Volumosas quedas d’água e poços naturais cristalinos se espalham de norte a sul no nosso país e chamam a atenção do mundo inteiro! O privilégio de viver em um lugar com natureza tão diversificada se revela na infinidade de cachoeiras belíssimas que temos à disposição para nos aventurar e também para curtir momentos de plena conexão com natureza.
Veja agora uma seleção com 7 destinos de cachoeiras no Brasil para tomar um bom banho e recarregar as energias.

Ibitipoca, Minas Gerais

Em terras mineiras, Ibitipoca é corredor ecológico perfeito para amantes de ecoturismo, boas trilhas e, é claro, cachoeiras exuberantes. Os melhores atrativos de Ibitipoca estão no Parque Estadual, uma área de preservação ambiental com pouco mais de 14km², mas que concentra uma biodiversidade incrível e uma geografia extremamente interessante!

Na trilha mais fácil do Parque, chamada de Circuito das Águas, o visitante tem a oportunidade de desbravar um caminho que passa por enormes paredões de rochas com belos mirantes, explorar cavernas e ir experimentando poços e cachoeiras durante o percurso total de pouco mais de 5 km.

Procura mais desafio? Então siga até a famosa Janela do Céu, uma queda que despenca a 35 metros de altura e que é acessada através de uma trilha de 16 km, com muitas subidas. Lá no alto, chega-se na borda da queda, onde um poço se torna um espelho refletindo o céu. O visual vale o esforço, pode apostar!

Vale uma menção aqui à cor de “coca-cola” presente nos poços e cachoeiras de Ibitipoca, devido à alta concentração de matéria orgânica em suas águas. Esse cenário torna o lugar um destino único!

O centrinho de Conceição do Ibitipoca também é um charme! Suas ruas de paralelepípedos e construções rústicas conferem ao vilarejo uma atmosfera irresistível, tornando-o um local perfeito para caminhar despreocupadamente depois de um dia cheio de trilhas.

Quando ir: O verão tem dias mais quentes, mas grande chance de chuvas. Entre abril e outubro chove pouco, lembrando que nos meses de inverno faz bastante frio.

Importante: Leve sempre um casaco na mala. Por ser um lugar de altitude pode fazer um friozinho à noite em qualquer época do ano.

Onde ficar em Ibitipoca: Para uma estadia mais completa, a escolha é a Pousada do Engenho. Outra opção são os Chalés Belo Vale.

Chapada dos Veadeiros, Goiás

Na região central do país está a Chapada dos Veadeiros, uma imensa área ecológica protegida que tem tantas cachoeiras espalhadas no seu território que é impossível conhecer todas em apenas uma viagem. Estando a 230 km de Brasília, o acesso à Chapada é relativamente fácil – considerando um voo + carro alugado -, sendo que as principais bases para quem visita a região são a cidade de Alto Paraíso e o vilarejo de São Jorge, esse último um tanto mais roots.

É na Chapada dos Veadeiros que está uma das cachoeiras mais instagramáveis do Brasil: a famosa Santa Bárbara, com suas águas azul-turquesa que hipnotizam!
Vale da Lua, Catarata dos Couros, Mirante da Janela, também são destaques por lá e destinos obrigatórios em qualquer check-list de uma primeira viagem.

Quando ir: evite os meses chuvosos (de novembro a março), quando as estradas ficam ruins e há grandes chances de perder algum dia sem poder sair da pousada por causa da chuva.

Dica de restaurante: Tire uma noite para apreciar a culinária da Risoteria Santo Cerrado.

Onde ficar na Chapada dos Veadeiros: Opções mais confortáveis em: Pousada Casa da Lua e Vila Toá, em Alto Paraíso e Pousada Bambu Brasil em São Jorge. Opções de bom custo benefício: Pousada Paraíso em Alto Paraíso e Namastê Suítes e Chalés em São Jorge.

