Confesso pra você que a vontade de conhecer a Laguna 69 e o cagaço de não conseguir chegar até ela estavam em um mesmo nível (desculpe o termo!)

Não tinha um diacho de post que eu lia em toda a internet ou uma legenda de foto no Instagram que dizia que o caminho da Laguna 69, no Peru, era tranquilo…

Tudo o que as pessoas escreviam se resumia a: “deixei minha alma no trekking da Laguna 69” ou “foi um dos feitos mais difíceis da minha vida” ou “mãe, tô vivo“.

Com tantos “relatos positivos e encorajadores”, o jeito era me apegar às fotos daquele lago de cor azul hipnotizante e na vontade de também chegar lá no alto e ver tudo aquilo bem de perto.

Não é possível que seria algo tão difícil assim… Ou seria??? 😲

Neste post você lerá toda a verdade sobre o trekking da Laguna 69, no Peru, e descobrirá todas as dicas para conseguir superar este desafio também!

Laguna 69, Peru
Laguna 69, Peru

Pra que lado fica a Laguna 69?

A Laguna 69 está localizada nos arredores de Huaraz, uma cidade mais ao norte do Peru.

Huaraz está a cerca de 400 km de distância de Lima e, por ter mais estrutura, é a cidade base para os viajantes que pretendem explorar a região.

Dá para fazer bate volta de Cusco à Huaraz?
Não. A distância entre as duas cidades é de mais de 1.500 km. A melhor pedida é ir de Cusco até Lima e depois seguir para Huaraz.

Assim como o Glaciar Pastoruri, a Laguna Parón e outros tantos atrativos, a Laguna 69 fica dentro do Parque Nacional Huascarán, uma reserva ambiental repleta de montanhas imensas e com uma fauna e flora bem diferentes do que estamos acostumados.

É no Parque Nacional Huascarán que ficam as cordilheiras Branca e Negra, duas cadeias de montanhas que atraem alpinistas e aventureiros do mundo inteiro. Para se ter uma ideia, a montanha mais alta do Peru (com 6.768m), fica exatamente na Cordilheira Branca.

Laguna 69, Peru: placa sinalizando a direção da Laguna

Como fazer o trekking?

A melhor forma para se fazer o trekking da Laguna 69 é contratando uma agência de turismo em Huaraz e embarcar em um passeio que dura o dia todo.

Até existe a possibilidade de ir até o Parque e fazer a trilha por conta própria, mas, considerando a distância e também a logística para chegar no início da trilha (que envolveria ônibus + táxi), acho que não vale a pena.

Para os que curtem camping, existe uma área para acampar no Parque, e, estando nela, você poderá iniciar o tour bem mais cedo ou até mesmo voltar mais tarde do que o pessoal que vai em excursões.


Informações Gerais sobre o Trekking até a Laguna 69

Altitude

A Laguna 69 está a 4600 metros de altitude, sendo que a caminhada começa a 3800m. Ou seja, durante o tour você subirá 800m!

Distância

A trilha tem ao todo 14 km (de muita subida e descida), sendo 7km de ida e 7km de volta.

Tempo

O passeio dura o dia inteiro. Só o percurso de ônibus até lá leva em média 3 horas. Já a trilha toda (+ o tempo de descanso/ apreciação) na Laguna é de aproximadamente 6h.

Dificuldade

O grau de dificuldade vai depender do seu condicionamento físico. Se você estiver bem preparado (a), a trilha será moderada. Se seu condicionamento não for muito bom, será mais difícil, em grande parte por conta da altitude


Por que o trekking da Laguna 69, no Peru, é considerado difícil?

Caminhar 14 km não é tão difícil assim… ainda mais se o caminho for bonito e você for prestando atenção na paisagem, distraindo-se com fotos e fazendo paradinhas para recuperar o fôlego. No final a caminhada acaba e você nem vê.

Mas, os 14 quilômetros da Laguna 69 não são feitos em “condições normais”, por isso a dificuldade é um tanto maior.

