Repleta de cachoeiras refrescantes, piscinas naturais cristalinas e muito verde, a cidadezinha de Carrancas – MG é um refúgio para quem ama fazer trilhas, mas que também não abre mão de ficar bobeira, recarregando as energias em meio à natureza.


Antes de qualquer coisa, quero te dizer que este post é muito mais que um artigo sobre um destino lindo de Minas Gerais…

Há muito tempo, me sinto na obrigação de compartilhar com você todas as dicas de Carrancas, que por privilégio, fica praticamente no meu quintal!

Moramos bem pertinho da cidade, a cerca de 70 km, e já fomos lá tantas vezes que perdi até a conta…

Por isso, com base na nossa experiência, vou compartilhar todas as dicas essenciais para que você possa se programar para conhecer este paraíso e renovar as energias com um bom banho de cachoeira!

Topa conhecer Carrancas?


Poço da Esmeralda
Poço da Esmeralda

Onde fica Carrancas MG?

Carrancas fica na região sul de Minas Gerais, pertinho de cidades históricas como São João del Rei e Tiradentes.

Se você estiver de férias e turistando por Minas Gerais, poderá conhecer estas cidades em um só roteiro. #ficaadica

Principais distâncias:

  • 300 km de Belo Horizonte (indo pela BR-381 – Fernão Dias)
  • 445 km de São Paulo (também pela Fernão Dias)
  • 411 km do Rio de Janeiro
  • 80 km de São João del Rei
  • 90 km de Tiradentes.
Carrancas MG - Poço do Louva Deus (Complexo Vargem Grande)
Poço do Louva Deus (Complexo Vargem Grande)

Como chegar em Carrancas MG?

Existem basicamente duas formas para chegar em Carrancas: de ônibus e de carro.

Sem dúvida a melhor opção é ir de carro, já que em Carrancas a maioria das cachoeiras ficam distantes da cidade e também distantes umas das outras. Assim, um carro próprio ou alugado pode facilitar a sua vida.

Outra desvantagem de ir de ônibus é que não há muitas linhas diretas para Carrancas. Então, se você vier de São Paulo, Belo Horizonte ou Rio de Janeiro, terá que pegar 2 ou até 3 ônibus.

Indo de carro

Belo Horizonte - Carrancas
De Belo Horizonte à Carrancas é bem simples. Basta pegar a BR-381 (Fernão Dias) sentido São Paulo.

Quando passar a cidade de Perdões, fique esperto (a) para entrar na saída 688 sentido à Lavras.

Agora é só seguir em frente na Rodovia BR 265 até Itutinga.

Chegando em Itutinga, logo depois do radar (!), entre à direita.

Siga reto cortando a cidade e, após a igreja, você verá uma agência dos Correios. Depois dela vire à direita e siga na rodovia até chegar em Carrancas.

São Paulo - Carrancas
De Sampa até Carrancas também não há mistério. Pegue a BR-381 (Fernão Dias) sentido Belo Horizonte.

Depois de rodar por uns 360km, entre na saída 688 sentido à Lavras.

Seguindo o mesmo caminho de quem vem de BH, agora é só seguir em frente na Rodovia 265 até Itutinga. Já em Itutinga, depois do radar (!), entre à direita.

Siga reto cortando a cidade e, após a igreja, você verá uma agência dos Correios. Depois dela vire à direita e siga na rodovia até chegar em Carrancas.

Rio de Janeiro - Carrancas
Ok, você está vindo do Rio de Janeiro. O caminho então é pela BR-040.

Coloque uma playlist boa pra tocar e siga até Barbacena. Chegando em Barbacena você cairá na Rodovia BR 265.

Vá com cuidado por esta via, já que ela não é duplicada e tem bastante curvas.

(Em São Sebastião da Vitória, faça uma parada e coma um pão de queijo super recheado no Rei do Pão de Queijo 😉)

Chegando em Itutinga, após o primeiro quebra mola, entre na rotatória e pegue a esquerda.

Vire na rua Marechal Castelo Branco e logo depois na Padre Vicente. Se você passou em frente a um posto de Polícia Militar, é só seguir reto e pegar a rodovia até chegar em Carrancas, se você se perdeu, é só perguntar para qualquer pessoa “pra que lado fica Carrancas?”, Certamente um mineiro sorridente vai apontar pra algum lado e dizer “é pertim, moço (a). Logo ali!”


Indo de ônibus

Belo Horizonte - Carrancas
Para chegar em Carrancas saindo de Belo Horizonte, é necessário pegar dois ônibus. O primeiro busão para Lavras, e o segundo para Carrancas.

A empresa que faz o trajeto BH-Lavras é a Gardenia e a que faz o trecho Lavras-Carrancas é a São Cristóvão.

São Paulo - Carrancas
Se você vem de São Paulo, também terá que seguir para Lavras, para só então pegar um outro busão para Carrancas.

Para o trajeto Sampa-Lavras, a empresa é a Útil. Para o trajeto Lavras-Carrancas, a empresa é a São Cristovão.

Rio de Janeiro - Carrancas
Lavras também será a primeira parada para quem vem do Rio de Janeiro. A empresa que oferece esse trecho é a Viação Sampaio.

Depois, basta pegar um ônibus para Carrancas (Viação São Cristóvão).