Brotas, São Paulo

Brotas vai muito além de ser um destino de esportes radicais, é um refúgio para aqueles que buscam momentos de reconexão em meio a cachoeiras perfeitas e pousadas acolhedoras.

A cidade está a apenas 240 km de São Paulo, o que torna o acesso muito fácil. Considere a opção de ir com carro próprio ou alugado para ter mais liberdade de explorar as atrações que ficam mais afastadas do centro – você pode alugar on-line no site da RentCars.

Por lá a Cachoeira Cassorova é destaque: em uma área com excelente estrutura, ela divide seus 60 metros de altura em 2 quedas, oferecendo uma passeio tranquilo e com vistas incríveis. Se estiver disposto a adicionar um pouco de aventura no passeio, considere encarar o canionismo, uma combinação de trilha e rapel nessa cachoeira. Para essa experiência, indicamos a agência Território Selvagem Canoar.

Ao visitar o Ecoparque Cassorova, não deixe de explorar a trilha de 1,5 km até a Cachoeira dos Quatis, que impressiona com seus 46 metros de altura.

Outras opções de cachoeiras: Martello (55 metros) Saltão (75 metros) e Primavera (25 metros).

Brotas também é conhecida por suas fazendas históricas e pela produção de cachaça artesanal, adicionando um toque cultural à experiência. Separe um tempo para conhecer a Adega Casarão, que fica no centro da cidade, para levar para casa souvenirs e produtos artesanais da região.

Onde ficar em Brotas, SP: Em alto patamar está o Hotel Boutique Frangipani. Já uma opção intermediária e com boa estrutura é a Pousada das Nascentes.

Quando ir:

Onde comer em Brotas: O temático Brotas Bar merece uma visita. Não deixe de experimentar a inusitada caipirinha de banana! Nos finais de semana faça sua reserva com antecedência, pois o restaurante é bastante concorrido.

Carrancas, Minas Gerais

Com ar de interior e geografia salpicada de cachoeiras e poços refrescantes, Carrancas, em Minas Gerais, não poderia ficar de fora dessa lista. A cidade ainda é desconhecida por grande parte dos viajantes, o que a torna um refúgio especial para quem busca tranquilidade em um destino pouco badalado.

A estrutura turística da cidade é simples. No pequeno centro há algumas agências de turismo que operam nos finais de semana e feriados, oferecendo passeios de aventura pelas serras e tours pelas cachoeiras. Há também uma seleção pequena de restaurantes, servindo principalmente comida mineira. Para lembrancinhas é possível encontrar a algumas lojas de artesanato, como o Ateliê Quintal das Artes, que fica próximo à igreja Matriz e tem um grande acervo de peças de artistas de vários lugares do Brasil.

Além das cachoeiras, o mirante do salto também merece uma visita. Em um final de tarde sem nuvens, é possível apreciar o por do sol caindo sobre um tapete de capim dourado e pintando com tonalidades de laranja e vermelho todo o céu.

Estando em Carrancas não deixe de visitar: Complexo da Zilda, Complexo Vargem Grande, Complexo da Ponte, Parque Serra do Moleque. Indicamos também o Complexo do Grão Mogol e a cachoeira das Onças, mas para esses lugares considere contratar um guia (indicamos o Sandro – insta: @sandroturism / whatsapp: 35 8853-1078)

Onde ficar: A estrutura de hospedagem em Carrancas é vasta, porém segue o porte da cidade. Não há hotéis maiores, mas uma porção de chalés com vistas convidativas espalhados pelas serras. Nossa opção favorita em Carrancas é a Pousada Sete Quedas, que tem chalés confortáveis, trilhas privativas e um ótimo restaurante. Outra boa alternativa (pet friendly, inclusive) é a vizinha Céu e Serra.

Quando ir: Os meses de novembro a fevereiro são mais quentes, o que favorece o banho de cachoeira, porém pode ser que chova. Fique de olho na previsão. Junho e julho são bem frios, o que vai exigir um pouco mais de determinação para entrar na água.