A começar pela altitude que é o inimigo número 1 dos turistas no Peru. Se em Cusco, que está “somente” a 3400 metros acima do nível do mar os brasileiros já reclamam (e com razão!), imagina só fazer um trekking começando em 3800m e terminando em 4600m acima do nível do mar!

A segunda coisa que pega é o caminho. Para se chegar na Laguna é necessário encarar algumas (várias, na verdade) subidas íngremes.

A terceira questão é o fato de termos que acordar muito cedo para encarar este desafio. Os tours geralmente saem de Huaraz às 5h da manhã, já que a Laguna fica longe e ainda é necessário considerar todo o tempo gasto na caminhada.

Trilha para a Laguna 69, Peru
Trilha para a Laguna 69

Mas apesar de ser uma caminhada um tantinho puxada, chegar na Laguna 69 não é algo impossível (e vale a pena!). A grande maioria dos turistas conseguem completar o trekking e nós, mesmo sendo um pouco sedentários (admito!), também conseguimos.

No final, pelo que pude perceber, muito mais do que o cansaço físico e a altitude, o que mais pega mesmo é o psicológico. Se você chegar na trilha já com o sentimento de que será muito difícil e você não conseguirá, a chance de realmente não chegar à Laguna é bem grande.

Então, o negócio é pensar positivo e ter em mente que se muita gente consegue, você também conseguirá!


Seguro viagem

Seguro viagem é um item essencial para qualquer viagem internacional e minha dica é: não vale a pena correr o risco de viajar sem ele. (Ainda mais se a sua viagem envolver atividades mais arriscadas – como encarar um trekking de altitude em uma montanha no norte do Peru kkk)

A maior importância em se fazer um bom seguro viagem é ter a tranquilidade de poder contar com atendimento médico em qualquer situação (sem ter que gastar com isso), além de todo o apoio e facilidades que uma seguradora oferece para a gente nestas horas mais complicadas.

Além de cobrir gastos (não programados) com consultas médicas, internações, medicamentos e exames, o Seguro viagem também cobre outras situações como perda e extravio de bagagem e também atrasos ou cancelamentos de voo.

Para você entender melhor como funciona o seguro viagem e também descobrir como contratar, como encontrar o mais barato (e que realmente atenda às suas necessidades), como acionar e outras dicas mais, leia o post Seguro viagem Internacional: como contratar.

E se quiser fazer uma cotação, indico a Seguros Promo e a Real Seguros, que são sites que comparam preços entre várias seguradoras e te indicam os seguros com melhor custo x benefício.


Além da dica do seguro viagem, no final do post deixarei algumas algumas dicas que vão te ajudar no trekking.


Sobre as nossas aventuras até a Laguna 69, Peru

Se você já leu o post sobre o Glaciar Pastoruri, deve se lembrar dos apertos que passamos durante o tour, não é? (Se não leu, já favorite para ler depois!😉)

Pois bem, depois das aventuras e perrengues do dia anterior, estávamos bem inseguros em ir até a Laguna 69.

Choveu bastante nos dias em que estivemos em Huaraz, e as estradas estavam perigosas por causa de deslizamentos de terra e pedras, que são bem comuns nas regiões montanhosas do Peru nessa época.

Mas, mesmo com o clima instável e a nossa insegurança, resolvemos que iríamos encarar sim este passeio. A Laguna 69 era um dos lugares mais esperados de todo o nosso mochilão e não iríamos deixar esta oportunidade passar!

À caminho do início da trilha para a Laguna 69, no Peru
À caminho do início da trilha para a Laguna 69, no Peru

Estrada até o início da trilha

Assim como o Glaciar Pastoruri, também fizemos a Laguna 69 com a empresa Scheler Artizon Trek. Mas, bem diferente do primeiro dia (em que pegamos um guia super chato e tivemos uma péssima impressão da empresa), neste passeio correu tudo bem.