Importante: se você optar por ir de ônibus, verifique os horários de ônibus entre Lavras e Carrancas, já que são poucos os horários de saída.

E se você for alugar carro, a dica é entrar no site da Rent Cars e comparar os preços entre várias locadoras de veículos. Você vai encontrar o melhor preço e não vai ter dor de cabeça na hora de pegar o carro. 😊


Leia mais: Ibitipoca MG – guia completo para uma viagem bem sucedida.


Quanto tempo ficar em Carrancas?

Um final de semana é o mínimo que eu recomendo!

Mas não um desses finais de semana em que a gente chega no destino no meio da manhã do sábado e retorna no meio da tarde de domingo…

Considere chegar pelo menos na sexta e sair na segunda. Assim você poderá aproveitar bem a cidade e conhecer várias cachoeiras.

E se você gosta de paz, tranquilidade e cachoeira vazia, melhor ainda se você puder ir durante a semana. Carrancas (ainda) não é um destino muito “visado”, e indo durante a semana você terá as cachoeiras só pra si!

Importante: a maioria dos restaurantes de Carrancas não funciona à noite durante a semana. O Parque Serra do Moleque (onde fica a famosa Cachoeira da Zilda) também não abre.

Maya (uma das nossas duas cachorrinhas) curtindo um banho na Cachoeira Salomão (Complexo da Ponte)
Maya curtindo um banho na Cachoeira Salomão (Complexo da Ponte)

Quando ir?

Carrancas é um destino para o ano todo! Basta um pouquinho de sorte e o sol vai brilhar forte para te proporcionar um dia incrível de cachoeira.

Mas, se você não for tão sortudo assim e quiser se precaver, evite dezembro e janeiro que são os meses mais chuvosos.

Não gosta de frio? Então junho e julho também devem ser evitados. A noite em Carrancas costuma ser bem gelada, podendo chegar a 15º, sendo que no inverno, até mesmo durante o dia pode fazer um friozinho. E água de cachoeira nem preciso falar que costuma ser gelada, né?

Para os que fogem de agitação e de cachoeira cheia (como eu!), evite viajar para Carrancas nos feriadões e também no Carnaval antecipado, que geralmente acontece 15 dias antes do Carnaval oficial.

Onde se hospedar em Carrancas MG?

Para quem quer a praticidade de não ter que ficar se deslocando muito, o centro da cidade, apesar de pequeno, oferece algumas opções de pousadas.

Escolha uma pousada mais afastada do centro e experimente a sensação de dormir com o barulho dos grilos e do vento…

Mas, na minha opinião, a melhor forma de curtir Carrancas é ficando em um dos chalezinhos das pousadas que se espalham pela serra.

Nós já ficamos em algumas pousadas e indicamos as seguintes:

Pousada Céu e Serra

A Pousada Céu e Serra é um lugar ideal para relaxar, meditar e apreciar um delicioso café da manhã bem mineiro.

A pousada possui diferentes chalés coloridos, sendo que alguns tem tema específico. O que ficamos, por exemplo, era o chalé “ecológico”. Todo feito de adobe, com estrutura de madeira de reflorestamento, chuveiro com aquecimento solar, telhas de barro e pintado com tinta à base de terra, o chalé é super diferente, arejado e sustentável!

Palash, dono da Céu e Serra, conduz diariamente uma sessão de meditação, que acontece bem cedinho: exatamente às 7h29. Nada melhor do que iniciar o dia assim!

Outros pontos super positivos da Pousada Céu e Serra:

  • aceita animais, então dá pra você levar seu pet sem maiores problemas;
  • fica pertinho do Complexo da Ponte, inclusive dá pra ir até lá à pé;
  • é rodeada de verde e possui até uma gruta na propriedade;
  • costuma ter sessões de yoga e meditação (free!);
  • não está longe do centro (menos de 3km).

Quer saber mais sobre essa pousada? Dê uma olhada neste post: Céu e Serra – Pousada Pet Friendly em Carrancas

Veja no Booking

Pousada Mirante Serra Verde

O nome dessa Pousada já entrega! Ela está localizada em um ponto bem alto da Serra de Carrancas.

Sua localização privilegiada nos proporciona uma vista linda tanto do nascer quanto do por do sol.

Pontos positivos:

  • Chalés novos e com varanda;
  • Aceita animais;
  • Está a 5 km do centro de Carrancas e pertinho do “paredão”;
  • O café da manhã é delicioso;
  • Tem restaurante (mas confirme o horário de funcionamento, ok?);
  • Já falei da vista incrível?
Veja no Booking

Outras opções

Com uma decoração super caprichada e praticamente no alto do “Paredão” (um mirante que fica pouco antes da chegada da cidade), a Pousada Mahayana é uma ótima opção para casais, possuindo inclusive chalés com hidromassagem.

Veja no Booking

E se você quiser ficar na cidade, mas em um lugar bem diferente, dê uma espiada no Bio Chalé no Booking.

Nós ainda não tivemos a chance de ficar neste chalé, mas temos excelentes recomendações de lá. Caso você escolha se hospedar neste lugar, deixe um comentário aqui contando como foi. 😊

Veja no Booking

Leia mais: Casa torta de Bichinho – o que tem lá?


