Como ir ao Chile e não conhecer uma vinícola? Os mais apaixonados por vinho costumam ir em várias! 
Nós optamos por conhecer a  Vinícola Concha Y Toro.Concha y Toro - Viajando na Janela

Pela manhã do terceiro dia fomos até a loja Ripley, no centro de Santiago, para comprar um chip de celular. O atendente nos recomendou um plano da operadora Virgin, com 1 GB de dados que custou 7.500 pesos. A internet era bem rápida e o sinal era excelente em todas as cidades que passamos. Obs.: Se você, assim como eu, usa o celular o tempo todo, compre um pacote de dados maior! Meu 1 GB se foi em menos de uma semana haha. Mas dá para fazer uma recarga e comprar um novo pacote, não se desespere!

Chips comprados, partimos para o passeio principal do dia: a vinícola Concha Y Toro! Na noite anterior, havíamos agendado uma visita à vinícola pelo site. Fique esperto: para garantir o passeio, é importante agendar com pelo menos 24h de antecedência.

No site da vinícola havia opções de tours em português  e em espanhol. Agendamos o tour em espanhol pela maior oferta de horários.

Concha y Toro - Viajando na Janela

O centro turístico da vinícola fica em Pirque, uma cidadezinha a mais ou menos uma hora e meia do centro de Santiago. Decidimos fazer o trajeto usando o transporte público com base em muitos relatos na internet, o que foi bem foi tranquilo e super barato. Mesmo para quem nunca havia andado de metrô na vida (prazer!), basta ter o mapinha salvo no celular (ou procurar por um mapa nas estações) e o nome da estação mais próxima para onde pretende ir. Existe um aplicativo do metrô que diz qual a estação mais próxima de você no momento e o caminho para chegar até ela, usamos algumas vezes e foi bastante útil.


Conhecemos também as cidades de Viña del Mar e Valparaíso num tour bate-e-volta! Quer saber o que achamos? Clique aqui!


Pegamos o metrô no centro e descemos na estação Las Mercedes (linha azul sentido Plaza de Puente Alto). Na saída existe a opção de tomar um táxi ou ônibus para chegar na vinícola. Logo que saímos da estação, fomos abordados por uma pessoa oferecendo transfer para a Concha Y Toro em um micro ônibus por 500 pesos, e como não tínhamos os números dos metrobus que faziam o trajeto, acabamos fechando. Foi tranquilo e o motorista nos avisou quando chegamos ao destino.

Na Concha Y Toro existem dois tipos de tours: o Tradicional, com duração aproximada de uma hora, que inclui degustação de três vinhos  e custa 12.000 pesos. E o tour Marques de Casa Concha, com duração de aproximadamente uma hora e meia, três degustações de vinhos Premium e mais degustação de quatro safras de Marques de Casa Concha conduzida por sommelier mais tábua de queijos finos, e custa 22.000 pesos (preços de Setembro/2015). Optamos pelo primeiro.

Concha y Toro - Viajando na Janela

Chegando na  vinícola, informamos o código da reserva e efetuamos o pagamento. Nos dirigimos ao lugar indicado como ponto de encontro do nosso grupo e conhecemos nossa guia, muito simpática por sinal. Mesmo em espanhol deu para acompanhar perfeitamente, pois ela falava devagar e até arriscava algumas palavras em português.

A visita começou próxima ao Wine Bar, e nos dirigimos até a Casona de Don Melchor, o fundador da vinícola, enquanto ouvíamos a historia da Concha Y Toro. De lá seguimos até o Jardim de Variedades, onde estão plantadas amostras de diversos tipos de uvas. A guia nos explicou sobre algumas variedades e tipos de colheita.

Em seguida, a melhor parte da visita: o grupo foi levado às adegas subterrâneas, onde é contada a lenda de um dos vinhos mais famosos da vinícola: o Casillero Del Diablo.

As luzes se apagaram e nas paredes do galpão foram projetadas imagens contando como a história começou. Ao final do filme, a guia nos levou até um corredor escuro onde há a sombra do famoso ‘Diablo’ (meda!). Próxima parada: degustação de vinhos, (um branco e dois tintos – não me recordo dos rótulos, sorry!). A taça é entregue como souvenir ao final.
Me arrependi muuuito por não ter tirado um tempinho para curtir o Wine Bar da vinícola após o tour.

Na saída, tomamos um táxi até a estação Las Mercedes (3000 pesos) e fizemos o trajeto de volta até o centro de Santiago de metrô.

Concha y Toro - Viajando na Janela

À noite fomos até o shopping Costanera, passeamos pelas lojas, mas os preços não eram muito diferentes do Brasil. Para matar a fome, rodamos várias vezes pela praça de alimentação até nos decidir pelo Sushi Blues. Não me lembro o número do combo, mas foi lá que pela primeira vez  provamos a palta (traduzindo: abacate kkkk). Achei bem gostosa a combinação!

Depois do shopping, voltamos para o apartamento de táxi, combinando o valor antes da corrida para evitar surpresas. Li tantos relatos sobre taxistas desonestos no Chile que ficava com medo toda vez que precisávamos tomar um táxi! Felizmente não tivemos nenhum problema durante toda a viagem.

No próximo post contamos sobre nossa visita à Valparaíso e Viña Del Mar! não perca! 😉 

Autor

Mineira, 30 anos, formada em Sistemas de Informação com Pós em Administração e Marketing. É apaixonada por viagens, principalmente aquelas que possibilitam visitar novos lugares e conhecer novas culturas. Passa horas na internet lendo relatos de outros viajantes e adora contar suas experiências nas redes sociais e no blog.

Escreva Seu Comentário