Depois que rodamos um pouco por Huaraz buscando outros turistas, seguimos pela estrada em direção ao Parque Huascarán.

Como combinado, embarcamos no ônibus às 5 da matina. Tinha chovido bastante a noite toda, mas na hora que partimos a chuva estava bem fininha (amém!).

Pegamos a estrada e rodamos bastante. Depois de umas 2 horas de viagem, paramos em uma espécie de restaurante à beira da estrada, bem simples, para tomar o café da manhã. Aproveitamos este momento para comprar algumas frutas e biscoitos para levar para a trilha.

Preço da entrada no Parque Huascarán:

30 soles por pessoa para acessar o Parque somente 1 dia.
60 soles por pessoa para acessar o Parque de 2 a 3 dias.
150 soles: para acessar mais de 4 dias.

(preços referentes a jun/2019)

Depois retornamos para o ônibus e seguimos por uma estrada de terra por mais 45 minutos, até entramos no Parque Nacional Huascarán.

No Parque, a primeira parada é nas Lagunas Llanganuco, para conhecermos o lugar (que é incrivelmente lindo) e tirarmos algumas fotos.

Na verdade, apesar de serem duas lagoas, uma maior e uma menor, a gente só vê a maior. A lagoa menor fica na ponta oposta de onde os tours param.

Mas tudo bem, a parada é feita justamente na mais bonita e que possui uma tonalidade de azul tão intensa que nem parece real!

Laguna 69, Peru - paradinha na Laguna Llanganuco
Laguna Llanganuco

Caminhando…

A segunda parada já era o início da trilha da 69.

Enquanto ainda estávamos no ônibus, um dos nossos guias deu algumas dicas sobre manter a constância para o corpo não esfriar (e facilitar a caminhada), e também explicou que sempre haveria um deles com o último do grupo e outro guiando os mais rápidos.

A gente não ficou nem entre os mais velozes e nem entre os mais lentos. Fizemos a trilha toda praticamente sozinhos. Vez ou outra ultrapassávamos umas pessoas, e vez ou outra éramos ultrapassados.

Logo no comecinho da trilha já dá aquela vontade de parar para fotografar tudo! A caminhada começa em meio a árvores com troncos avermelhados, ao lado de um riacho, onde várias vaquinhas aproveitam a grama mais verde para pastar. Ao fundo, as gigantes cordilheiras com seus picos nevados dão aquele toque todo especial para o lugar.


A caminhada toda pode ser dividida em 2 partes

  • Primeira parte: é a maior (cerca de 5km), mas é mais tranquila. Ela vai do começo da trilha até a Laguna 68.
  • Segunda parte: compreende o trecho entre a 68 e a 69. Esta parte já é bem menor (cerca de 2km), mas também é bem mais íngreme e é feita em uma altitude que já ultrapassa 4000 metros.

Sim. Antes da Laguna 69, vem a Laguna 68.

O que acontece é que o Parque Huascarán possui 423 lagunas. E como é difícil ter criatividade o suficiente para dar um nome especial para cada uma, eles acharam melhor numerá-las.

(Ou você achou que o nome Laguna 69 era por outro motivo? 😏)


Primeira Parte: nível moderado

O começo da primeira parte eu achei tranquilinha. Fomos conversando, rindo e curtindo o visual.

Depois de percorrer uns 3km, a coisa começa a dificultar. Tivemos que encarar a primeira parte, que é a mais íngreme deste primeiro trecho.

Laguna 69 - cachoeira vista de vários pontos da primeira parte de subida.
Esta cachoeira é vista de vários pontos da primeira parte de subida

Paramos algumas vezes pra tomar água, comer um chocolatinho, recuperar o fôlego, reclamar e também admirar a paisagem.

Alguns metros depois de chegarmos no alto, encontramos a Laguna 68, que, apesar de ser grande, tem uma cor mais escura, não sendo tããão bonita.

Laguna 68
Laguna 68

Junto à 68, uma placa indicava “Lag. 69 a 1 hora“.