Quais as cachoeiras principais?

Bora ao que interessa? Cachoeiras, é claro!

Pra começar, saiba que em Carrancas existem mais de 70 cachoeiras catalogadas.

Dentre elas, algumas estão em propriedades particulares, sendo inacessíveis. Outras estão em locais onde só se pode ir com guia (como é o caso da Grão Mogol). E em algumas outras você terá livre acesso.

Para chegar nas cachoeiras, você terá que pegar alguns quilômetros de estrada de terra, mas dá pra ir com um carro comum (sem ser 4×4) tranquilamente.


As cachoeiras em Carrancas são divididas em grupos ou “complexos”.

Os principais complexos são:

  • Complexo da Ponte: Cachoeira Salomão, Cachoeira do Moinho.
  • Complexo da Toca: Poço do Coração, Escorregador da Toca, Gruta da Toca.
  • Complexo da Fumaça: Cachoeira da Fumaça, Cachoeira Véu da Noiva, Cachoeira do Luciano, Cachoeira da Serrinha.
  • Complexo da Zilda: Racha da Zilda, Escorregador da Zilda, Cachoeira dos Índios, Cachoeira dos Anjos.
  • Serra do Moleque: Cachoeira da Zilda, Cachoeira Guatambú,
    Poço da Proa.
  • Complexo do Grão Mogol: Cachoeira do Grão Mogol.
  • Complexo Vargem Grande: Poços da Vargem Grande, Cachoeira da Esmeralda.

Complexo da Ponte

O Complexo da Ponte fica logo na entrada de Carrancas (a cerca de 3 km da praça da igreja) e chegar nele é bem tranquilo – se você estiver hospedado no centro (e com disposição), dá até pra ir à pé. 😁

As duas atrações principais do Complexo da Ponte são duas cachoeiras: a do Salomão e a do Moinho.

Por lá existe também uma gruta, além de algumas piscinas naturais excelentes para banho.

Para acessar o complexo, é necessário pagar uma taxa de R$ 5,00.

Cachoeira do Salomão

Oculta pela densa mata e protegida por rochas e árvores de grossas raízes, essa cachoeira passaria despercebida pelos mais desatentos se não fosse a plaquinha que aponta para sua direção.

Cachoeira do Salomão

A Cachoeira do Salomão não possui um poço onde se dê para nadar, mas isso nem é problema!

Com quedas que despencam sobre degraus esculpidos pelas águas, a cachoeira e toda a paisagem que a envolve formam um cenário lindo (e fotogênico!).

Entrar sob as suas quedas e sentir a água fria cair sobre o nosso corpo é como receber uma massagem relaxante e revigorante. No calor de Carrancas, não há nada melhor!

Cachoeira do Moinho

A Cachoeira do Moinho fica mais acima da Cachoeira do Salomão.

Apesar de ser uma cachoeira pequena, possui um poço onde dá pra nadar tranquilamente.

Geralmente, quando encontramos essa cachoeira mais cheia, optamos por ficar em alguns dos poços cristalinos que ficam no caminho.


Complexo da Toca

Para se chegar no Complexo da Toca, basta sair do Complexo da Ponte e atravessar a rodovia.

Exatamente do outro lado você encontrará um estacionamento e a entrada do Complexo. A taxa de entrada é de 10 reais por pessoa.

As principais atrações de lá são o famoso Poço do Coração e a Gruta da Toca.

Poço do Coração

Com todo o capricho, a natureza moldou o formato de um coração em uma rocha. Como ferramenta, foram utilizadas as águas do complexo da Toca.

Para chegar no Poço do Coração basta seguir a trilha. No caminho você passará pelo “escorregador” e depois encontrará seu (refrescante) destino.

A queda d’agua deste poço é pequena, é verdade, mas a intensidade é o suficiente para proporcionar diversão e relaxamento. E se você quiser dar um mergulho, este poço tem alguns lugares mais fundinhos.

Para completar, há uma fenda no Poço do Coração que te permitirá atravessar debaixo da água e emergir em outro poço.

Assim como no Complexo da Ponte, existem outros poços excelentes para banho. É só escolher um e dar aquele tchibum!


Complexo da Fumaça

O complexo da Fumaça fica a cerca de 3km de Carrancas e guarda o cartão postal da cidade: a Cachoeira da Fumaça.

Cachoeira da Fumaça

Esta larga e volumosa cachoeira despenca de uma altura de mais de 15 metros e o forte impacto de suas águas contra as pedras faz parecer que estamos em frente a um borrifador gigante!

O nevoeiro que se forma ao seu redor é coisa linda de se ver!

Cachoeira da Fumaça pela manhã - Carrancas MG
Cachoeira da Fumaça pela manhã

Pra ficar melhor, só mesmo se a gente pudesse tomar um banho nesta cachoeira…

… mas, devido à poluição e também à força de suas águas (que já causou acidentes), a Prefeitura de Carrancas interditou o lugar.

Desde de 2015, ficou proibida a entrada na cachoeira e também a prática de esportes radicais (como rapel) em seu entorno. Até mesmo acampar por lá é proibido.

Só por curiosidade, esta é a única cachoeira que pertence ao município (inclusive está na área de um “Parque Municipal”). Todas as outras estão em terrenos privados.

