Vamos começar a maratona de posts sobre a Tailândia!? 😀

Neste primeiro, contaremos como foi nossa hospedagem em um hotel próximo ao Aeroporto de Guarulhos e o embarque para esta viagem inesquecível.

Hospedagem próxima ao Aeroporto Internacional de Guarulhos: Hotel Ipê

Para quem ainda não sabe, Flávio e eu moramos em Lavras, interior de Minas, o que sempre dificulta um pouquinho a nossa vida quando o assunto é aeroporto.

Desta vez, optamos por ir para São Paulo um dia antes de pegar o vôo porque precisávamos emitir o Certificado Internacional de Vacinação no posto da Anvisa (já que não conseguimos emitir na nossa cidade). 😰 Mas, após uma pesquisadinha rápida no booking.com, descobrimos que se hospedar próximo ao Aeroporto de Guarulhos pode ser um tanto caro. 😯

Levando em consideração as avaliações dos hotéis, o valor da diária e também o fato de que precisávamos somente de um pernoite para pegar o avião no dia seguinte, decidimos ficar no Hotel Ipê: R$135,00 por um quarto triplo, com direito a café da manhã e traslado para o aeroporto. Bem prático e com bom custo benefício!


Dica: Para quem quer ficar – literalmente – dentro do aeroporto e não liga de gastar um pouquinho mais, existem duas opções: o Tryp by Wyndham, com diárias na faixa de R$388,00 e as cabines do Fast Sleep, ideais para quem quer descansar ou tomar um merecido banho entre conexões, com diárias na faixa de R$250,00.


Da rodoviária de São Paulo até o hotel leva-se aproximadamente 20 minutos. Assim que descemos do ônibus (foram longas 7h até Sampa) pegamos um Uber e gastamos neste trajeto R$31,90.

Nosso quarto no Hotel Ipê era bem simples, com uma cama de casal e uma de solteiro, frigobar, tv antigona, armário, wi-fi e amenidades de banho. Não posso deixar de mencionar que o chuveiro era ótimo! 😛

O café da manhã do hotel também é simples, mas bem gostosinho. Tinha pães, bolos, frutas, ovos mexidos, sucos, café, leite e frios.

o almoço no restaurante de lá não foi tão barato, mas foi o mais prático pra gente, já que pegaríamos a van para o aeroporto às 12:00 horas e ainda tínhamos que acertar algumas coisas (como trocar dinheiro!). Dois pratos executivos (bem servidos) com arroz, feijão, fritas, salada e filé de frango mais um suco grande de laranja custaram R$64,00.

O hotel disponibiliza um serviço de transfer gratuito para levar seus hóspedes ao Aeroporto. O transfer sai de hora em hora mas é necessário fazer um pré-agendamento no momento do check-in. O percurso Hotel x Aeroporto leva aproximadamente 15 minutos.

Com relação ao atendimento, não temos nada a reclamar. Todas os funcionários que tivemos contato foram super prestativos e gentis.

Conclusão: Pelo preço e localização, acho que o hotel é satisfatório para quem precisa descansar antes ou depois de um voo. Para estadias maiores, sugiro buscar outro hotel.


Aeroporto de Guarulhos: algumas dicas

Apesar do cansaço pela viagem de ônibus, na noite em que ficamos no Hotel Ipê ainda aproveitamos para dar um pulo no Shopping Guarulhos para comprar umas coisinhas que faltavam – tipo almofada de pescoço e cadeados :mrgreen: – e para comer alguma coisa também. Do hotel ao Shopping gastamos R$ 10,16 indo de Uber.

No outro dia, acordamos cedo porque precisávamos fazer câmbio. Por indicação da recepcionista do hotel, fomos à agência de viagens Acapulco, que apesar de não ter a melhor cotação (R$ 3,35 contra R$3,29 na ALX Câmbio), era mais próxima e não perderíamos tempo.

Retornamos ao hotel, arrumamos nossas mochilas, almoçamos e partimos para o aeroporto.

Chegando lá, a primeira coisa que fizemos foi nos dirigir à agência da Anvisa para emitirmos o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) – sem ele não é possível passar pela imigração na Tailândia e em alguns outros países, fique atento!