Segunda Parte: nível hard

Continuando a trilha, a gente entra em uma parte mais plana e consegue respirar e retomar o fôlego.

Alguns bons metros à frente avistamos a placa “Lag 69 – 1 km“. Bom, neste trecho deveríamos ficar felizes por já estarmos “quase” chegando. Só que a a placa aponta para um paredão que parece não ter fim, o que não é nada animador!

Este é o momento mais difícil de todo o caminho. Praticamente 1 km de subida bem pesada!

Bom, mas pra quem já chegou até ali, não dá para desistir, não é?

Passo a passo, vencendo a montanha, a altitude e o cansaço, chegamos no final da subida.

Laguna 69

No topo da montanha, a poucos metros de distância, vimos surgir a primeira pontinha de azul (e que azul!!!).

Naquele momento o cansaço, a falta de ar, e todo o mal estar sumiram! Chegamos na famosa Laguna 69!

Como não poderia ser diferente, toda a nossa atenção se focou naquele lago azul vivo, que parecia ganhar ainda mais cor por causa do contraste com o imenso paredão de rochas acinzentadas que o rodeava.

No entorno da laguna já haviam vários turistas. Alguns tiravam fotos, outros pareciam simplesmente perplexos com tudo aquilo.

A Laguna 69 realmente é inesquecível. Um daqueles lugares que a gente fotografa e quando chega em casa coloca no fundo da tela do computador, sabe?!

As fotos de lá falam melhor do que qualquer coisa que eu escrever aqui:

Laguna 69
Nem parece que quase não chegou na Laguna 69 haha
Nem parece que quase não chegou na Laguna 69 haha

Retornado

Entre fotos e contemplação ficamos 1 hora inteira na Laguna. Este tempo todo passou voando e quando menos esperávamos, um dos guias do nosso grupo informou a todos que era hora de retornar.

Apesar da vontade que tínhamos de ficar mais alguns minutinhos (ou horinhas rsrs) por lá, nos despedimos da Laguna 69, e pegamos o caminho de volta.

Como já era de se esperar, a volta foi beeem mais tranquila. Como agora não iríamos subir aqueles imensos penhascos, mas sim descer, a dificuldade foi bem menor.

O único inconveniente no retorno foi mesmo uma chuvinha fina que começou a cair bem no finalzinho da trilha. Mas, para a nossa sorte, estávamos prevenidos com capas de chuva na mochila!

Ainda bem! Imagina só ter que voltar molhados para Huaraz.

Quando retornamos para o ônibus, fomos recebido com um chazinho quente de coca que deu até uma revigorada. Realmente estávamos super cansados…


Valeu a pena todo o esforço?

Sim! A trilha é cansativa, a altitude pega pra caramba, o caminho de ônibus é demorado e em uma estrada ruim, o passeio sai de madrugada… Mas acredite: no final, quando você chegar na Laguna, tudo isso será esquecido e você se sentirá abençoado (a) por ter a oportunidade de ver um lugar tão lindo assim pessoalmente!


Siga nossas redes sociais para não perder nada do que rola por aqui!


Dicas importantes para a Laguna 69

Antes do trekking

A preparação é algo essencial para este passeio. Então, se ligue nestas dicas!

Durma cedo

Tente dormir cedo na noite anterior ao passeio para conseguir levantar com mais disposição. Lembre-se que o tour sai de madrugada e estar descansado (a) vai fazer muita diferença!

Aclimatação é importante

Em grandes altitudes o mal da montanha (ou soroche) pode atacar e te deixar mal. Para pessoas como nós, que não estamos acostumados com altitude, é bem comum sentir dores de cabeça, enjoo, tonturas e outros sintomas negativos.

Então, outra dica importante é se aclimatar antes de tentar a Laguna. Encaixe nos primeiros dias do seu roteiro passeios com menos altitude e que não exijam muito nos seus primeiros dias em Huaraz.

Você pode, por exemplo, conhecer as ruínas de Chavín de Huantar ou fazer o tour da Laguna Parón, que são passeios mais fáceis.