Véu da Noiva

40 metros de queda que se vê de longe!

Quem vai até a Cachoeira da Fumaça, enxerga a cachoeira Véu da Noiva bem antes, despencando sobre rochas e entre a mata.

Cachoeira Véu da Noiva - Carrancas MG
Véu da Noiva

Para chegar nesta cachoeira, é necessário atravessar o riacho, em um ponto um pouco abaixo da Cachoeira da Fumaça e seguir pela trilha. (Outra forma para chegar lá, sem passar pela água, é fazer uma trilha de cerca de 5km – nesse caso só com guia).

Apesar de já ter ido a Carrancas muitas vezes, ainda não fui até a queda da Véu da Noiva.

Da última vez, quando tentamos ir junto com nosso amigo Beneth, do blog Tire a Bunda do Sofá, tinha chovido muito e o riacho estava tão cheio que impossibilitava a travessia.


Além da Cachoeira da Fumaça e da Véu da noiva, ainda existem mais duas cachoeiras no Complexo da Fumaça que podem ser visitadas:

  • Cachoeira do Luciano: fica mais abaixo da Cachoeira da Fumaça e também é imprópria para banho.
  • Cachoeira da Serrinha.

Para se chegar nestas duas cachoeiras é necessário pegar uma trilha e caminhar um pouco (principalmente para a Serrinha, que é mais distante).

Então, por segurança, indico que você contrate um guia.

No final do post tem o contato do Sandro, um guia excelente (e também fotógrafo) que poderá te ajudar a ir nestas e em outras cachoeiras.


Complexo da Zilda

O Complexo da Zilda também é bem famoso e guarda lugares tão bonitos que vão te fazer entender por que Carrancas é o destino ideal para quem ama ecoturismo.

Sem dúvida alguma, este é um dos pontos que você deve conhecer!

O Complexo da Zilda está a 12 km do centro de Carrancas (estrada de terra). Mas pra chegar lá é bem fácil, basta colocar no GPS ou seguir as placas.

Importante: a Cachoeira da Zilda, a Guatambú e o Poço da Proa fazem parte do complexo, mas são administradas pelo Parque Serra do Moleque. Mas abaixo comento sobre ele.

Escorregador da Zilda

O Escorregador da Zilda é uma pedra (bem) lisa, de uns 8 metros, onde a galera volta a ser criança.

A gente senta, toma um pequeno impulso e já era! Quando você menos espera já tá descendo a toda velocidade e mergulhando de uma vez no pocinho lá de baixo.

É diversão na certa!

Escorregador da Zilda - Carrancas MG
Escorregador da Zilda

Depois que você descer a primeira vez, tenho certeza que vai querer repetir a dose!

Para isso, é só subir com a ajuda de uma corda que fica na lateral do escorregador e curtir novamente a descida.

Mas tenha cuidado, as pedras deste lugar são muito escorregadias, e se você der bobeira poderá levar um tombo. Vá com calma para não estragar o passeio, ok?

O escorregador fica em uma propriedade particular, e para acessá-lo é necessário pagar 5 reais. (Na última vez que estivemos lá não tinha ninguém cobrando, mas esteja preparado).

Após fazer o pagamento, é só caminhar alguns metros em uma trilha até o escorregador.

Dica: pouco acima do escorregador existe uma cachoeira bem bonita. Não se pode tomar banho nela, mas ainda assim vale a visita.

Racha da Zilda

Se seu negócio é aventura, então você precisa conhecer a Racha da Zilda!

Para chegar lá, você tem que sair do escorregador e continuar mais alguns metros (+ou- uns 300m) na estrada de terra, acima da área de estacionamento.

Para se aventurar neste lugar, é necessário saber nadar e também ir com um guia.

Para chegar na racha, você terá que atravessar um poço chamado Sonrisal, entrar em um cânion e ainda nadar contra a correnteza, então, só um guia local poderá te indicar o caminho seguro para chegar na racha.

Para quem não quiser se aventurar, poderá curtir a Cachoeira dos Anjos, que fica um pouco antes.

Cachoeira dos Índios e das Onças

Próximo à Racha da Zilda fica a Cachoeira dos Índios, e um pouco mais acima fica a das Onças. Para chegar nesta última, é necessário ir com guia, já que a trilha é longa e não tem sinalização.


Parque Serra do Moleque

Até o primeiro semestre de 2018, a Cachoeira da Zilda e outras mais próximas como a Guatambú faziam parte de todo o complexo da Zilda, e seu acesso era próximo às outras atrações.

Contudo, a área em que essa cachoeira se encontra foi comprada e transformada em um parque: o Parque Serra do Moleque.

Cuidado para não errar a entrada do Parque Serra do Moleque. A placa é menor e diferente da placa que indica  a direção para o Complexo da Zilda.
Cuidado para não errar a entrada do Parque Serra do Moleque. A placa é menor e diferente da placa que indica a direção para o Complexo da Zilda.

Antes o acesso às cachoeiras era próximo ao Escorregador e à Racha da Zilda. Agora, a entrada para o Parque fica na estrada, mas bem antes dessas duas atrações.