Foz do Iguaçu, Paraná

Centenas de quedas d’água que juntas ganham um volume e força descomunal! Não tem como falar de cachoeiras brasileiras sem mencionar as Cataratas do Iguaçu, um destino com fama internacional e que detém orgulhosamente o título de uma das Sete Maravilhas da Natureza.

A grandiosidade das Cataratas do Iguaçu revela-se nas quedas que ultrapassam os 70 metros, em um rio serpenteante entre densas florestas tropicais. O estrondoso som das águas ecoa enquanto caminhamos pelas passarelas do Parque, imersos na névoa formada pelas gotículas d’água. Presenciar e vivenciar esse espetáculo é algo que todos deveriam fazer pelo menos uma vez na vida!

Compartilhamos essa preciosidade natural com nossos hermanos argentinos, sendo altamente recomendável explorar as Cataratas tanto pelo lado brasileiro, quanto pelo lado vizinho. Os passeios oferecem perspectivas diferentes: enquanto do lado brasileiro é possível ver as quedas por baixo, o lado argentino oferece a oportunidade única de admirar a queda d’água de cima, na famosa Garganta do Diabo.

Dica: o passeio de barco Macuco Safari, que chega bem próximo das quedas d’água, é imperdível.

Além das Cataratas em si, é possível ter acesso à várias outras cachoeiras na região, em passeios oferecidos pela agência Iguassu Secret Falls.

Onde ficar: Foz do Iguaçu coleciona hotéis de luxo, mas o mais famoso deles é sem dúvidas o Hotel das Cataratas, A Belmond Hotel. O preço de suas diárias (a partir de 4045 reais) reflete na experiência exclusivíssima de estar hospedado dentro do Parque das Cataratas. Como opção intermediária, o JL Hotel by Bourbon é uma excelente escolha no centro de Foz.

Quando ir: Abril e maio são bons meses. Menos incidência de chuvas e temperaturas amenas. Evite outubro, que historicamente é o mês mais chuvoso.

Bonito, Mato Grosso do Sul

Bonito, MS, é famoso por suas nascentes cristalinas. É praticamente uma versão de água doce do Caribe, onde basta um snorkel para a gente se deparar com incontáveis peixes coloridos, chão arenoso e plantas aquáticas.

O carro chefe do turismo de Bonito são as flutuações em águas que mais parecem um aquário a céu aberto, porém a cidade tem muito a oferecer: cavernas, passeios de aventura, trilhas em meio à mata fechada e, é claro, cachoeiras! Normalmente as atrações estão reunidas em propriedades privadas, onde se paga pelo day-use e dá direito a usufruir de toda a estrutura do lugar.

A Cachoeira Boca da Onça é a mais impressionante de todo o estado. São 156 metros de altura que despencam entre o verde da vegetação e encontra um riacho logo abaixo com águas turquesas, sendo que no mesmo espaço encontramos outros poços e quedas d’água, como o Buraco do Macaco. Além dela, várias outras quedas valem a visita: na Estância Mimosa estão 10 cachoeiras acessadas por meio de uma trilha linda. Já na Fazenda do Rio do Peixe encontramos 7 cachoeiras com poços perfeitos para banho.

Quando ir: se quiser encontrar as águas mais clarinhas ~ o que favorece a flutuação ~ vá na época mais seca, entre abril e setembro.

Onde ficar: Como opção mais requintada, o Hotel Santa Esmeralda tem quartos confortáveis e fica ao lado do Rio Formoso, possuindo quedas d’água e piscinas privativas naturais em sua área.
Como opções intermediárias, o Hotel Pousada Águas de Bonito, a Pousada Olho D’Água e a Pousada Cheiro de Mato possuem ótimas avaliações no Booking.

Flávio é mineiro, formado em Direito e já morou em várias cidades diferentes. Tem a fotografia como hobby e o blog como forma de dividir com outros suas experiências e seus clicks.

digite seu comentário