Alimentação

Também evite comidas pesadas na noite anterior e se, assim como eu, você curte uma cervejinha, a melhor dica é não abusar.

Álcool não combina com trekking, e muito menos com trekking em altitude (falo com conhecimento de causa kkk).

O que levar

Leve na sua mochila lanches como chocolates, barrinhas de cereal, biscoitos, amendoins, salgadinhos, sanduíches e frutas.

Leve também 1,5 litros de água por pessoa (pelo menos).

O que vestir

Vista-se com roupas adequadas para trekking.

É importante ir com uma segunda pele, um fleece quentinho e um bom corta vento. O clima da montanha é bem frio, mas, se durante a caminhada você sentir calor, é só ir tirando as camadas.

Ir com um calçado apropriado e confortável é muito importante. Uma boa indicação é ir com uma bota de trekking. Compramos as nossas na Decathlon e gostamos bastante.

Se o tempo estiver ruim, considere levar uma capa de chuva. Nós levamos uma (daquelas bem simples mesmo, que mais parecem um grande saco de lixo colorido kkk) e nos foi bem útil!


Durante o trekking

Na minha opinião os dois maiores segredos para chegar na Laguna 69 são:

  • respeitar os seus limites e
  • não se subestimar.

Logo no início do trekking você verá pessoas saindo praticamente correndo. Não tente acompanha-las. Faça a caminhada no seu ritmo e vá apreciando a paisagem lindíssima ao redor.

Se necessário, faça algumas paradas para recuperar o fôlego, mas tente manter uma constância na caminhada. Isso ajuda a não esfriar o corpo, o que é algo bem positivo.

Deixe para fazer fotos no caminho de volta. Como é descida, você poderá parar com mais tranquilidade (e menos ofegante!).


Onde ficar em Huaraz

Sugestão Econômica: Akilpo Guest House (nota 9,7 no Booking*)

Sugestão Moderada: Hotel Maimara (nota 9,6 no Booking)

Sugestão de Luxo: Cuesta Serena Hotel (nota 9,2 no Booking)

As notas são referentes ao mês de jun/2019.


Tudo para a sua viagem

Hospedagem
Reserve o melhor hotel para a sua viagem com o menor preço. Com o Booking você compara diversas opções e escolhe o hotel com melhor custo x benefício. Reserve agora mesmo, com opções de parcelamento e cancelamento grátis.
 Seguro Viagem
Não dá para viajar despreocupado sem seguro viagem! Compare os preços de seguros com os dois melhores sites no assunto: Real Seguros e Seguros Promo. Sempre reservamos nosso seguro através destes sites. Com a Real Seguros, você poderá parcelar o valor em até 12x sem juros. Com a Seguros Promo o valor pode ser dividido em até 6x no cartão de crédito e pagando no boleto, você consegue 5% de desconto. Utilizando o nosso cupom NAJANELA5 você ganha mais 5%. No final fica baratinho e viajamos tranquilos, sem medo de imprevistos!
Alugue um carro Alugue um carro
Nada melhor do que a liberdade que um carro alugado pode dar para uma viagem! Antes de alugar um carro compare os preços das melhores locadoras do Brasil e do mundo no site da RentCars e garanta o melhor preço. A cobrança poderá ser feita em reaissem IOF, e o valor dividido em até 12 parcelas no cartão de crédito.
Passagens aéreas baratas
Procurando passagens aéreas? Dê uma olhada no Passagens Promo, que tem sempre ofertas imperdíveis! Através do Passagens Promo, você obtém uma relação atualizada instantaneamente por ordem de preços dos vôos. São milhares de trechos exclusivos, com tarifas diferenciadas e até 65% de desconto.

Reservando com nossos parceiros, você garante o melhor serviço, consegue o menor preço e ainda ajuda na manutenção do Viajando na Janela (e sem pagar nem um centavo a mais por isso!).

Escrito por

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

Escreva um comentário