A transformação teve alguns impactos:

  1. A entrada nas cachoeiras que antes era R$ 5,00 por pessoa passou para R$ 25,00.
  2. Agora há um estacionamento fechado, e para chegar ao Parque, somos levados em uma carretinha puxada por um trator.
  3. Antes não havia qualquer tipo de estrutura no lugar. Agora há restaurante e banheiros.
  4. Mas, a maior vantagem que vi, foi que o dono do Parque está fazendo um trabalho de limpeza bem legal nas cachoeiras e nas matas. Todo o lixo acumulado por décadas pelo turismo inconsequente está sendo retirado de lá.
  5. Outo projeto bem bacana que deve ser implementado logo é a criação de um acesso especial às cachoeiras do Parque para portadores de necessidades especiais – coisa inexistente nos demais complexos.

Cachoeira da Zilda

Uma das minhas preferidas em Carrancas!

A Cachoeira da Zilda é linda e inclusive é famosa no sentido artístico da palavra: já foi cenário de várias novelas globais.

A queda não é muito alta, mas o poço que ela forma é bem grande e tem alguns lugares mais fundos. Uma delícia para um mergulho.

No seu entorno tem uma prainha onde dá pra deixar as coisas e também estender a canga para tomar um sol.

Por ser uma cachoeira mais famosa, tem uma boa procura. Então, reforço: se você puder visitá-la em um período de baixa temporada irá aproveitar muito mais.

Poço da Proa

Voltando na trilha, um pouquinho antes da Zilda fica o Poço da Proa.

Essa cachoeira não tem uma queda livre, mas desce sobre uma pedra íngreme e forma alguns poços bem legais para nadar.

Cachoeira da Proa - Carrancas MG
Cachoeira da Proa

Cachoeira Guatambú, Cachoeira dos Índios e pinturas rupestres

A Cachoeira Guatambú e as pinturas rupestres nós ainda não conhecemos. Bem que tentamos ir lá da última vez, mas as chuvas fizeram o nível do rio subir e nos impossibilitou de chegar lá.

Estes locais devem ser acessados por uma trilha mais no começo do Parque Serra do Moleque.

Em breve retornaremos para conhecer o que ficou faltando, mas, caso você já conheça, conte aí nos comentários como é, se curtiu, se vale a pena… 😉


Complexo Vargem Grande

O Complexo da Vargem Grande é amplo, cheio de piscinas naturais, corredeiras, áreas verdes com sombra para descansar e curtir com amigos e família, e possui uma das preciosidades de Carrancas: a Cachoeira da Esmeralda.

A 9km de Carrancas (também estrada de chão), a única coisa que tivemos que pagar para conhecer o lugar foi o estacionamento (R$ 5,00).

Na entrada do Complexo, além do estacionamento, tem um restaurante bem simples e banheiros.

Para chegar na Esmeralda, é necessário enfrentar uma trilhazinha de uns 30 minutos.

Mas, pra falar a verdade, a gente nem vê o tempo passar e nem sente a caminhada…

À medida que subimos vamos nos distraindo com vários poços, e, se você quiser, poderá ir “experimentando” cada um.

Cachoeira da Esmeralda

Para chegar na Cachoeira, a trilha te leva até um pequeno barranco. Ali você se apoia nas raízes e pedras para descer e adentra na mata fechada.

Alguns metros à frente a gente se depara com um poço de águas verdinhas e o nome Cachoeira da Esmeralda passa a fazer todo o sentido.

O poço é amplo e a água um tantinho fria. Mas, tome coragem e entre de uma vez! Você vai se sentir outro(a) depois deste banho, pode apostar!

Complexo Grão Mogol

O Complexo Grão Mogol fica a 12 km de Carrancas e só pode ser acessado com um guia.

A entrada custa 15 reais por pessoa e, por ser mais afastado, ser menos conhecido e ter a exigência do guia, ele acaba ficando mais vazio.

Por lá você encontrará poços, pequenas cachoeiras e um cânion.

Precisa de guia?

Bom, se você leu todo o post até aqui deve ter percebido que o guia não é obrigatório para a maioria dos lugares.

De todas as atrações que comentei, as únicas que realmente exigem a presença de um guia é a Racha da Zilda e o Complexo Grão Mogol.

Neste post eu trouxe apenas os pontos mais turísticos e visitados da região. Se quiser explorar mais Carrancas e ir em cachoeiras menos conhecidas, um guia ou receptivo é essencial.

Como já disse, se optar por contratar um guia, indico o Sandro!

Ele nasceu e cresceu em Carrancas, conhece toda a região e além de ser guia, ele também fotografa.

Guia Sandro | contato:
Whatsapp: +55 35 8853-1078| Instagram: @sandroturism

Mas Carrancas é só cachoeira?

Se fosse já estaria ótimo!

Mas Carrancas vai além e te oferece ainda mais lugares para conhecer e vivenciar e também te coloca em contato direto com o melhor da cultura e da culinária mineira.

Paredão (Rampa de Voo Livre)

Eu já vi muitos pores do sol lindos, mas, assistir o entardecer do Paredão de Carrancas é algo memorável!

Vista (in-crí-vel) do alto do Paredão - Carrancas MG
Vista (in-crí-vel) do alto do Paredão

O Paredão fica alguns quilômetros antes da chegada de Carrancas.

Se você vai à Carrancas pela rodovia vindo de Itutinga, dará de cara com aquela montanha imensa.

