pobres dos elefantes!
    Eu já tinha ouvido falar que existem lugares com responsabilidade para oferecer esse tipo de turismo, que bom que vocês foram atrás!
    Fico tão feliz de ver esses bichinhos livres, felizes e comendo! haha! Ainda mais considerando essas circunstâncias de terem sido resgatados, o que realmente a melhor solução é levá-los para um habitat parecido com o deles.
    Passeio lindo demais esse de vocês, um sonho! Muito bom vocês compartilharem e mostrarem para as pessoas que é possível ter momentos como esse sem envolver maltratos e correntes!
    Amei de verdade o post, parabéns! Alias, as fotos ficaram lindas, eles são mesmo uma graçinha né?

  12. Viviane Carneiro Reply

    Nossa… que experiência mais incrível e que fotos maravilhosas! Lugar encantador e o contato com esses animais no seu ambiente natural deve ser demais. Adorei o post… Bjs

Write A Comment