No Aeroporto de Guarulhos, a Anvisa fica no piso de desembarque do Terminal 2 – Asa C, com atendimento de segunda a sexta (dias úteis), de 8 às 12h e de 13 às 17h.


Importante: O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia é um documento que atesta que você está imunizado contra alguma doença específica. Para aqueles que vão à Tailândia, há a exigência da comprovação de que o viajante tomou a vacina contra febre amarela, com antecedência mínima de 10 dias à entrada no país.

A vacina é disponibilizada gratuitamente em qualquer posto de saúde, contudo, o certificado só é emitido em locais específicos, mediante apresentação do cartão emitido pelo posto (que deve conter as seguintes informações: lote e fabricante da vacina, a data de administração, assinatura do profissional responsável pela aplicação e identificação da unidade de saúde onde ocorreu a aplicação da vacina). Para retirar o certificado é necessário apresentar também um documento de identidade (passaporte, RG ou CNH). Confira aqui a lista dos Centros de Orientação Para a Saúde do Viajante.


Fizemos o preenchimento de um cadastro e aguardamos na fila por aproximadamente 30 minutos. Apresentamos o passaporte e o comprovante da vacina de febre amarela que recebemos no posto de saúde quando nos vacinamos e voilá! Certificado na mão! 😄

Confesso que estava com MUITO medo de dar errado pois nossos cartões não tinham os dados do posto de saúde, como nome ou endereço, apenas o número da Unidade. No final das contas deu tudo certo, maaaaas, você que está lendo este post agora: se tiver a oportunidade de resolver isso antes da viagem, apenas RESOLVA! Não vale a pena arriscar a viagem por conta disso!

Na cidade onde moramos o Certificado Internacional é emitido apenas por uma clínica de vacinação particular, desde que a vacina tenha sido tomada lá. Como não foi o caso, o jeito foi tentar a sorte no dia da viagem mesmo 😀

Já sabe o que levar na mala em uma viagem pela Tailândia? Neste post contamos o que levamos e como arrumamos a nossas mochilas. Confira!

Nosso vôo (operado pela Swiss Air Lines – vamos fazer um post relatando nossa experiência com a companhia!😉), que estava marcado inicialmente para decolar às 19:20, acabou sofrendo um atraso e só decolou por volta de 00:20.  Por causa desse atraso, na hora de despachar as malas recebemos um voucher no valor de R$75,00 por pessoa para almoçarmos – a atendente da Swiss nos indicou o Ráscal. Lá, o voucher dá direito à um buffet com frios, saladas e antepastos – tudo a vontade.

Após o almoço, fomos para a área de embarque tomar aqueeeele chá de cadeira. Entre uma horinha de espera e outra, comprei uma almofada de pescoço (R$59,00), tomamos um cafezinho no Starbucks e ficamos assistindo o sobe e desce de aviões, aguardando ansiooosos pela nossa vez 🙄


No próximo post, listamos os principais Templos de Bangkok, que não podem ficar fora do seu roteiro!  Clique aqui para ler.

Para não perder nenhum post, siga a gente nas redes sociais e assine a nossa newsletter, vem muuuita coisa legal por aí 😀


O Booking é parceiro do Viajando na Janela. Reserve sua hospedagem através dos nossos links e garanta o melhor preço! Você não paga nada a mais por isso e nós recebemos uma pequena comissão que é destinada à manutenção do Blog 😜


Resumo dos gastos – dias 13 e 14 de março:
Uber da rodoviária até o hotel: R$31,90
Diária no Hotel Ipê: R$135,00
Uber até o Internacional Shopping Guarulhos: R$10,16
Dois cadeados para mala: R$46,85
Tira-gosto + chopp no shopping: R$47,50
Uber volta do Shopping: R$15,41
Uber ida e volta até a casa de câmbio: R$ 7,75 cada trecho
Almoço no hotel: R$64,00
Taxa de serviço no Ráscal: R$15,00
Lanche no Starbucks: R$35,00
Almofada de pescoço: R$59,00

Total: R$475,32


Autor

Mineira, 30 anos, formada em Sistemas de Informação com Pós em Administração e Marketing. É apaixonada por viagens, principalmente aquelas que possibilitam visitar novos lugares e conhecer novas culturas. Passa horas na internet lendo relatos de outros viajantes e adora contar suas experiências nas redes sociais e no blog.

Escreva Seu Comentário