Quem ainda não conhece o caminho, logo imagina que a pista vai contornar a montanha…

Mas não! A gente sobe aquele morrão em uma pista íngreme e com algumas curvas.

Quando já estamos lá no alto, a vontade que dá é de parar o carro pra contemplar a vista.

Mas, minha dica é que você vá direto para Carrancas, curta o dia de cachoeira, e, quando retornar do passeio, termine o dia lá no paredão.

(Depois volte aqui para agradecer pela dica 😂)

O sol se pondo colore o céu de vermelho e laranja e a vegetação amarelada ganha tons dourados. 💚

A cidade

A cidade de Carrancas tem todo o charme de Minas.

Sabe aquelas cidadezinhas bem pacatas, com uma igreja em uma pracinha central onde as crianças vão pra brincar e os mais velhos vão pra trocar um “dedim de prosa”? Essa é a exata descrição de Carrancas.

Passear por lá também pode estar no seu roteiro.

Igreja de Carrancas MG
Igreja de Carrancas MG

Outras atividades

Outras opções de passeio em Carrancas:

  • Passeio de quadriciclo
  • Passeio de 4×4 na Chapada dos Perdizes e Serra das Broas
  • Voo de parapente na Rampa de Voo Livre
  • Rapel
  • Travessias longas
  • Cicloturismo

Estes passeios são oferecidos pela empresa EcoAdventure.

Comida Mineira

Frango com quiabo, angu, tutu temperado, torresmo crocante, tilápia frita, doce de leite, goiabada, cachacinha…

Em Carrancas não existem muitas opções de restaurantes, mesmo assim você vai comer bem por lá, pode ter certeza!


Onde comer?

Como disse, a cidade tem poucos restaurantes, mas vou te indicar 3 lugares bacanas:

Restaurante Uai Tchê

O primeiro é o restaurante Uai Tchê, que fica na cidade, logo na saída da estrada que leva para para cachoeiras como a da Fumaça e da Esmeralda.

Descobrimos este restaurante por acaso…

Em uma certa vez, voltando esfomeados de um dia intenso de cachu, vimos a placa do restaurante, sentimos o cheirinho da comida, não resistimos e rapidinho paramos para almoçar.

A comida de lá é a mais autêntica (e deliciosa) comida mineira.

O almoço é no modo self-service liberado, e o preço por pessoa é de R$ 25,00* (preço de jan/2019).

Endereço: Rua Oito de Dezembro.

Restaurante Adobe

Nossa segunda opção é o restaurante Adobe.

Fomos no Adobe em um sábado à noite, para experimentar a famosa truta do restaurante e não nos decepcionamos.

Pedimos uma truta ao molho de gorgonzola e camarões e achamos super saborosa e muito bem servida.

Na verdade, acho que é bem servida até demais… Pedimos dois pratos e não demos conta! Era salada, pães, purê, arroz e truta que não acabava mais!

E pra completar, mesmo super cheios, a dona de lá, no melhor estilo mineiro de ser, não nos deixou sair sem provar um pedacinho da sobremesa: um bolo de abacaxi maravilhoso!

Endereço: Na praça da igreja da cidade, não tem erro!

Kong Foodbar

Este é um lugar mais novo em Carrancas, que (ainda) não tivemos a oportunidade de visitar, mas está fazendo o maior sucesso.

Com petiscos diversos, pizzas, lanches e cerveja gelada, o Kong Foodbar tem tudo para ser um excelente lugar para terminar o dia. (se você for lá, já sabe, conte nos comentários como é 😉).

Endereço: Também fica na praça da igreja.

Roteiro para um final de semana em Carrancas – MG

É fato: em Carrancas você terá muito para ver e fazer e em um final de semana muita coisa ficará de fora.

Para uma primeira ida à cidade, indico o seguinte roteiro:

Sábado

Manhã

  • Conheça a Cachoeira da Fumaça
  • Vá para o Complexo Vargem Grande.
  • Se você quiser, pode almoçar no restaurante do Complexo.

Tarde

  • Quando voltar, e se ainda tiver tempo e disposição, conheça o Complexo da Toca ou o Complexo da Ponte.
  • Assista o por do sol no paredão de Carrancas.

Domingo

Manhã

  • Tire a manhã para se divertir no Escorregador da Zilda e conhecer a Racha.
  • Vá para o Parque Serra do Moleque e se quiser, almoce por lá.

Tarde

  • Conheça as cachoeiras do Parque Serra do Moleque.

Dicas extras

  • Vá com roupas leves para usar durante o dia e tênis para encarar as trilhas.
  • Leve também blusa e calça. Mesmo que durante o dia faça muito calor, à noite costuma esfriar bastante.
  • Se for assistir o por do sol no paredão, não esqueça de levar um casaco, lá venta demais!
  • Leve dinheiro, nem todos os estabelecimentos aceitam cartão.
  • Para pagar as entradas nas cachus, bom mesmo é ir com dinheiro trocado.
  • Leve comida e água para as trilhas.
  • Traga seu lixo com você!
  • Se a sua ideia é não gastar muito nesta viagem, considere pegar um chalé com cozinha e preparar a sua própria refeição.

Quer conhecer mais uma cidade mineira cheia de cachoeiras? Então dê uma olhadinha no post: O que fazer em São Thomé das Letras – por Blog Fui Ser Viajante


Tudo para a sua viagem

Hospedagem
Reserve o melhor hotel para a sua viagem com o menor preço. Com o Booking você compara diversas opções e escolhe o hotel com melhor custo x benefício. Reserve agora mesmo, com opções de parcelamento e cancelamento grátis.
Alugue um carro Alugue um carro
Nada melhor do que a liberdade que um carro alugado pode dar para uma viagem! Antes de alugar um carro compare os preços das melhores locadoras do Brasil e do mundo e garanta o melhor preço. A cobrança poderá ser feita em reaissem IOF, e o valor dividido em até 12 parcelas no cartão de crédito. Pagando no boleto, você ainda ganha um desconto de 5%.
Passagens aéreas baratas
Procurando passagens aéreas? Dê uma olhada no Passagens Promo, que tem sempre ofertas imperdíveis! Através do Passagens Promo, você obtém uma relação atualizada instantaneamente por ordem de preços dos vôos. São milhares de trechos exclusivos, com tarifas diferenciadas e até 65% de desconto.

Reservando com nossos parceiros, você garante o melhor serviço, consegue o menor preço e ainda ajuda na manutenção do Viajando na Janela (e sem pagar nem um centavo a mais por isso!).


Leia também:

Author

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

34 Comentários

  1. Boa tarde!
    Irei esse FDS, consigo fazer esses passeios sem guia turístico?
    É a primeira vez que vou .

    • Geisiele Carvalho Responder

      Oi Fernanda!
      Dá pra fazer sem guia sim, seguindo o GPS é super tranquilo chegar em praticamente todas as cachoeiras por lá 🙂

    • Ola, Flavio, tudo bem?

      Cachorros podem participar dos passeios para as cachoeiras?

      Obrigada.

      EV

  2. olá…muito bom o relato…pretendo ir com a família, porém, meu pai tem dificuldade de locomoção (na verdade, ele se locomove bem, porém, sente bastante se a caminhada for longa). as trilhas são longas ou é possivel se divertir apenas nos lugares sem ou com trilhas curtas?! aguardo retorno, obrigado

    • Geisiele Carvalho Responder

      Oi Arthur!
      Desculpe a demora em responder, estamos em viagem e os dias estão corridos por aqui hehe
      Tem algumas cachoeiras com trilhas mais curtinhas e tranquilas, como a do Salomão, a da Zilda, a da Fumaça (nessa não pode nadar) e alguns poços do complexo da Esmeralda.
      Essas são algumas das principais cachoeiras da cidade, então ainda assim vocês vão conseguir aproveitar bastante! Depois conta pra gente como foi a viagem 🙂
      Um abraço!

  3. Mara Rúbia Cedro Moreira Responder

    Sou Baiana,moro em Salvador e viajo muito mesmo.Conheço todas as capitais do nosso lindo Brasil e amuuuu Minas.Já morei em BH.Amei mesmo esta matéria; mas,na minha opinião,faltou informação sobre Hostel( se tem em Carrancas) ,pois gosto muito mesmo desta hospedagem.Viajo só e este ambiente de Hostel é ideal prá quem viajo só.rs
    Obrigada mesmo pela atenção .

  4. Olá. Excelente post. Estou me preparando para ir á Carrancas e “peguei” todas as suas dicas.
    Você acha que indo á noite teria dificuldade com a estrada ? É perigosa e mau iluminada ?

    Obrigado

  5. Bom simplesmente adorei o seu texto , e me convenceu , vou passar meu final de semana de ferias agora
    em setembro lá , e volto pra te contar como foi , obrigado

    • Flávio Borges Responder

      Carrancas é um lugar bem especial! Tenho certeza que você vai gostar 🙂

      Abraço

  6. Olá, boa noite… estou pensando em ir em carrancas, mas minha ida vai ser numa segunda, será que algo funciona por lá? As cachoeiras e restaurantes estão abertos??

  7. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.

    A vida é como uma câmera. Foque no que é importante, capture bons momentos, desenvolva a vida a partir de negativos. E, se as coisas não derem certo, tire outra foto.

  8. Muito explicativo Flávio, parabéns pelo texto!
    Estou pensando em passar o final de semana do dia 12 de julho com uns amigos e aproveitar o festival de blues !
    Acha uma boa ficar no camping do evento?
    Grande abraço!

    • Flávio Borges Responder

      Fala Thomas!

      Então, eu nunca fiquei neste camping, mas parece ser bem legal. Ficando lá vocês terão a comodidade de não ter que ficar se deslocando de carro para ir ao evento.. Acho uma boa sim!

      Abraços

  9. Obrigada pelas dicas Flávio, excelente post!
    Tenho dois cachorrinhos e vou levá-los comigo. Você sabe se tem alguma cachoeira que não posso ir com eles?
    Obrigada!

    • Flávio Borges Responder

      Oi, Ana!

      Fomos com as nossas cachorrinhas nas cachoeiras do Moinho e Salomão e não tivemos problema algum. Já vi pessoas com cães no complexo Vargem Grande também.

      Abraços

  10. LILIAN ALINE MACHADO Responder

    Vou seguir seu roteiro com a única diferença de que vou em dia de semana. Você acha que lá é seguro de ir pra cachoeira só o casal? Não tem perigo?

    • Flávio Borges Responder

      Olá, Lilian

      Carrancas é uma cidade bem tranquila e considero ela bem segura também (inclusive já fomos nas cachoeiras várias vezes durante a semana).

      Espero que curta bastante a viagem!

      Abraços

      • Quais dessas cachoeiras aceita pets?
        Amém o texto e quero conhecer Carrancas agora hahaha <3

  11. LEANDRO DE MORAES PEREIRA Responder

    Boa tarde!
    Queria primeiramente parabenizar pelo post muito bem estruturado e informativo.
    Sou carioca e ano passado tirei uns 5 ou 6 dias de férias para conhecer uma cidade de MG. Fiquei apaixonado pelo lugar… Fui conhecer São Thomé das Letras e fiquei louco pela cidade…. Que parece bastante com o que você divulgou a respeito de Carrancas. Cidade pequena, com uma igrejinha e praça central, cachoeiras e grutas lindas nos arredores da cidade, culinária mineira boa (e barata!!!), lugar calmo e lindo , e quando falam que é um lugar místico não duvide…. É incrível a VIBE na cidade e a paz de espirito de quem esta lá… (As vezes da vontade de jogar td para o alto da cidade grande e ir morar num lugar desses hehe)
    Pretendo tirar uns 10 ou 12 dias de férias em Setembro e pretendo voltar para Minas, para passar uns 3 dias em São Thomé das Letras novamente e seguir o restante da viagem para outro destino em MG e agora após ver seu post , provavelmente será Carrancas!!!!! De São Thomé para Carrancas, segundo o Google Maps esta dando 2 horas de carro então acho que é de boa…. Uma outra opção bem mais afastada seria Capitólio… Ainda decidindo aqui com minha patroa se , depois de São Thomé, iremos para Carrancas ou Capitólio….
    Decidindo, por Carrancas, caso me permita entrarei em contato para tirar umas duvidas e pegar dicas com vc!!!!

    Grande abraço!

    • Flávio Borges Responder

      Fala, Leandro! Tudo firmeza?

      Se você curtiu São Thomé, tenho certeza que vai gostar de Carrancas pra caramba. Como eu disse no post, Carrancas é uma cidade super tranquila e repleta de cachoeiras. As belezas naturais de lá fazem valer a viagem, pode apostar!

      Quanto à questão de Capitólio, tenho percebido que a cidade está ficando cada vez mais cheia e, na minha opinião, o turismo em massa acaba atrapalhando um pouco a experiência da viagem… Se você optar por Capitólio, veja se há como escapar de feriadões ou quem sabe aproveitar a cidade durante a semana. (Mas vale dar uma conferida se durante a semana tudo funciona normalmente por lá, por que em Carrancas, por exemplo, a maioria dos restaurantes não abrem e algumas cachoeiras ficam inacessíveis de segunda a sexta-feira em baixa temporada)

      Abraços

      • Cassandra Rodrigues Responder

        Olá, adorei o post, tudo bem explicadinho mesmo! Eu tô planejando ir em julho para Carrancas, entre os dias 21 e 24 (passaria dias de semana lá…) essa época é baixa temporada? Como saber quais cachoeiras funcionam?
        Obrigada!

        • Flávio Borges Responder

          Olá Cassandra!

          Fico super feliz que tenha curtido o post.
          Julho realmente é baixa temporada, principalmente por causa do frio desta época. Mesmo assim, se o sol aparecer, dá para curtir o passeio sim.

          Durante a semana você poderá acessar todas as cachoeiras principais, com exceção das que ficam no Parque Serra do Moleque (Cachoeira da Zilda, Cachoeira Guatambú, Poço da Proa), já que o Parque abre somente nos finais de semana no período que você estará por lá.

          Abraços

  12. Eu acho um máximo quando vejo pessoas como o Flávio que se dispõe para explicar tudo explicadinho assim como um “Bom Mineiro” faz rsrsrs… Fantástico seu post.. Eu já era louca pra conhecer Carrancas, agora então?! Maravilha de lugar! Nossa Minas Gerais vai além da perfeição… Um abraço!

    • Flávio Borges Responder

      Olá Loriane! Tudo bom?

      Fiquei super feliz com o seu comentário! É bem gratificante saber que as informações estão sendo úteis e o conteúdo tá ficando completinho.
      Tenho certeza que você vai adorar Carrancas 😉

      Abraços

  13. Adorei suas dicas, estou indo no Domingo de páscoa apenas para dois dias, ficarei no Bio Chalé e depois relato aqui, mais já recebi ótimas referências.

    • Flávio Borges Responder

      Que delícia, Paola. Cachoeira sempre cai bem!

      To na torcida aqui para que você pegue muito sol em Carrancas.

      Aguardo seu review do Bio Chalé.

      Abraço

    • Flávio Borges Responder

      Obrigado pelo elogio, Elder. Mas não teria como tirar fotos ruins em um paraíso como Carrancas!

      Abraço.

  14. Adorei seu post! Só aumentou meu interesse em conhecer Carrancas e dedicar um tempinho maior para este paraíso!

  15. Amei o post do Flávio ele está de parabéns 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

Deixe seu comentário!